quinta-feira, novembro 19, 2009

Cenas da vida de Lisboa

Ia ontem a andar na rua, quando o olhar recaiu nuns dizeres, em letras verdes sobre fundo preto, que atraiam logo a atenção: «Eu faço como o Cristiano Ronaldo».
Eu estava completamente na lua, de tal modo que estranhei ver a frase avançar lentamente à minha frente até entender que estava escrita numa mochila posta às costas de alguém. Mas, a imagem que parvamente me ocorria do «faço como o Cristiano Ronaldo», era apenas dos feitos desportistas, parecendo-me aquilo uma gabarolice surpreendente. E, ainda mais surpreendente, dado o lento avanço do proprietário da mochila que não tinha o passo firme e elástico de um desportista que se pudesse gabar de competir com o CR7. Como ia tão devagar, eu em dois passos ultrapassei-o e olhei para trás.
Era um velhinho, pequeno, magrito, enrugado e, avaliando assim a olho, parecia estar aí a uns dois degraus de distância da situação de ‘sem-abrigo’. Via-se alguma dignidade, o que se confirmava pelo facto de ter uma mochila em vez daqueles sujíssimos sacos de riscas que arrastam os sem-abrigo, e a roupa e o asseio não motivariam reparos. Contudo um homem daquela idade andar de mochila, já não era inteiramente natural e, pela sua aparência, era pessoa de fraquíssimos recursos.

Mas aquela frase, escrita naquela cor, lembrava-me alguma coisa.
Eureka! Era a publicidade do BES. Quando o CR7 «usava a cabeça» e portanto tinha conta lá, ou aconselhava «façam como eu» porque aquele Banco era o melhor. Creio que agora anda por aí outra campanha sem o Ronaldo, mas os produtos ficaram, não é? E portanto vê-se esta cena patética, de um velhinho sem o menor aspecto de conseguir abrir uma conta num Banco seja ele qual for, a andar por aí lendo-se nas suas costas que ele «faz como o Cristiano Ronaldo»
É muito má publicidade, até pode parecer que foi por ter seguido esse conselho é que chegou àquele estado. Se eu fosse do BES, fazia um levantamento de quem andasse com esse slogan e, no mínimo, oferecia-lhe uma contazinha mesmo que fosse pequenina.
É que assim, o resultado da frase é o oposto.


15 comentários:

Joaninha disse...

Venho num instante só "marcar presença" porque queria deixar a minha opinião sobre este post (e a bela foto, que se vê que vem da net porque tem endereço, mas parece de encomenda...)
Mas como queria algum tempo para alinhavar as ideias, volto depois do almoço. Inté!

Emiele disse...

Bem, amiga Joaninha, vens só dizer que não vens... :)
Mas espero então para 'depois do almoço'

King disse...

Está bem descrito a pessoa que não-é-um-sem-abrigo, mas vive no limiar da miséria, coisa que se vê muito na velhice ou pelo menos nalguns velhos muito desgastados (por vezes são mais novos do que se julga!)
E, tens toda a razão, esse slogan, assim desgarrado, parece o exacto oposto: ele se calhar antes de «ter feito» como o CR até tinha ali uns tostões de lado... :)
Têm de reformular a coisa.
Ou - como sugeres, e eu aplaudo - dêem ao homem motivo para 'aumentar a conta'.

josé palmeiro disse...

Estas publicidades, em mim, têm um efeito contrário. Se lá tivesse algum dinheiro, tirava-o de repente.
Depois dizer aos "outros", façam como o Ronaldo, é demasiadamente redutor e não adianto mais para não ferir a dignidade desse rapazinho, que só sabe dar uns pontapés na bola, pois ser exemplo para alguma outra coisa, ainda demorará imenso, isto, se lá chegar.
Concordo com a boa vontade do King, mas sabemos que essa gente dos bancos, nada dão a ninguém.
Ressalto a belíssima foto e, é bom que olhemos para ela, como uma pungente realidade, que teremos que ser nós, com solidariedade, a resolvê-la, dado que nem a banca com os seus elevedíssimos lucros, nem o governo, este ou outro qualquer, o vai fazer.

kika disse...

Isso é um bocado caricato, e se o velhote fosse um musculado, eu nem sei o que pensaria!! Nem gosto do CR nem do BES...Mas isso sou eu, que sou esquesita!!

fj disse...

Nem me parece que tenha a ver com publicidade ( talvez o tenha sido, há uns tempos ), é a pura miséria que o sistema vai criando , dia a dia , cada vez mais.O banco está-se nas tintas, tem o seu imperio constituido, vive com isto s disto

gv disse...

tenho a certeza de que se o tivesses seguido ele se teria transformado num jovem rapaz de pele macia como a flor do pessegueiro.
pena não teres percebido que se tratava de um imortal daoista capaz de te ensinar as artes da longevidade?

sem-nick disse...

E logo hoje que chego aqui tão 'tarde' (costumo vir de manhã com o resto do grupo :) ) encontro uma história que dá para tanto comentário! Pelo menos eu tenho vários a fazer:
Quanto ao velhote, também por vezes encontro pessoas que não consigo encaixar bem em nenhum grupo. Depende do vestuário, da postura, de vários pontos do seu aspecto. É que tanto nos podemos enganar de um modo como do outro (excepto nos extremos, é claro!) ver um tipo meio desleixado mas afinal é uma espécie de "estilo", ou outro todo aprumado mas que o faz como muito esforço. E agora com as falsas marcas há muito engano. Aliás até a foto, muito boa realmente, se fosse de cá pensaríamos uma coisa, mas imagina que foi tirada na Holanda, por exemplo, ou na Dinamarca e já se imagina um avô a ver o neto a acelerar a bicicleta...
Quanto às propagandas dos Bancos, sempre me fez confusão. Para que raio precisam deste tipo de propaganda?... Imagino que a maioria das pessoas tem conta ou porque é de onde recebe o ordenado, ou porque quando a abriu os pais ou os amigos tinham conta lá. Ninguém muda de conta por ser o Banco do Cristiano, creio eu!

Joaninha disse...

Muito boa a ideia da GV!!!!

Porque não? Fosse como fosse é bem mais simpático do que o sapo do costume. Dar o famoso beijo ao sapo... gnag!

Mary disse...

Que post engraçado! :)
Muito bem observado. Mas pelos vistos andas mesmo distraída, isso de ver a "frase a andar" lol!!!

estrela-do-mar disse...

A gente lembra-se de várias frase que ficaram. Eles devem ter um bom publicitário apesar de tudo...
"Se não tens pais ricos vem ao BES”"

"Já falaste com o teu Banco? Não falei com o teu"

E o Cristiano Ronaldo teve várias campanhas protagonizadas por ele.

Depois ainda há o anúncio do
BES júnior para miúdos
, também com o CR que diz que no BES poupar é um jogo divertido (para os putos deixarem lá o dinheiro que o BES investe no que precisa...)

Atenção não tenho nada em especial contra esse Banco. Acho-os todos um tanto parecidos, com excepção dos que se notabilizam pelos piores motivos, que todos conhecemos.

Emiele disse...

Boa noite!
Olá Estrela, com link e tudo para o anúncio!!! Acho que o Banco agradece, lol!!
Joaninha, disseste que voltavas mas depois deixaste só um comentário ao comentário da GV. Foi difícil de 'alinhavar' afinal...? :)
Claro que o King estava a brincar mas afinal na mesma linha de pensamento que eu tive. De facto não estou a ver um Banco dar nada (nem Banco nem nenhuma empresa, lá por isso... a ideia é ganhar dinheiro e não deitá-lo fora)
Zé Palmeiro, essa campanha era mesmo assim, do tipo «tal como o Ronaldo, de não der para usar os pés use a cabeça» e para concluir que quem usa a cabeça passa para esse Banco. Por isso reconheci logo - ou quase logo - a publicidade. Que, como disse a Estrela até é bem feita porque as frases entraram no nosso dia a dia «se não tens um pai rico...» ou «não, falei ao teu!»
Kika, também achei engraçado.
FJ, claro que eles já nem imaginam por onde param os gadjets que foram distribuindo, o curioso foi a volta que deu. Eu creio que a ideia da mochila tivesse sido para ir parar a algum adolescente.
GV - essa não me ocorreu! A minha fantasia não corre assim tanto, mas afinal, sabe-se lá...

Zorro disse...

O mal de se chegar ao fechar da loja é que já está tudo dito. Mais ou menos é claro, nunca está TUDO dito :)
Tem piada que achado também a foto muito boa (mas ampliando-a vê-se o endereço e não parece que seja em Portugal) estou mais na onda do que disse o sem-nick - pareceu-me uma pessoa muito serena, talvez o tal "imortal daoista" de que falou a GV, reflectindo na vida se calhar, mas sem grande amargura. E quem te diz que o senhor que ia com a mochila não era um tipo todo descontraído que ia ali devagar para apreciar o passeio, apenas?...

cleopatra disse...

atrasada,mil desculpas...
a publicidade pode ser muita boa...muito bem feita,mas existem sempre contra-partidas, não?
como essa do velhinho, com ar novo, e a beira da miséria.
mas a pior das misérias, não é só o velhinho. são todo´s aqueles que vivem camuflados, e fingem ser o que não são, porque a verdade é dura e muitos dos que os rodeiam, não acreditariam sequer que aquelas pessoas, vivem a um passo do abismo...
quanto aos bancos, são monstros que se alimentam das desgraças alhaeias. algumas delas talvez provocadas inconscientemente pelos próprios, mas outros provocados sim pelo sistema e aí claro pelos bancos.
quanto a imagem no mail, talvez como diz o zorro, seja uma pessoa pr'a frentex, como se diz, e aí?
nada dce problema, não é?
mas como sempre faz pensar,o que é bom.
cleopatra

Emiele disse...

Olá Cleópatra.
Este era mais um post onde apenas partilhava convosco alguns pensamentos que me ocorreram, mas sem tirar grandes conclusões...