quinta-feira, dezembro 18, 2008

E estamos quase no Natal....

Uma semana, ou menos ainda, e estamos em cheio no Natal.
Desde que tenho ou participo em blogs que escrevo umas coisinhas por esta altura em redor do tema. Só que, como já cá cantam uns tantos anos, acabo por me repetir como é inevitável.
Já o ano passado decidi fazer um «remake»? de textos que fui escrevendo noutras ocasiões.
Expliquei de novo porque gosto da época do Natal, isto na na minha perspectiva, começando por relembrar um antigo Natal no meu Caderno de Capa Castanha, e depois contei porque gosto da ceia mas à minha moda, e como as prendas têm um valor diferente do que têm para outras pessoas, e o que é a minha árvore.
Não quero também repetir porque é que nunca deixo para a última hora as coisas que pretendo fazer.
É uma questão de organização, eu sei. Há quem tenha esse «gene» e quem o não tenha. Mas faz-me sempre alguma impressão ouvir dizer num tom de voz aflito «Ai que só faltam 3 dias e ainda nem comprei nada!!!!» como se este ano o Natal decidisse ser a 25 de Dezembro, e ela tivesse acabado de ser informada dessa alteração!
Continuo a gostar do Natal.
Continuo a ter prazer em enfeitar a minha casa.
Continuo a imaginar e fazer pequenas lembranças que desejo serem significativas para quem as recebe. Gosto de surpreender as pessoas e ouvir «Olha que boa ideia! Como é que reparaste que eu gosto de****?»
Pronto.
Gosto desta quadra, mesmo que hoje para mim já seja tudo bem diferente e alguns dos amigos e familiares tenham desaparecido entretanto, o que traz um véu de sombra que não podemos ignorar.
Por outro lado temos uma cabazada de bebés e crianças que fazem a renovação.

E é isso o Natal!

7 comentários:

Mary disse...

Emiéle, venho mais tarde com mais tempo para ir atrás dos teus links. Agora só li o post propriamente dito. Tenho ainda uma ideia clara de teres escrito uns posts «natalícios» muito bons mas devem estar no «Era uma vez» creio eu.

Eu cá tenho uma atitude muito ambivalente. Gosto e não gosto ao mesmo tempo. A parte «superficial» é excessiva para a minha capacidade de aguentar com cara alegre. o que se passa dentro de portas, é caloroso e de muita ternura. Essa parte gosto.

kika disse...

Não gosto, se pudesse já estava do outro lado do Atlântico, assim entro na onda e seja o que Deus quiser...

king disse...

Estou tal e qual como a Mary. tenho uma boa recordação dos textos que aqui escreveste noutros anos.
Apetece-me rele-los, mas agora não dá.
..........
Já se disse tudo ou quase tudo sobre «Natal e consumismo» mas não sei se chega!!!

gui disse...

Querida Emiéle, voltei a ler com imenso gosto todos os links que aqui deixaste. Como te deves lembrar sou das leitoras mais antigas, das que te acompanhou dos tempos loucos do Afixe, e continuo a passar por aqui quase todos os dias.
Acontece que me deu uma grande preguiça e deixei de comentar. Afinal,tens por cá o Mary, o King, o sem-nick que passam todos os dias e afinal escrevem aquilo que eu também iria dizer....
Desta vez quis deixar a minha 'marca' :D
É que apesar de poder estar enganada faço uma ideia de ti muito clara, de uma mulher que não é «politicamente correcta»é correcta a sério! Os teus posts do Natal são tão humanos, tão doces, tão ternos que a gente mesmo sem querer se comove e identifica.
Tal como tu, ando um tanto farta do Natal-comercial-e-consumista, dos excessos, daquilo que se faz porque se deve fazer.
E gosto muito de respirar outra atmosfera, a cheirar a pinheiro como o teu post sobre a Árvore, aquela a sério, que cheirava tão bem...
Um abraço!

estrela-do-mar disse...

Também estava a estranhar não aparecer aqui nada sobre o Natal...
Mas afinal aqui está tudo!

josé palmeiro disse...

Chegar tarde ao Pópulo, é uma forma de encontrar comentado já, o que quereríamos dizer. Depois a paleta de opiniões é de tal forma que cobre o universo das respostas que teríamos que dar.
Concordo com todos e sou um bocadinho de todos. Gosto muito de estar com a família, o mais alargada possível, as prendas, são o que menos me atrai, mas as crianças, Senhor, as CRIANÇAS?

Emiele disse...

Obrigada a todos pelos comentários tão simpáticos.
Um beijinho à Gui. Tenho estranhado não te encontrar, mas decerto que os números das visitas ultrapassam muito os dos comentadores, portanto...