quarta-feira, outubro 21, 2009

Benefícios colaterais

Bom, já falei o suficiente do que penso da gripá. Tenho recebido os mais variados fw sobre o assunto, que me levam a sentir a maior das confusões não sabendo o que é a ‘teoria da conspiração’ e o que é a verdadeira conspiração.
Mas o que me faz pasmar é observar até que ponto esta famosíssima gripe, tem sido um maná para a venda de desinfectantes. Os comerciantes que têm à venda as garrafinhas que se usam por todo o lado para limpar as mãos sabem que elas desaparecem que nem milho (exposto à gula de pombos esfaimados)
É impressionante verificar a onda de asseio que inunda aqui a nossa terra.
Pelo menos este asseio que vai implicar o uso de desinfectante, o outro não sei. Encontramos agora junto de todos os lavatórios públicos e até privados, esses frascos que distribuem desinfectante, e conheço quem ande com ele na mala junto às chaves e à carteira. Os bancos têm um desses dispositivos à entrada. Há um quiosquezito de jornais junto à minha casa, que tem no seu balcão minúsculo uma garrafinha dessas. Nos supermercados da minha zona, estão lá, ao lado da caixa registadora para os clientes se desinfectarem. Não reparei se os táxis têm porque há tempos que não apanho um, mas acredito que sim.

Até parece que desde que se utilize esse mágico produto depois já não seja assim tão importante lavar as mãos como deve ser… Eu continuo a pensar que uma boa ensaboadela com o velho sabão azul e branco nos deve ‘desinfectar’ o suficiente sem estas esquisitices.
Claro que se fosse só isso como é que os vendedores de desinfectantes lucravam? Eu cá não sei, mas devem estar a facturar uma nota!!!

*Já agora, seria interessante uma outra epidemia que se espalhasse por cuspir para o chão. Ou pelo menos que se acreditasse nisso.

22 comentários:

Miguel disse...

Bom dia Emiéle e auditório :p Essa é que eu não sabia! Vi dessas garrafinhas mas aqui, numa das clínicas de Luanda. Há males que vêm por bem, esse será, porventura, um deles... as pessoas começarem a lavar mais vezes as mãos e tal.

O teu PS é bem metido. Ainda se cospe para o chão? Badalhocos pá! O nosso atraso cultural e civilizacional é tremendo. São, cada vez mais, 2 países enfiados num. O do 1º mundo e o resto. "Latina América"... E a educação nas ruas da amargura, inversão de valores, como é que se dá a volta a isso?

josé palmeiro disse...

Estou contigo e com o Miguel, a quem saúdo.
É, na verdade uma onda "postiça" de asseio, mas, como dizes, o hábito de cuspir p'ró chão, é aterrador. Esperemos que as autoridades sanitárias, tomem medidas, sérias na eliminação de tal medieval costume. Aí sim, dar-se-ia um grande passo nos cuidados sanitários deste país.

King disse...

Vejam aqui:
uma correcta lavagem das mãos, com água e sabão, e uma eficaz secagem a seguir são "suficientes" para garantir uma correcta higiene. e mais:
«A Lusa apurou junto de várias farmácias por todo o país que se regista uma corrida aos produtos desinfectantes, como gel e toalhetes, que chega a atingir um aumento de 300 por cento e que já levou a rupturas de stock»
BOA!!!
:)

AB disse...

Ontem não comentei porque achei curiosissimo ver o desenvolvimento dos comentários segundo as "profissões" ou as regras gerais do "correcto" de certas profissões com bitolas para quasi tudo.Dos tantos anos aos tantos isto é "normal" dos tantos aos tantos "aquilo" já se pode etc.E ainda a tal tendencia de culpabilização dos pais por defeito ou por excesso aconteça o que acontecer pensando nós que eles são factores de correcção social e não engolidos na mesma onda socio-(acrescentem o que quiserem à palavra que vai dar certo com merteza).A Senhora com mais pratica do que teoria e muito bom senso põe o dedo em feridas várias.Sobre os desinfectantes só tem a ver porque, com tanta bitola ,das duas uma:ou lavamos as mâos como Pilatos(a biblia está outra vez na moda)e até nos disponibilizam utensilios ou teremos mais uma dúzia de culpabilidades pq.ou não acreditamos na teoria da conspiração ou pior heresia ainda nas regras do mercado(outra Biblia,para a qual estamos pouco preparados e onde Cains e Abeis são diáris e ninguem se rala com isso).Um filho meu tb. começou a ler dos 3 para os 4 anos e aplicava palavras como "artófaga" absolutamente a propósito.Tinhamos falado disso eu e a Emiele e ela ficou silenciosa aquele silencio que exprime uma certa incredulidade.Se não foi culpa minha(mãe)pelo menos era exagero o que vem a dar no mesmo...Qt. ao cuspo è outro excesso.Como vamos nós provar a abundancia que nos cerca senão expulsando o excesso?AB

AB disse...

Penitencio-me já pelo "comer" de letras...cujo significado não é nenhuma primazia que me leve a englobá~las no meu próprio "eu".È mesmo falta de vista e erro de tecla.AB

shark disse...

Não é uma teoria da conspiração, mas sim da constipação.
Sejamos rigorosos...
:)

A Senhora disse...

Os meus meninos chegam da escola e lavam a mão antes de comer. Sempre - sempre que eu mando. :)
Se deixar, jogam a mochila no chão e correm para a mesa almoçar. Isso, porque nesta última semana os dois tiveram gripe forte, com febre, a ponto de ficarem dois dias em casa sendo monitorados e tomando antitérmico.
Os desinfetantes gel viraram hit só nos primeiro impacto.
A vacina, para quem acompanha os acontecimentos, já está sendo questionada. Principalmente quem já tomou outras vacinas anti-gripais e quase morre de uma gripinha simples (eu, por exemplo).
Uma hora meus meninos aprendem a lavar as mãos, assim que chegam, sem eu precisar mandar...
Uma hora os reservatórios para se lavar as mãos vão ser lugares divertidos para conversar com estranhos nos restaurantes. :))
Cuspir no chão? Essa é uma molecagem que eu quero ver ter argumentos para fazer com que parem... :)))

kika disse...

Ainda bem que deixas um boa noticia, apesar de não ser fim de semana:)
Dado que, segundo dizes ou é uma teoria da conspiração ou uma verdadeira conspiração, a "gripá " não existe.
Será que tudo isto é só para nos sentirmos felizes com a ministra da saude, que anda sempre no ecrã?
Desejo sinceramente que tenhas razão e fico com muita pena que de desbarate tanto dinheiro num País onde há tanta falta de pão para a boca.
Se o negócio é chorudo é porque a propaganda foi eficaz!
Num Pais a caminhar para a Latina América como diz o Miguel os habitos de higiene depressa desaparecerão, tal como aconteceu no Euro 2004, com a limpeza das ruas.

Emiele disse...

Ena tantos comentários tão cedo!
(Só uma conversinha com a AB, uma vez que puxa para o post de ontem e depois já passo para a conversa de hoje. É evidente que aceito que o teu filho, como os da Senhora, soubessem ler aos 3 ou ainda antes. Mas insisto que é invulgar. Talvez haja uma bitola como dizes mas essa bitola é a média. Um bebé poderá andar aos 8 meses, mas foge à média e a leitura implica talvez mais do que a marcha... Só queria até ‘desculpabilizar’ os pais que não conseguem pagar muitas actividades para os filhos, insistindo em que talvez fosse melhor assim. Falei do tal menino porque creio que os pais dele o estimularam com exagero. Há um desacerto entre as palavras que diz e as que conhece – ontem disse várias vezes ‘auto-estima’ mas sobre um cão só dizia ão-ão)

King – deixaste o link exactamente para o que eu queria dizer :)
Miguel, Palmeiro, e quem falou nas cuspidelas – para ser franca mete-me muito nojo, e vejo imenso. Posso ter azar, ou estar mais atenta a essa coisa...
Kika, vamos lá a ver o que é que dá. Para já o que penso é que é muito mais contagioso do que a tal gripe sazonal, contudo é uma doença do tipo da outra. Mas pode ser que tenha novidades em breve, porque tenho uma amiga que está com uma gripá diagnosticada, e estive o sábado todo com ela, com beijinhos à chegada e à partida... [atenção, nenhuma de nós sabia!]

AB disse...

Pois claro que é invulgar-o que nem sempre quer dizer patológico.Qt. ao menino em questão não conheço outros pormenores ou pormaiores portanto nada tenho a acrescentar.A apreciação que fiz foi genérica partindo de um caso que como é natural conheci bem.E o que escrevi versava mais sobre a variedade de pontos de vista, segundo as profissões ou hobbies, o que significa que se pode, consoante o especialista ,ser ao mesmo tempo um génio ou um fracasso(as palavras são desajustadas e eu sei que são mas dão em traço grosso para explicar o que quis dizer)AB

fabulosa disse...

claro, como tudo, arranja-se sempre maneira de lucrar... é o capitalismo que manda no mundo, há que facturar! =P

Mary disse...

Ups!!!
:)
Emiééééle| Vai dando notícias, ok?
Se TU adoeces com a gripá é que é cá um corrupio de visitas!

Emiele disse...

Mary, fica descansada, vou dando notícias :)
AB, no tal caso eu só disse que era (copy/past do que escrevi)«estranho e muito raro». Não falei em nada de patológico. E se no dito livro se fala em crianças stressadas, são as tais que andam num virote e mesmo isso não será patológico, afinal todos convivemos com o stress diariamente...

ZORRO disse...

Bem visto, Shark!! :)

Ando um pouco enjoado de tanto alarido, francamente. Ter cutela com uma coisa, faz sentido. Entrar em histerismo, já não.
E a tuberculose, já agora? Também se contagia, não? Talvez estas precauções sejam benéficas para outras doenças que podem beneficiar à pala da famosa gripe.

Zorro disse...

Bem, quero dizer, as doenças não beneficiam, espero bem. As pessoas é que sim!

Por acaso a minha médica - de quem gosto e confio muito - é das que dizem que por ela não se vai vacinar mesmo que a ponham à frente, e que eu estou em boa forma, se por acaso apanhasse a dita que me ia tratar como de outra doença infecto-contagiosa benigna.
Wait and see

Zorro disse...

Ainda volto, por um lado deixei ali uma gralha mas perceberam com certeza (não é cutela e sim cautela)
Por outro para falar nas escarradelas. Também tenho reparado, e olhem que apanha senhoras e tudo. Já tenho visto, repimpadas num bruto carro, abrem a janela e zás, cospem para fora! Bem sei que costuma ser na rua e não no passeio mas o gesto é o mesmo.
Ao nível do que se costuma chamar «gente do povo» é constantemente. Gnhag!

Emiele disse...

É isso mesmo, Zorro, também tenho reparado nessa coisa de se baixar o vidro da janela do carrinho para essa função...
Devo reconhecer que para além do nojo que essa porcaria mete a quase toda a gente, nunca me esquecerei uma vez, tinha eu aí uns 7 ou 8 anos, e ao passar na rua em frente de uma escada de um prédio, uma padeira que vinha a descer de cesto do pão à cabeça e tudo, atira com uma escarradela que apanhei em cheio no pescoço!... Juro! Fugi para casa para me lavar com muita água e isso marcou-me para sempre.

Emiele disse...

Sharkinho! Não deixas aqui muitos comentários, mas quando vens metes golo!
Muito bem apanhado!!!!

Miguel disse...

Os comentadores desta casa são porreiros, sem dúvida Emiéle. Como hoje estou com a Sónia, coisa rara, dá-me para cá vir a desoras e ler isto tudo com mais calma.

Acredito pouco na teoria da conspiração. Que a situação, de si grave porque na realidade estão a morrer pessoas que, noutras condições, não deveriam morrer, possa estar a ser empolada e utilizada de determinada maneira em benefício desta ou daquela empresa, deste ou daquele produto, sem dúvida. Já teria que ser algo profundamente bem orquestrado, o alarme global e a corrida às vacinas patrocinadas pelos Estados. O assunto é sério.

Numa perspectiva "economicista", não tenho dúvidas que as contas já foram feitas e sinto alguns arrepios nalguns pontos. Parece-me normal que se contabilizem os custos e consequências das baixas decorrentes de uma maior propagação da doença comparativamente aos custos de uma vacinação maciça. Já me arrepia identificarem-se grupos "vitais" para o "normal" funcionamento da sociedade... Este método de selecção arrepia-me profundamente.
Isso e outras coisas resultantes da forma como o Estado vê os seus.

Espero que não te aconteça nada Emiéle e que continues de boa saúde. Como vou aí de férias no início de Novembro, vou levar umas máscaras e armar-me em asiático, just in case...

Emiele disse...

Mas vês, Miguel,essa preocupação de se vacinarem «grupos "vitais" para o "normal" funcionamento da sociedade» terá de facto a ver com a dúvida de que se começarem a faltar por doença ao mesmo tempo muitas pessoas da mesma área de trabalho essa área pára. Afinal a greve é isso, de um modo voluntário...
Quanto à malignidade da doença em si é que parece discutível. Os milhares de pessoas que adoeceram e que apenas têm essa gripe, têm-se curado como de outra 'normal'. A percentagem pequeníssima felizmente dos que morreram eram pessoas já em risco.

Mas acho muito bem que apareças por cá de máscara. Desde que não te ponhas a assaltar bancos...

Miguel disse...

Hummmmmmm estás a dar-me ideias para as minhas férias!

Emiele disse...

E com uma justificação bem inocente. «Eu?! Não estava a esconder a minha cara, estava a precisar de uns trocos e estava constipado!»