quinta-feira, janeiro 28, 2010

Palavras-passe

Hoje todos temos de ter muitas e importantes passwords. Qualquer cartãozeco de quiriquiqui precisa para ser utilizado de uma password. Para entrar no pc, muitos de nós temos passwords. A nossa conta do correio electrónico só funciona com uma password. As diversas redes sociais. O Skipe. Os sites de música. É geral. Todos temos segredos para usar em situações misteriosas e usamo-los com abundância. Shhhhhh....
É certo que muitos não têm a menor importância (para mim).
Os meus verdadeiros segredos não estão escritos e, a sério, mesmo a sério só levo os números dos cartões de crédito. Aí é que alguém que me roube esse segredo pode mesmo prejudicar-me, quanto ao resto.... pfff.... mesmo o meu email é de uma grande inocência! Se o lerem não ficam com grande informação.
Portanto até faço uma coisa que os especialistas dizem que é um grande erro: usar a mesma palavra para diversas entradas, não para tudo, é certo!!! Não acredito que venha daí um grande mal, ter a música, o FB, os slides, tudo com o mesmo nome.
Mas, o bom-senso levava-me a evitar números com a minha data de nascimento, ou qualquer data que um esperto que me conhecesse pudesse adivinhar. Isso parecia-me evidente. Como certos números que vêm logo à cabeça.
Daí o meu enorme espanto em saber que entre as passwords mais comuns está: 123456. A sério! Ou, 12345, ou ainda 123456789. Tudo gente que sabe contar até 10 pelos vistos, mas atenção, na ordem certa. :)
Eu a achar que tinha pouca imaginação, e até a justificar-me disso pensando que não seria grave entrarem na maioria dos sítios que pedem password e afinal... uma das mais usadas é exactamente ‘password’, ou ‘iloveyou’ ou ‘princess’...
Estou muito orgulhosa!
Afinal tenho muita, mas muita mais imaginação do que isso.
Mas ando agora a pensar numa remodelação. Porque se o conselho dos especialistas é «de preferência uma palavra que não venha no dicionário», aí é só abrir as asas à imaginação.. Facílimo!!!

14 comentários:

Joaninha disse...

Eheheheheh!!!
Realmente esse tipo de palavras só espanta é como afinal são as mais frequentes!!! Que um totó qualquer pensasse que escrever 5 números de enfiada era boa ideia, ainda vá; mas que uma grande maioria de pessoas pense isso, é de partir o coco!


Depois com os hakers que existem, penso que pouca coisa estará muito segura. o melhor é guardar os segredos na nossa cabeça!

Mary disse...

Mas olha que há muita gente que escolhe a data de nascimento, ou a dos filhos. É certo que é fácil de fixar, mas se nos roubam a carteira no BI vê-se logo a data de nascimento!!!
quando a passaword mete palavras acho mais fácil mas jogar apenas com números pode ser complicado, porque é questão de paciência e se se fazerem combinações...

Mary disse...

:)
Gostei da colecção das chaves!
É cá um molho, de facto. E tu enumeraste muitos casos mas faltam ainda imensos. Até para fazer um comentário num artigo de jornal é preciso uma palavra-chave.

fj disse...

Seria um caso sério a escolha da data de nascimento. De resto há toda a razão no que dizem, especialmente. Joaninha.

Zorro disse...

Boa, fj! O que teria piada era escolher «o nascimento de quem»?!
Se começasse por 19 já era meio caminho andado....
Era melhor ir para o Galileu, o Newton, e já agora do fim para o princípio talvez...
Mas a verdade é que só com números é bem mais difícil. Por isso é que alguns espertos (pelo que se lê no artigo) escolheram abc123
Eheheheheh!!! Ele há cada maduro...

kika disse...

Gostei da colecçao de chaves, mas nenhuma abre a nossa mente, e é aí que estão bem guardadas, pelo menos enquanto o Sr Alzheimer não nos bater á porta!!!
Olha Joaninha o problema é haver muitos totós, se assim não fosse tudo estaria melhor!!!

King disse...

Mas olhem que eu concordo com o conselho de ter palavras diferentes para as diversas funções.
Mas por outro lado também acredito (não sou parente do Cavaco Silva) que um hacker como deve ser entra onde quiser!
Leram os romances do gajo sueco?
Aquela maravilhosa hacker faz tudo o que quer...

King disse...

A minha opinião não é que eles sejam tão palermas como isso. O que devem pensar é «ninguém vai imaginar que eu sou tão tolo que vá escrever 1234567 como password!» Devem creditar que os outros têm melhor opinião de si do que eles mesmos!
lol!!

josé palmeiro disse...

Sempre me fez muita confusão essa coisa das "chaves" e, não há dúvida, há chaves para tudo. Depois são as palavras que, junto à chave, abrem o que for necessário. Nunca gostei, sem disso ter consciencia de usar a mesma para tudo, coisas da tropa, onde a senha e a contra-senha, mudavam diáriamente. Mas há que ter consciência que isto da cuscovilhice, leva a que tenhamos cuidado, pois nunca se sabe o que poderá acontecer.
Mais uma vez a boa dose de Bom Senso e de Cuidado é essencial, usemo-las.

Emiele disse...

Olá Zé Palmeiro!
Claro que percebo que uma «senha» seja muito secreta e mude com frequência. Lá na tropa faz todo o sentido. O que aqui acho cómico, é serem precisas senhas para tanta coisa (estava a brincar mas tenho mais de 15....) e se forem todas diferentes é mesmo a grande bagunça... O que me vale, é que como disse, quase não tenho segredos e só tenho cuidado com cartões que impliquem dinheiro.

(Já respondo aos outros, mas desta vez comecei pelo fim!)

silvya disse...

é mesmo para rir, mas é verdade.
é senha para aqui, senha para acolá. queremos trabalhar, o computador não engata, porque de repente alguém se lembrou de alterar o sistema de véspera e já não dava para avisar, e isto sem contar que agora a correspondência de trabalho, ordens de serviço etc, também seguem e entram via email.
uma chatice, portanto.
não. não tenho grande pachorra para tanto secretismo, e a minha vida vida não tem segredos escabrosos. quanto aos cartões multibanco, é diferente, mas como estão sempre a zeros, daí o perigo não era assim tão mau. só o trabalho de ter que pedir novas vias.
isso que a Emiele falou, reportou-me as séries de espiões.
como série acho muita piada, mas só.
e amanhã é sexta. véspera de sábado.
e talvez aí, eu me sinta mais alegre e feliz.
abraço para a minha família bloguista
silvyaprata

Emiele disse...

Bem, eu brinquei cm isto porque me pareceu um tanto pateta escolher-se como número secreto 123456789.
Contudo é evidente que ninguém gosta de devassas da sua vida pessoal. E o certo é que temos cada vez mais a sensação da invasão do Big Brother. Quando em filmes ou séries de tv, vemos que apenas pelo cartão das pessoa se pode reconstituir tudo aquilo que ela fez, onde foi, o que comeu, onde dormiu, se viajou, se deu prendas a alguém, a quem telefonou.... ficamos impressionados.

A parte da internet não me incomoda muito porque acho ainda um brinquedo (para mim) apesar de não achar piada nenhuma se espalhassem mentiras ou calúnias a meu respeito. Quanto aos sites onde vou, ou o fb ou coisas dessas não me aquece nem arrefece.
Mas nunca me lembrava de escolher como password a palavra password! :)

Saltapocinhas disse...

A minha é uma data e utilizo-a para tudo (mas é uma data que não vem em nenhum documento, escusam de pensar em roubar-me o BI)

Estou como tu: não tenho segredos no computador.
Cuidado mesmo só com as do banco, o resto não interessa mesmo a ninguém façam favor de entrar...

Emiele disse...

É exactamente isso que sinto, saltapocinhas... ter tanto cuidado para quê?
os meus «números secretos» não têm a ver com datas, é mais uma espécie de cantilena, mas fixam-se bem.