sábado, maio 09, 2009

Grande notícia

Andava há uns tempos a pensar em deixar ficar aqui uma boa notícia todos os fins-de-semana. Acho que todos precisamos de "carregar as baterias do optimismo" de vez em quando e a verdade é que TAMBÉM há boas notícias.
(
inicialmente, muito ambiciosa, tinha sonhado fazê-lo todos os dias, mesmo uma notícia pequenininha, mas dava trabalho demais andar à procura dela!)
Vou começar hoje! Cá se estreia a 'categoria' Boas Notícias.

Em experiências com animais com a doença de Alzheimer já se conseguiu a recuperação da memória e da capacidade de aprendizagem de novas tarefas
É claro que os especialistas avisam que "para passar desta fase experimental para uma aplicação terapêutica há ainda uma grande distância a percorrer, porque as doenças como a de Alzheimer são muito complexas", ou seja não serão possivelmente os doentes de hoje que vão beneficiar do tratamento, desta sinistra doença.
Mas, se estiver a funcionar dentro de 10 anos, que luz de esperança se acende!


11 comentários:

zorro disse...

Emiéle, esta é de facto uma informação esplêndida! Por motivos pessoais, vivi de perto com pessoas atingidas por este mal, e é coisa que me apavora vir a sofrer dele.
Se os cientistas mesmo os cautelosos, dizem que dentro de 10 anos a coisa poderá ser reversível, sinto um enorme alívio! Pelo menos aos primeiros sinais conseguir travar-se o monstro.

É de facto uma GRANDE NOTÍCIA.

Joaninha disse...

Claro que há o perigo de se «embandeirar em arco» antes do tempo, deve ser isso que os especialistas receiam, mas para mim tudo o que seja um passo no sentido certo deve ser divulgado que a esperança também cura!!!

kika disse...

Tenho muito medo dessa doença e tenho razões para isso. Essa noticia li-a esta noite (insónia) no Expresso .Senti um pontinha de esperança, e uma boa noticia dá-nos um certo alento.
Todos lhe chamam demência da velhice, refiro-me a alguns médicos e tardiamente fazem o diagnóstico, o que leva a que muitas pessoas percam qualidade de vida antes do tempo.A medicação existente é cara e portanto.. não digo mais...

sem-nick disse...

Olha, primeiro venho aplaudir a ideia de deixares ao fim de semana uma Boa Notícia. Caramba, se a gente não tem nem sequer UMA boa notícia por semana, onde vamos parar?!!!
E concordo que encontrares uma por dia, seria trabalhoso, mas uma ao fim de semana não é assim tão difícil...

Amigos, Kika e Zorro, também faço parte dos que receiam o nosso «primo alemão» sobretudo porque dizem que pode ser hereditário.
Mas daqui a 10 anos ainda não devo ter idade para estar na faixa dos candidatos à dita. Haja esperança, realmente.

josé palmeiro disse...

Poderia, agora, dizer que o sentimento que me assaltou depois de ler a notícia e os comentários, são o que penso, estaria a ser coerente comigo mesmo.
Quero entretanto dizer mais uma coisa:
- Tenho uma esperança, enorme, na capacidade dos investigadores e do sucesso, isto é, da vitória da ciência, sobre a doença. Tenho, até ao momento sido exemplo disso e espero continuar a sê-lo, razão do meu optimismo. Isto não quer dizer que "embandeire em arco", nem que acredite que as coisas aparecerão em tempo record, não! Estou convicto que se os esforços se não tivessem que dispressar em outros assuntos acessórios, como o desenvolvimento armamentista, que obriga ao desvio de avultadas verbas, em deterimento de serem aplicadas, naquilo que a humanidade, verdadeiramente carece.

King disse...

Boa ideia, essa de «uma boa notícia por semana»Bem precisamos de um pouco de sol (metaforicamente falando)

King disse...

Esperem nem falei do Alzheimer.
É realmente um pesadelo!
cada vez há mais «doenças neurológicas» ou o raio que é! Por todo o lado se ouve falar: Parkinsons, Alzheimers, aparecem cada vez mais cedo, pessoas com menos de 65 já andam apanhadas por isso. Conheço duas com Parkinson na casa dos 50!!!
Oxalá se encontre rapidamente uma cura ou pelo menos um modo de as travar - com a 'esperança de vida' (que ironia!!!!) a aumentar, a situação é dramática.

estrela-do-mar disse...

É uma coisa que me arrepia este aumento deste tipo de doenças e aparecerem em pessoas cada vez mais novas.
Vem-me à ideia o «Ensaio sobre a Cegueira» uns cegos a guiarem outros cegos, ou seja uns loucos a guiarem outros loucos, afinal. Tenho mães, ou avós, de algumas amigas apanhadas por Alzheimer, nalguns casos apenas uns indícios mas noutros já grave. Não digo a cura, mas ao menos 'travar-se' o seu desenvolvimento, seria uma bênção!

Maria disse...

"Uma notícia boa todos os fins de semana" é boa ideia e recebida com aplausos!

Quanto ao Alzheimer, como também disse o King, essa doença manifesta-se em pessoas ainda novas, tenho uma amiga diagnosticada desde os 50 anos,trata-se nos Estados Unidos e tem obtido bons resultados - no sentido de estabilização, não de cura.Ao contrário do sem-nick, se eu ainda por cá andar,estarei na faixa dos candidatos "precoces"(não sou assim tão velha).
Bom fim de semana e boas notícias!

Saltapocinhas disse...

Acho uma excelente ideia, essa das boas notícias!

E todos os telejornais deviam ser obrigados a fazer o mesmo, mas todos os dias.
Tu tens dificuldade em as achar porque não as encontras nas notícias que lês, mas lá que existem, existem!!
E deviam ser mais publicitadas!

Emiele disse...

Pronto, portanto a minha ideia da «boa notícia por semana» está aceite por unanimidade.
Para a semana vai haver mais (e como posso vasculhar pela semana toda, não duvido que apareça. Aqui para nós acho que até já a tenho... Mas fica para a semana!

Quanto à doença, tive um caso na minha família próxima e portanto é com muita angústia que falo. Desejo ardentemente que se encontre algo que a faça travar.
O Zé Palmeiro, que teve a experiência de uma doença terrível que conseguiu vencer, é uma prova da importância da capacidade de resistência e coragem para enfrentar estes momentos. A esperança e 'pensamento positivo' são também medicamentos, mas não há à venda nas farmácias.