domingo, agosto 16, 2009

Uma Música ao Domingo

Tinha escolhido uma música para hoje.
Mas... tinha-me esquecido de que este Domingo é 16 de Agosto. Foi exactamente a um fim de semana faz hoje quarenta anos, a 15 a 16 de Agosto de 1969, que se deu um acontecimento musical e não só, o inesquecível do Festival de Woodstock.



O Festival que marcou uma época e uma geração. Estava-se em guerra (estamos sempre em guerra, até parece) mas havia quem gritasse que era melhor fazer amor do que fazer guerra, e partisse numa cruzada com flores no cabelo e guitarras e canções. Estiveram lá mais de 500.000 pessoas.
A lista dos cantores é enorme e difícil escolher um.

Por exemplo, a guitarra de Jimi Hendrix.



Ou a voz de Joan Baez "We Shall Overcome" (... we shall live in peace, some day) :

14 comentários:

King disse...

Mesmo tendo alterado o post em cima da hora deves tê-lo escrito ainda ontem, não estou a imaginar estares a escrever a um Domingo às 9 e trinta!!!

Parece impossível terem passado 40 anos. É uma vida. Alguns dos teus comentadores daqui nem devem ter essa idade!

E depois disse-se tanta parvoíce daquilo. Para muita gente a imagem que ficou foi as drogas e pouco mais. E uns totós que se enfeitavam com flores e tinham umas guitarras.
Mas foi uma bomba! Antes uma «anti-bomba» porque era um protesto contra o vietnam, Mas essa acabou, veio a «fria», a do Golfo, a do Iraque, o Afganistão, e daqui a nada temos o Irão. Sempre em guerra, né?
Mas uma das coisas fascinantes da América, é que têm uns chefes e umas 'administrações' como se tem visto e depois há também movimentos e opiniões desempoeiradíssimas e contra a corrente. É uma terra fascinante.
Não é por acaso que este Festival foi lá!

sem-nick disse...

Boa malha, Emiéle!

E teres deixado 3 vídeos é um luxo! Dá para uma certa perspectiva. Pobre Jimmy, que saudades.

Maria disse...

Bingo, Emiéle, tenho estado este mês a rever videos sobre Woodstock e também recebi via email notícia deste número especial da "LIFE" mag
com belíssimas fotografias e não só, deixo a ligação:http://magcloud.com/browse/Issue/25201 - vale bem a pena espreitar, digo eu...
As tuas escolhas são muito do meu agrado - Jimmy Hendrix e a sua guitarra - Magnífico!

A Senhora disse...

Nessa época eu tinha 7 anos, brigava com os meninos na rua, vivia com os joelhos esfolados, aterrorizava minha irmã com histórias fantásticas de mundos subterrâneos, lia qualquer livro que aparecesse em casa, deitava no colo da minha avó para que ela contasse suas histórias, comia frutas direto das árvores, detestava escola, amava fazer pic-nic no jardim de casa com meus irmãos. Estávamos em plena ditadura. Apesar disso, as noites ainda eram lindas, deitar no chão à noite para ver as estrelas era bom, porque ele estava aquecido pelo sol escaldante do dia.
Woodstock era um lugar longe... muito longe... e eu ficava a imaginar, com a cabeça de criança: onde eles faziam suas necessidades? :)

beijos e bom domingo!

Maria disse...

Joe Cocker e "A Little Help From My Friends" - foi uma canção da minha adolescência que ouvi n vezes, dancei, até tinha um namorado que a cantava lindamente com a sua banda, estou um pouco nostálgica q,b. nada de mais:))

Joaninha disse...

Excelente!!!
Até o King veio dizer de sua justiça, interrompendo as férias :)

De facto alguns de nós eram bem novinhos, e apesar do marcelismo ainda havia censura portanto nem tudo era notícia como seria hoje. Mas é claro que foi falado. E sobretudo foi falado depois, pelas suas repercussões.

As canções são muito bem escolhidas. O velho Jimmy e a canção eterna do "We Shall Overcome"
Dá logo vontade de entrar no coro, não é?
:)

josé palmeiro disse...

Pois é, e eu casava-me em Dezembro...
Isto, não falando que em Outubro tinha ido para a tropa. Bem, mas como diz o King, já lá vão quarenta anos!
Totalmente de acordo com a tua escolha e com o King, quando abaorda o facto de, na América, apesar das "administrações" mais retrogradas, paralelamente, existem os tais movimentos de contra-corrente, que fazem coisas como esta que hoje comemoramos.
Eu, na "Sesta" não referi o Woodstock, porque tem sido muito badalado mas fiz um exercício que espero não me equivocar.
Assim coloquei o Jorge Palma, rapazinho, na altura, mas que se fosse mais velho, teria lá estado, com toda a certeza. Aquele hino da América na viola do Hendrix, é um monumento, o Joe Coecker, um rapaz da minha idade e a Joane Baez, essa, vi-a ao vivo, em Cascais, o nosso Woodstock!!!

fj disse...

Excelente. Pena ainda não ter nascido nessa altura.

mfc disse...

Como o tempo passa...

mary disse...

Huuummmm...
Fj, menos de 40 não tens, isso juro.

Claro que me lembro, e como disse o palmeiro e a Maria ultimamente este aniversário foi muito falado, e ainda bem. Para a gente mais nova torna tudo menos «histórico» mais próximo. Não foi assim há taaaaaanto tempo, caraças!

Grande Gimmy! e a canção da Baez é eterna.

mary disse...

Esqueci-me da Senhora, tão pequenina... Pois é, encontramo-nos todos aqui, mas nessa época as diferenças eram grande!

Emiele disse...

Bom Dia!!!

Sabem que neste «programa de férias» vejo muito menos tv do que noutras ocasiões e nem tinha dado pr ter havido tantos programas sobre esse «evento» Tenho passado os dias mais a ler e a passear, e vejo só os títulos ou 5 minutos do telejornal...

Senhora, mesmo pequenina tinhas preocupações muito realistas. Realmente juntar 500.000 pessoas, por duas ou três horas ainda vá, mas durante dois dias aparece essa dúvida - onde é que fazem «as suas necessidades»?! É que deve ser muito material!!! :)

Quanto aos vídeos que escolhi, enfim foi uma escolha apressada como podem imaginar. Feito à última hora, mas ainda bem que recebem a concordância de vocês todos.

O FJ era de colo, mas já tinha nascido, ora, ora... (atenção, não nos levem a sério, nem a ele nem a mim)

fj disse...

A sério a mim nunca ou quase nunca.Refiro-me á idade mental, mary.
Julguei que já vos tinha impingido as minhas "Duas teses sobre os homens", já publicadas ( edição do autor, claro ):
1º : não há homens sérios, exceto o pai do nosso eventual interlocutor ( boa educação, não convicção);
2ºos homens não passam pelo estado adulto, seguem diretamente da adolesc~encia para a senilidade.
Assim como ainda estou pouco senil, por agora, figuro em plena adolescência (mental).
os á sboas livrarias. Até agora só eu comprei.
Pois é mary, de uma forma convencional até tens razão. Mas tente lá ver mais longa, como eu.
Ha mas não tenho teses sobre mulheres. Penso tirar o mestrado em "Estudos Sobre as Mulheres", iscte, julgo, depois talvez possa teorizar um pouco.

josé palmeiro disse...

Com o meu amigo FJ, não entro, ele era tão pequenino, naquele tempo e agor, até pondera ir para o "iscte", fazer um mestrado, com um tema que me agrada, logo, nada a dizer.
Mas deixo aqui uma promessa, um dia destes ainda vos hei-de contar uma "estória" ligada à canção "We Shall Overcome".