quinta-feira, abril 02, 2009

Amor de mãe

Bem espremido, heim?...


10 comentários:

josé palmeiro disse...

Eu sei, que depois do que escreveste, do pequeno-almoço, só podia dar nessa manifestação!

kika disse...

Ninguem por cá!!! oh zorro atacou-te o virus? Felizmente, nao fui atacada. Estas expressões de amor sempre me irritaram e há outras, bem piores, por exemplo atirarem com os bebés ao ar, que podem provocar sequelas invisiveis . Enfim.. nunca gostei!!

zorro disse...

Adivinhaste, Kika!!!
Tenho mesmo estado sem net.
:)

Realmente «meu rico filho», que nem pode respirar com tanto amor!!!!

sem-nick disse...

:))

E olha que essa imagem vê-se bastante!
Os putos esperneiam e só querem é fugir de tanto amor!!!

King disse...

:)

Sem palavras!

Joaninha disse...

Hoje chego tarde mas ainda cá venho (estou a ver como se arranja um nome com boneco aqui como o King e Zorro...)

Acho a foto um espanto!!!
Tal e qual! aqui é que «espremer» a criancinha!!!

Emiele disse...

Claro que o boneco foi para brincar um bocado, mas foi bem visto, Zé Palmeiro, parecia que estava a gozar
:)

Kika, de facto hoje chegou tudo muito mais tarde. os meus leitores das 9 horas atrasaram-se p'ra caraças!!!

Tia Brites disse...

Amor de mãe não eram aquelas tatuagens dos gajos que iam para Angola?

Miguel disse...

Bem,a sorte é que, naquela idade, tudo é muito maleável voltando ao sítio pouco depois, senão... lol!

Emiele disse...

Pois era Tia Brites!!! Eles antes de chegarem a vestir a farda começaram por ser assim, pequenitos e amados à força.
Miguel, se o puto ficasse amolgado assim, acho que a mãe tão amante, ficaria, ela, de cara à banda... :)