sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Nelson Mandela - 20 anos da libertação

A data a celebrar foi ontem e este post tinha tido mais sentido ter sido escrito ontem. Creio que foi por ter ouvido durante todo o dia tantas referências e eu própria ter reflectido sobre esse ponto que considerei que vem sempre a propósito falar neste homem.
Claro que eu sou do tempo em que o nome dele era dito baixinho. Onde vigorava o Apartheid. Onde, se fôssemos de comboio à África do Sul, logo no cais da estação se viam duas escadas, uma explicava que era para «whites» ou outra para «non whites». Nesse tempo não se imaginava que a mudança se pudesse vir a fazer de um modo tão pouco sangrento.
Não conheço a África do Sul de hoje. E o que oiço não me anima muito. Parece haver imenso que fazer até se poder lá viver em paz.
Mas a obra de Mandela é espantosa. Depois de 27 anos de cadeia, (prisioneiro nº 46664) foi o primeiro presidente negro da África do Sul, e terminou o seu mandato, e se a sua terra não está como nós e ele gostaria, será difícil ter-lhe pedido mais.

Parabéns Mandela!

14 comentários:

Miguel disse...

Yebo!

Miguel disse...

Yebo!

sem-nick disse...

É de facto uma figura impressionante de uma enorme dignidade.
E já passou dos 90 anos!

Dizem que é a «boa vida» que dá a longevidade, ora pois!

sem-nick disse...

Yebo é SIM, não é? :)
Em Zulu?

josé palmeiro disse...

Já ontem, na "SESTA", tinha feito menção desta impresionante efeméride.
Tudo o que possamos dizer é pouco...
VIVA A LIBERDADE!!!

fj disse...

Só posso dizer o mesmo, bravo ZP pela antecipação.

kika disse...

Hoje irei ver o filme INVICTUS ,cujo actor principal é Morgan Freedom que faz o papel de Mandela.
Fisicamente são tão parecidos, que até só por isso, se fica entusiasmada, quanto mais pela biografia deste grande homem.
Sem-nick eu acho que a longevidade, não virá tanto da "boa vida", mas de projetos de vida, para alem dos genes, digo eu!!!

fj disse...

Kika são tão parecidos que às vezes confundoõs ao pensar. Depois diz que tal o filme.
Mas fica sempre por referir, exceto no nobel, o papael do branco De Klerck que, noutra dimensão,foi muito dificil e corajoso.

Maria disse...

Bem lembrado, Emiéle e merecido. Mandela é uma fonte de inspiração para aqueles que acreditam, não perderam a esperança, na transformação do mundo - para um mundo melhor. Parabéns Mandela e obrigada. Em jeito de homenagem - o poema - "companheiro" de Mandela na sua longa vida e, sobretudo, dos momentos difíceis - "Invictus" (1875) de William Ernest Henley, poeta inglês.

Da noite que me cobre,
Negra como um poço de alto a baixo,
Agradeço quaisquer deuses que existam
Pela minha alma inconquistável. Na garra cruel da circunstância
Eu não recuei nem gritei.
Sob os golpes do acaso
Minha cabeça está sangrenta, mas erecta. Além deste lugar de fúria e lágrimas
Só o eminente horror matizado,
E, contudo a ameaça dos anos me
Encontra e encontrar-me-á, sem temor. Não importa a estreiteza do portão,
Quão cheio de castigos o pergaminho,
Sou o dono do meu destino:
Sou o capitão da minha alma.
(tradução de Luis Eusébio)

Emiele disse...

Meus amigos, tinha o costume educado, de vir responder a todos os que tinham a simpatia de deixar por aqui a sua opinião, mas tenho andado com tanta preguiça, que nem isso tenho feito sempre.
Aliás «passou-me» que o amigo Zé Palmeiro tinha falado no assunto exactamente quando devia ser - no dia. Actualmente quase nem visito blogs.... Sorry! (isto vai passar-me!)
Obrigada Maria pelo enriquecimento do post, que fica assim mais completo!
Miguel, como sempre, passas por aqui ainda o post mal entrou... :)
Kika, também está nos meus planos ver o filme. Dizem que vale a pena.
O fj chama a atenção «para o papel do branco De Klerck» o que é um dado a não esquecer.
Mas quando se vê gente tão «pequenina» perto de nós, sabe bem relembrar que neste mundo também vivem homens grandes!

Emiele disse...

Maria, só uma coisa: Li não sei onde que exactamente essas palavras «Sou o dono do meu destino:
Sou o capitão da minha alma
» era um dos lemas de Mandela.

Difícil sermos os donos do nosso destino, não é?... Quando nos queixamos tanto.

silvya disse...

sim. mandela sempre.
o filme com morgan f. só pode ser excepcional, porque ele como actor é óptimo, e o realizador idem.
quanto a Mandela,é o "HOMEM".
ele sim lutou, enfrentou e não se vergou contra o poder do branco contra o negro.
nunca fui a africa do sul, como a emiele, e talvez tantos de vós.
mas conheço a história desse homem, e tenho a certeza de que qualquer povo, se orgulha de o ter tido como seu presidente. ele foi preso, mas foi presidente. um grande, grande presidente. e ao pé dele, de klerc, por muito "grande" que fosse, era muito, muito pequeno.
isto está confuso, não?
viva a liberdade, e vivam os Homens Grandes.
emiele, só uma pequena nota: infelizmente nem todos podem ser donos do seu destino.
aliás o que é isso do destino?
uma ironia?
silvya

candida disse...

yebo, meu bebeco é muito bonito.

:)

Emiele disse...

Candida, minha amiga que ainda te deste ao trabalho de ler o que estava para trás (agora só me aparecem spams, que hei-de fazer???)
Por acaso admiro aquele tipo.
Vou amanhã ver o filme.