segunda-feira, abril 27, 2009

Para «encher a casa»?...

O artigo até é interessante e faz sentido.
Parece que actualmente têm aumentado os movimentos que promovem ‘trocas directas’, sobretudo na net há vários sites que propõem objectos não exactamente para venda mas sim para troca. 'Toma lá, dá cá', e todos ficam satisfeitos.
O sítio mais famoso dizem que é o Freecycle
Mas neste artigo o que me fez rir foi este parágrafo:
"Os objectos para bebés e crianças estão no 'top' das trocas, [....] Seguem-se os móveis para encher a casa e os artigos informáticos."
Como?
Os móveis para ‘encher a casa’?!
Não sou minimalista, mas detestava ter a casa atafulhada!


9 comentários:

Joaninha disse...

Ehehehe!!!
«Encher a casa»?!
Deve ser erro de tradução ou coisa assim!
Com casas pequeníssimas como são as de hoje, aquilo «enche-se» mesmo sem querer...

kika disse...

Sinais dos tempos e da crise, que tb pode vir a colocar algum bom senso em cabecinhas que têm por habito deitar tudo fora... e lembrarem-se que afinal se fizerem esta opção há menos desperdicio e menos lixo.

sem-nick disse...

Isso da 'troca directa' é muito apelativo.
Claro que a expressão «encher a casa» dá logo vontade de rir, mas olha que há muito quem o faça! Atafulham a casa com milhares de inutilidades e queixam-se de que não têm espaço!

zorro disse...

Olha, escapou-me este post!!!!!

Claro que o modo de dizer é caricato. Eu cá queria era «esvaziar» a casa... mas entende-se o que queriam dizer e a ideia nem é nada má. Vou ver se acedo a esse site. Até pode ser que veja coisas que interessam em troca de outras que não me servem.

AB disse...

Aqui em casa há um monte de vinis que nem são meus e começam não só a atafulhar a casa como a paciencia.Ninguém está interessado?Na procura por esses sites de trocas ningúem poderá procurar outro alguém que os queira?Agradecida.Claro há sempre o caixote do lixo(e há sempre a possibilidade de me virem com o argumento do "fiel depositário")mas com a fúria com que já estou tenho a impressão que é argumento que vai deixar de "colher".AB

josé palmeiro disse...

A foto é apelativa...
A ideia de troca, também, mas nem para isso há tempo.
de momento poupar é mesmo não arriscar, nada a não ser com dinheiro vivo, pois é assim que se fazem, em tempos de crise, os grandes negócios.
No entanto, como "ele", não existe o melhor é estar quieto.

King disse...

Eu queria era «esvaziar a casa» isso é que sim.
Tá na cara que queriam dizer «mobilar a casa» mas essa do encher soa muito mal!

fj disse...

o pás,ha quem goste, respeitem outros gostos, ou os gostos dos outros.

Emiele disse...

Como disse, sem ser «minimalista» sempre preferi as casas onde há espaço, de modo que a expressão deu-me logo vontade de rir! Não gosto delas vazias, para mim uma casa tem de mostrar que vive lá alguém e um toque de confusão, mão faz mal, mas atafulhada é que não...

AB, estás cheíinha de razão, mas agora creio que ela vai vir cá em breve e se calhar os vinis vão de novo para casa dela, uma vez que já tem a tua opinião. Houve uma chatice grande com o filho dela e portanto vamos ter de ser de novo nós a resolver as coisas. Mas, pensando bem, estas trocas era capaz de ser uma ideia...