terça-feira, novembro 25, 2008

«Eles escolhem as notícias»...

Manuela Ferreira Leite aborreceu-se por serem os jornalistas a escolher as notícias que publicam.
Enfim, essa opinião já deu o que tinha a dar... Vamos em frente.
O engraçado é quando se manipula não as palavras mas as imagens.
E é mais engraçado ainda porque até há pouco tempo havia a ideia de que o que se via, via-se mesmo! A tal frase de que uma imagem vale mais que mil palavras, todos a conhecemos.

Engano!!! Nada mais enganador do que a tal dita ‘imagem’.

Lá pelas Franças estalou uma bronca: Um jornal, pespegou na sua primeira página, uma foto bem grande da Ministra da Justiça a quem fez uma entrevista.
Mas...
roubou-lhe um anel!
A sério! A senhora tinha um lindo anel, coisa elegante, digna de uma Ministra, porque não...?
Se a senhora tinha dinheiro para o comprar ou se lho deram, seja o que for, o que é que se tem com isso?!

Mas lá acharam que não ficava bem, e o Figaro tratou de retocar a foto e limpar a jóia.


Ai estes jornalistas!!!


9 comentários:

AB disse...

Rachida Dati é uma mulher muito interessante,.O problema do anel é realmente espantoso(e o anel tb.,olha lá ,um Chaumet dos a sério daqueles que a Barbara Guimarães recebe um dinheirão para usar cá uma vez).Mas fiquei com muita curiosidade foi em perceber o que é que quinhentos e tal magistrados reclamaram....AB

Emiele disse...

Ah é?
Uma figura como a Bárbara Guimarães «recebe» por mostra uma jóia?...
O mundo dquilo que tu sabes só tem semelhança naquilo que eu NÃO sei!

Na notícia não se sabia o que era o diferendo e eu não fiz o link para o Figaro, só para o boneco. Mas com persistência na busca talvez cheguemos lá.

king disse...

E actualmente estas coisas sabem-se logo!
Acredito que só de ver o anel muita gente nem ligasse ai seu valor. Olha, eu então, até podia pensar que era uma bijouterie vistosa.

Mary disse...

OK, aquilo era um anel de 15 mil e muitos euros. E depois?
Não entendo.
Ainda por cima ela é ministra da Justiça, não é uma pasta de «pobrezinhos» assim tipo «Segurança Social». E mesmo se fosse? Não deve ter sido pago pelo seu gabinete.
Choca mais ver sair uns senhores governantes de carros topo de gama várias vezes o preço daquele anel, e que foram realmente pagos pelo Estado. A toillete da senhora, se ela gosta de jóias é lá com ela!!!
Para leiga (a AB topou logo que aquilo era anel Chaumet) até podia ser uma bijouterie vistosa...

kika disse...

Por essa e por outras é que , cada vez eu acredito menos nos jornalistas e a mim influenciam-me pouco. São na maioria manipuladores de acordo as conveniências.Isenção e dar a noticia correcta para informar bem, os seus leitores é coisa que parecem esquecer-se.
Neste caso do post é cumulo, quase inacreditável , mas enfim..

Joaninha disse...

Deixa-nos a pensar e a tirar ilações...
Quanto daquilo que lemos ou «vimos» é certo e quanto é manipulado?
E o que é o «certo»?
Para a informação ser um tanto ou quanto isenta devia sempre ouvir 'fontes' de diversas áreas, mas isso faz-se? e quando os próprios se recusam a falar?

Claro que a manipulação da imagem, apesar de saber que se fazia, não pensei que se chegasse a «roubar» anéis dos dedos.
É que abre outras portas. também se poderá 'colocar' anéis nos dedos? E dar a entender que a pessoa é mais corrupta do que é? se calhar em certas guerras vale tudo

AB disse...

Mary, vem lá escrito.E sei que foi feito um contrato entre a Chaumet e a BG.Publicidade,ossos do oficio.Tal como a Isabella Rosselini ou a diva do St.Laurent recebiam balurdios para serem as "caras" das marcas.AB

josé palmeiro disse...

Estas, já não são horas de comentar o roubo do anel da Rachida.
Já viram o que diria a Manuela, se tem sido a ela? Se reclama por ser a 13ª, sem anel, nem se fala.

Emiele disse...

Ontem nem tive ocasião de vir aqui 'fechar a porta' e responder aos comentários.
Mary, o tipo de anel vinha escrito na notícia original, calculo que a AB não disse que era daquele criador só por uma olhadela ao boneco que aqui deixei. Ela sabe imenso, mas creio que não tanto.

Eu, por acaso, também sabia que havia actrizes e modelos que eram a 'cara da marca' de determinadas coisas - perfumes, etc. Mas não pensei que isso funcionasse aqui, AB. Só associo figuras dessas às propagandas dos Bancos - e agora até isso deve ser melindroso...