quarta-feira, fevereiro 17, 2010

Tempo/Prazo de Validade I

Este é um exercício a que me tenho dedicado periodicamente (e acredito que comece a incomodar por tão repetitivo) a revisão da minha vida aqui na blogosfera.
Já tem uns anos.
E é certo que ainda ‘exercem’ a sua actividade bastantes dos bloggers que conheci no início e vou acompanhando. Mas… também é certo que uma parte muito substancial dos blogs de que gostava, foi desaparecendo. É um sentimento que vou reencontrando todas as semanas
Quando entrei na blogosfera o primeiro que admirei e onde me ‘fidelizei’ foi o Blog de Esquerda, logo seguido de perto pelo Barnabé que tinha quase acabado de nascer. E depois veio o entusiasmo do Afixe dos primeiros tempos, ou do Ruínas Circulares. Como sabemos esses já se foram (ou ‘transformaram-se’ como diria o Lavoisier) Nesse tempo aureo eu ia sempre espreitar uma meia dúzia de outros, quer concordasse ou não com o que diziam, a sua leitura estimulava-me. Sentia-me animada. Foram muito bons tempos!
Bem, se derem uma olhadela na coluna onde tenho a bloglist com o nome de «Blogs Amigos» podem contar aqueles a que acrescentei RIP. São muitos. São demais.
Aliás há outros que não fecharam a porta de vez, mas escrevem uma vez por semana, ou até uma vez por mês para ‘manter a porta aberta’ Já «Não é a mesma coisa» como diz o anúncio…
A semana passada foi o Troll que baixou os taipais, e talvez fosse isso que me levasse a escrever hoje. A verdade é que «dos rapazes do meu tempo» as baixas são enormes. É claro que o nosso Charquinho mantém valentemente a bandeira levantada estes anos todos, e a querida Saltapocinhas também mantém a sua escrita, depois o Farpas ainda escreve mas também aí uma vez por semana, a Catarina tem épocas, mas também se passam semanas sem dizer nada, o Miguel-com-destino aparece mais nos comentários do que no seu blog. Claro que vão aparecendo uns novos! O amigo José Palmeiro têm o seu blog, um blog A Glória do Vulgar muito pessoal, diferente de todos os que conheço, e outros que eu vou espreitando sem comentar porque andam muitas vezes em guerras que não são minhas.
Bem, caros amigos, o ponto onde estou a chegar é que não me sinto já confortável no meu Pópulo. Mudei algumas coisas, desde o ano passado que passei a escrever apenas um post por dia embora mais extenso, mas já são muitos anos a virar frangos e a minha vitalidade tem diminuído. Como já todos perceberam muitas vezes escrevo o post na véspera, o que é uma batota inacreditável para a Emiéle que era conhecida por acordar muito cedo e escrever na hora. Já nem sempre escrevo de manhã. Assim como me sinto um tanto cansada com os temas ‘políticos’ que me empolgavam tanto e agora parece tudo ‘dejá vu’.
Escrevi muito. Nesta versão do Pópulo já são quase 3.900 posts! Sinto-me muito lisonjeada pelos milhares de comentários e pelo tom quase de chat, que muitas vezes as caixas de comentários pareciam…Este blog existe pelos seus comentadores/colaboradores.
Portanto, este é um aviso de que o Pópulo vai acabar. Sou muito cuidadosa e despeço-me com aviso, não se zanguem. Esta semana ainda vou andando por aqui, mas começa já a ser um sentido adeus.

55 comentários:

Zorro disse...

Querida Emiéle, sou dos leitores mais antigos e num certo sentido até te entendo. Tenho muita pena dessa decisão, mas compreendo. E se tirasses assim como «umas férias sabáticas»? Durante um tempo descansavas e uns tempos depois avisavas e voltavas...?
Mas tu é que sabes.

meri disse...

Nem sei que diga, Emiele!
Olha subscrevo o que disse o Zorro, percebo, mas tenho pena...

Joaninha disse...

Explicaste muito bem.
Sniff...

......
Ainda cá volto daqui a bocado. mas cá no fundo imagino que daqui a uns tempos vais ter saudades.

Anónimo disse...

Ooooooooooooooh!

Só sei dizer oh!
Ainda estou meio abalado.

Miguel disse...

Bem me parecia!...

Tenho muita pena, mesmo. Compreendo-te perfeitamente. Eu fiquei meses sem escrever e agora voltei. Escrevo quase todos os dias há já alguns. Em determinado momento, fiquei saturado de tudo o que fosse net e reduzi-me a ti, ao Pópulo, algum e-mail e pouco mais. Volta e meia, fico farto disto (da net, entenda-se...). Aliás, anulei a minha conta Facebook. Por tua causa, lá entrei, vi e optei por sair. Aquilo não é grande coisa... É um vício para as pessoas e retira-lhes vida, quanto a mim.

Deixar de te ler vai ser uma pena porque já fazias parte do meu dia-a-dia. Caramba!

Beijinhos e boa travessia!

King disse...

Eu até estou a sorrir a ver que aparecemos aqui todos por ordem: o Zorro, a Joaninha e eu... Somos os indefectíveis, não é?
Querida Emiéle, pondo-me na tua pele (não é fácil) consigo entender. O mundo da blogosfera mudou e sentes que o lugar que ocupas não é o mesmo. Além disso quase 4.000 posts é muita conversa (mesmo que muitos sejam canções ou desenhos...)

Só não me sinto mais triste ainda, porque acredito no 'ano sabático' e que daqui a uns meses apareça um Pópulo com outro nome e outro formato.

King disse...

Ah, outra coisa, quando recomeçares com outro nome (estás a ver a minha opinião, não estás?!) tens para aí o meu email e manda um toquezito, tá?!

Mary disse...

Estou como o Miguel: adivinhava-se...
Para quem te tem seguido com alguma fidelidade sentia-se que andavas cansada. E, tens muita razão no pormenor das horas - há dois ou três anos as notícias que comentavas mal tinham saído ainda no jornal, vias-se que estavas logo em cima do acontecimento. Actualmente eras mais reflectida, o que não faz mal nenhum, mas .... é outro estilo!
Um abraço!

E como dizes que ainda vais aparecendo uns dias por cá, temos tempo para as despedidas...

josé palmeiro disse...

Perante esta evidência, não sei que dizer!
O Pópulo foi para mim uma referência, foi digamos a minha luz. Era diferente dos outros, tinha mais a ver comigo e, ... , foi assim.
Quanto à tua decisão, só a posso aceitar mas, fica um vazio muito grande, no nosso coração.
Ficas com a porta da "sesta" aberta para o que queiras, disso podes ter a certeza e com a minha, sincera, amizade.

Anónimo disse...

Que má notícia!
este blog era especial, para mim. Nunca cá comento mas leio-o todos os dias. É oportuno, bem disposto, escrito de um modo muito coloquial mas com correcção, e os assuntos tinham interesse.
Tenho muita pena.

sem-nick disse...

Entendo muito bem que estejas cansada.
Mas como o meu «diagnostico» é esse, acredito que tal como o Miguel, o bichinho te morda outra vez e ainda te venhamos a ler, mesmo com outro cabeçalho :)

kika disse...

Oh Emiéle que quarta-feira de cinzas nais cinzenta!
Será que vai haver uma ressureição appós um periodo de quaresma??
Ainda ontem mesmo vinda de Barcelona cheguei a casa e quase logo vim ver o Pópulo e ainda lá deixei um comentário!
Este blog independentemente das opções politicas, tem um não sei quê na abordagem dos assuntos muito cativante e depois permitia-me a polémica as incompreensoes , leituras em diagonal, mas mais ou menos todos acabavam por não levar a mal ...
Tenho muita pena mas compreendo, que não te apeteça e de há uns tempos para cá, vem-se notando essa falta de vitalidade.
Só espero que a tua vida esteja bem
e se for esse o caso repito o que diz o Zorro
Felizmente tiveste o bom gosto de avisares, e muita consideração pelos teus amigos virtuais
Obrigada por isso, pois nao gosto de bater á porta e estar encerrada... fico a pensar no que se terá passado com a aquela pessoa e é um sentimento de angustia..

Hipatia disse...

Já pensei fazer o mesmo tantas vezes! Comecei o Voz em 2004. Não é dos mais antigos, que a euforia tinha sido no ano anterior. Mas o Voz ainda cá anda e quase todos os que lia já se foram: a minha coluna de Vozes Mudas também não pára de aumentar. E custa-me pensar que vou ter de acrescentar o Pópulo à lista muda. Mas percebo: isto está demasiado diferente do que foi, a carolice foi-se perdendo, Facebook e Twitter (ainda que também sejam moda) foram levando receptores e conversas e, às vezes, já nem entendo porque se resiste e insiste em escrever qualquer coisa. Eu já nem sei porque tenho ainda o Voz aberto. Talvez por teimosia, mesmo sabendo-o reduzido a 1/3 das visitas habituais. Será que ainda há quem me leia? Será que ainda me basta escrever para o éter, sem realmente importar que me leiam? Mas a verdade é que o motivo que me levou aos blogues (o primeiro de todos) foi a necessidade de escrever e assim organizar as minhas ideias. As visitas e os comentários vieram depois. E essa vontade de escrever, mesmo quando mais cansada, ainda não a perdi. Se fechas o Pópulo porque perdeste essa vontade, então tenho mesmo pena, porque sei que não voltas; se estás apenas cansada de tudo quanto é acessório a essa vontade, então tenho esperança que, no fim de umas férias merecidas, nos reencontraremos num destes cantinhos.

fj disse...

Pois se vem do fundo e não é só uma má fase,tem que ser...

Emiele disse...

Hei-de vir com mais tempo e calma responder a coisas tão simpáticas, aliás amanhã tenciono dar mais algumas explicações....
Mas não queria deixar de chamar a atenção para o Miguel e a Hipatia que «apanharam» muuuuito bem o que quis dizer. Olha Hipatia é mesmo mais cansaço, que o prazer de escrever isso faz parte de mim. Talvez daqui a uns tempos e noutros moldes.... sei lá!
Kika, foste sempre muito bem vinda, e até 'refrescavas' por vezes as coisas quando pareciam muito pesadas. Foste uma bela comentadora.

raphael disse...

Está BEM QUE TENHO COMENTADO AGORA POUCO, MAS SÃO COISAS CÁ DA MINHA VIDA. oLHA QUE CONTINUO A VISITAR-TE!!!


(Olha que gaita ficou tudo os gritos e não era issso que queria, mas não estou para voltar a escrever...)

estrela-do-mar disse...

Nãããããõ!!!!
está uma pessoa uns tempos sem cá vir e encontra esta notícia?... Buáááá´...

xxx disse...

....
vais voltar, aposto!
Um abraço.

Maria disse...

Eu, embora inconscientemente, tinha razão em não querer "aderir" à blogosfera...A partir do momento em que o fiz, Emiéle, através do teu blog (o primeiro que comecei a acompanhar e a comentar), afeiçoei-me - à tua escrita e à "pessoa" que fui passando a conhecer por detrás das suas palavras...Sou das leitoras e comentadoras mais recentes e a que, ultimamente, menos comenta mas, não deixo de sentir já saudades...E um sentimento de perda - por alguém que, embora virtualmente (seja lá o que isso for), já nos é querido... Espero um dia voltar a encontrar-te e, quem sabe, noutro “formato” - face a face..;))
Beijinho.

Emiéle - uma coincidência, a propósito das minhas "Bloggers” de estimação - a Castanha, das "Histórias de embrulhar castanhas", que há um mês tinha deixado de escrever e não dizia nada (eu andava aflita -a tal coisa de me ter afeiçoado) - hoje deu sinal de si - fiquei contente, por saber que ela estava bem - tu, hoje, dás sinal de despedida - fico triste (mas compreendo, até, nem sei como é possível alimentar, durante tanto tempo, um blog, como é o teu) - é a lei da compensação:))

Pedro Tarquínio disse...

Cara Emiéle

Não tenho tido ocasião de passar por aqui e logo hoje que o faço deparo com este post em jeito de despedida.

Por mim só posso agradecer as imensas horas que me tem proporcionado a ler os seus posts em diversos blogs.
Obrigado.

Emiele disse...

Querida Maria, sabes que também já quase ia por o RIP em frente do blog da Castanha?... Estava como tu, muito desapontada porque gosto muito do blog dela.
Mas as minhas razões são outras como já aqui contei. É claro que quem me acompanha só desde o ano passado ou coisa assim pode não sentir o mesmo, mas eu espanto-me da paciência do Zorro, Joaninha ou King, por exemplo!!!!
E claro que fico com este sabor estranho na boca - contente por receber estas provas de simpatia e por outro lado 'aliviada' por chegar ao fim :)

gui disse...

Só uma pergunta evidente: depois destes anos todos (5?6?) a escrever TODOS os dias não vais sentir que a tua vida vai mudar?...m :p

silvya disse...

olá Emiéle. que dizer, qundo parece que tudo já foi dito por ti e por todos os seguidores do populo? sou das mais recentes seguidoras, e lamento o seu fim. lamento como uma amiga, que não se conhecendo pessoalmente, vai-se vislumbrando aos poucos, porque ela assim o deixava.
sei, porque sim, que últimamente não vinha cá todos os dias, não dá.
não quer dizer que não tivesse pena, e não sentisse a falta.
escrevo por vezes coisas, que se calhar não fazem muito sentido, mas por vezes escreve-se num blog de quem não nos conhece, por isso mesmo.
do outro lado parece que nos "escutam", e isso é agradável.
é sempre triste dizer adeus. pessoalmente, prefiro dizer:
até logo, ou até depois.
e depois...nunca digas adeus. hoje queremos algo, amanhã outra coisa.
como o zé palmeiro, o king, a kika, a maria, o miguel, a senhora, e tantos que já falaram antes de mim, também acredito que será (talvez), uma paragem, um ano sabático.
e desde que não seja motivos de saúde, então...só desejo que tudo corra bem, mas voltarei sempre, nem que seja a noite, ou de manh~
azinha "espreitar", e aí, talvez apareça a "emiéle" a saltitar e a dizer "aqui estou".
não sei mais que dizer.
obrigada por estes momentos, e um abraço.
silvya, núvem ou mar...tanto faz

Emiele disse...

Olha Gui, é das coisas que tenho pensado: a minha vida quotidiana vai mesmo mudar!!!! É que isto é absorvente ´brava!
Pedro - Tens sido mais do que comentador, um amigo. Também vou ter saudades. A sério!
Silvya - és de facto das mais recentes mas tens um estilo muito próprio. Mesmo que não assinasses sabíamos que era escrito por ti, dás um toque pessoal ao que dizes. Também vou ter pena é claro. Mas precisava mesmo deste descanso. Tem sido muito ano.
Méri - vou escrever-te um mail, e um grande abraço.
.............
Aos que dizem que «vou voltar», embora neste momento esteja convicta de que não, há uma frase popular que digo muitas vezes «nunca digas desta água não beberei!» ou seja, projectos definitivos são muitas vezes um engano.
Mas claro que não é issso que agora penso.

Saltapocinhas disse...

Mais uma vez, quase no fim dos comentários (e ainda não é meia noite nem nada!)

Eu compreendo-te, mas não posso aceitar...
O teu blog acabar é assim como se acabasse a blogosfera. Para mim, "blog" e "pópulo" são sinónimos!
Por isso vai descansar e qualquer dia voltas.
Eu não ando cansada, mas compreendo-te porque o meu entusiasmo também não é o mesmo.
E não é por causa do facebook porque não percebo nada daquilo nem lhe acho grande piada.

Apetece-me escrever só às vezes e comentar... raramente.
Por isso te compreendo bem.
Mas no dia em que quiseres desabafar, vais fazê-lo onde, se não tiveres blog?
Onde?
Hã??

Saltapocinhas disse...

(que raio de português, mas acho que dá para entenderes o recado)

Emiele disse...

Um beijo Saltapocinhas, és mesmo um amor! Já lá te vi no FB mas estou como tu, não-é-nada-a-mesma-coisa!!
Mas por agora tou mesmo desmotivada...

Hipatia disse...

Volto para uma pergunta: com tanta gente já desaparecida e tu a bateres com a porta agora, quer dizer que me vais deixar sozinha no dia 23 de Fevereiro?

Emiele disse...

Hipatia, no dia Z, dia do Zeca posso sempre colaborar de muitas formas. Assim todos se lembrem!

....................


Nota - hoje não deixei espaço para comentários porque creio que se disserem todos aqui. O post de hoje era só o Adeus. E quem só cá chegar agora pode sempre dizer o que entender aqui...

meri disse...

Pois..."inté", Emiéle!
Um abraço

josé palmeiro disse...

Vou aproveitar, uma vez que foi essa a oportunidade que deixaste.
É numa manhã radiante de Sol, que volto para reler todos os comentários, creio que trinta, e reler o post do "Tempo/Prazo de Validadel". Não, não me canso, fico é com um nó na garganta por ver toda esta gente, que só se conhece daqui, alinhar em uníssono e sentar-se ao redor do "PÓPULO", qual lareira que nos aquecia a todos.
Optaste por acabar, sei que tens as tuas razões, respeitáveis, diga-se de passagem, e por isso as aceito sem discutir, mas quero envolver todos os que por aqui passaram num grande abraço, na certeza de que somos, todos, verdadeiros amigos.
Um abraço "ATLÂNTICO"!!!
Até um dia!!!

Miguel disse...

Realmente, eu não gosto nada destas coisas. É uma pena! Já viste bem a quantidade de pessoas que aqui marcavam ponto de encontro, como bem diz o ZP?

Mas pronto... Ficamos assim,órfãos, snif!

A luta, essa, continua. Até que a morte nos separe!

Um abraço a todos.

Maria disse...

Pois, Emiéle -"uma frase batida"- o que tem de ser tem muita força...Foi bom, ter-te encontrado, fui bem acolhida, proporcionaste-me um agradável convívio com os restantes comentadores( os teus seguidores mais antigos e os que vieram depois de mim) - a ti e a eles - obrigada e um grande abraço- do tamnho do mar que nos separa...:))
Beijinhos, e, já sabem, para o que der e vier o meu endereço electrónio - maabcmaria@gmail.com

"Até sempre", Emiéle, com carinho - um poema do nosso "grande" poeta Vitorino Nemésio (dito por Manuela de Freitas, em "Poemas de Bibe") http://www.youtube.com/watch?v=n9yTXi0_VZE

Paz disse...

Acho que o Zorro tem razão. Então depois de ter lido o prazo de validade II as lágrimas vieram-me aos olhos...mas vou interpretar isto como uma sabática...habituaste-nos às tuas palavras. Um grande abraço e obrigada pópulo pelos momentos de inteligência e sensibilidade que nos ofereceste.

Anónimo disse...

Por acaso é uma grande mentira essa do «tem mais encanto na hora da despedida»... Também estou aqui de lagrimita ao canto do olho. Como a saltapocinhas eras um símbolo da minha blogosfera...

SD

silvya disse...

ola´. ainda com esperança de que seja lida...pois como refereiu o ze palmeira, é a última oportunidade que nos deixaste.
tenho que agradecer-te emiele, o comentário simpático que me deixasteontém, hoje(?), já não sei, está tudo muito baralhado.
sim. eu assino, com um dos meus nomes, mas quem me conhecer bem, identificar-me -ha, e saberá que sou eu que escrevo com prazer, para registo de memórias e lembranças. tenho pena, como ontém, ou será já hoje?
não sei definir, como não sei definir tanta coisa, embora tente. é o que faz ser humana e tentar entender.
não sei dizer mais nada. estou muito sentimental, pois no fundo não passo disso mesmo.
como a maioria deixo um abraço forte, e o desejo de que um dia ao abrir a página, apareça de novo e sorridente: "Aqui estou".
até um dia.
silvya

kika disse...

Compreendo-te tão bem, pois tambem ando saturada, e se no filme Invictus se interioriza a ideia de que "A mente é o meu destino"
no "Tudo pode dar certo "do Woody Allen, é o inverso é a sorte que nos comanda e ponto final.
Não sei!
Apenas digo que perco tudo o que gosto e esse é o meu destino!
Até com o Pópulo tinha de acontecer!
A politica não é tudo e vemos que
ficamos impotentes face a tudo o que se está a passar e ainda está para vir!
Já não há homens como Luther King ou Mandela, porque será?
Émiéle um grande beijinho e oxalá seja até breve!!!

Emiele disse...

Seria uma mentira dizer que fiquei surpreendida pelos vossos comentários. Confesso que esperava. Mas não esperava TANTOS!!! Nem de tanta gente!
E, é curioso, que quem mais facilmente vestiu a minha pele foram os colegas bloggers, ou sej há algo que não se consegue comunicar mas todos nós sentimos.
Também me senti contente com telefonemas que recebi, sobretudo o que depois se cristalizou aqui assinado Paz, e que veio da Dinamarca. Tive de sorrir ao ouvir a voz distante inquieta «mas o que se passa?» E por cá também tive alguns telefonemas e sobretudo emails que agradeço com toda a sinceridade.
Possivelmente mais para a tarde vou dar umas respostas mais individualizadas...

Joaninha disse...

Engraçado, ainda cá volto porque fiz uma experiência - recomecei a ler este blog do princípio para o fim. Vulgarmente a gente vai andando para trás, como um arquivo, mas se formos ao Novembro inicial, de 2006 e começarmos a ler os posts na ordem porque foram escritos, tem-se uma panorâmica da vida deste país girísssima!!!!
E nem chego ao ponto de aconselhar a ir ler o outro Pópulo da weblog, que ainda é mais engraçado!
........
Acho que ainda vamos ter aqui material para nos entreter durante umas noites de chuva lol!!!
Abraços a todos!!!!

Maria disse...

Joaninha, estou a fazer o mesmo, obrigada, outro para si...

lillifee disse...

Que pena! A passagem pelo seu blog tem sido diária. Foi com muito prazer que li os seus comentários sobre a vida portuguesa, sobretudo as belíssimas e bem perspicazes críticas sociais a aspectos da "nossa" cidade (também minha ), que seguia à distância pelo Pópulo. Ainda esta semana, fechada no meu "iglo"na Floresta Negra, após fortes nevões, me serviu de janela!!! É pena que corra as cortinas...Até sempre!
Lillifee

Didas disse...

Ai m´lher conheço bem este sentimento. Mas acho que voltas. Um abraço!

shark disse...

Olha, fiquei sem jeito mas muito sensibilizado pelo pormenor de eu manter sempre a bandeira levantada. As amigas a sério são assim, generosas na forma como nos elevam (o ego) aos mais altos planos e nos fazem sentir parte de algo.
E esse algo é esta comunidade que, com os seus altos e baixos, fazemos pela bebedeira de liberdade de expressão que representa e tu tão bem ilustras.
Acho que não podes parar, desculpa lá o meu jeito.
(E já estás há demasiadas horas sem postar, digo-te eu. Queres apanhar alguma filoxera, rapariga?)

josé palmeiro disse...

E, "porque hoje é Sábado", deixem-me desejar-te um Bom Fim de Semana.
Quanto ao vir aqui, que queres?
É um hábito!

Emiele disse...

Também ainda passei por cá! (o hábito é tramado, não é?...?
Didas e shark agora vou ter mais tempo para passar por vocês e deixar comentários mais ... mais quê? mais pensados? Bof...
É curioso descobrir (mas só pelo email que o acompanhou....) a minha leitora lá da Floresta Negra. Então eras tu??! Vou responder com calma por email.
O comentário oriental fica sem resposta, é claro, e ao amigo Zé agradeço o 'hábito' de passar por cá para a bica do costume e dois dedos de conversa... Já vou ao Sesta!

silvya disse...

vim cá, quando não tinha a certeza do que viria ou não encontrar. é um hábito, não é?.mas é engraçado, não fui a única, até tu emiele, ainda cá vens de "fugida"...
só o hábito? será?
ainda tenho esperança de ouvir uma "música" ao domingo.
vou seguir atentamente o blog, do ZP. não tenho lá ido, e...é pena.
até depois Emiele.
silvya

snowgaze disse...

Da minha parte, um grande obrigada pelo que tens escrito. E espero que mais tarde ou mais cedo mudes de ideias e te volte a encontrar neste ou noutro blogue qualquer. Felicidades.

Maria disse...

"A paciência é de facto uma grande virtude", Emiéle, na voz do "nosso" Grande Zeca...;))
http://www.youtube.com/watch?v=Xo1N1EAThrc
Um beijo

josé palmeiro disse...

O hábito é tão grande, que vim espreitar!!!
Amanheceu com Sol na minha Ilha!!!
Um bom Domingo para ti, amiga!

King disse...

Sabes ZP que me acontece o mesmo? Todos os dias, ligo o PC, vou buscar uma chávena de café e clico para o Pópulo!!! Não há meio de perder o hábito! por acaso nunca o confessei aqui, mas já que li aquilo que deixaste, tive de vir concordar.
Esqueço-me, bolas!!!

silvya disse...

teimosia, persistência, esperança, hábito? chamem-lhe o que quiserem, mas mesmo assim aqui estou a espreitar, mas...nada. de qualquer modo de vez em quando, ou de quando em vez, aqui virei, quem sabe? pode ser que o pópulo desponte. afinal hoje é março, e daqui a nada é primavera.
espero que a saúde , assim como a exaustão ou preguiça passe rápido.
abraço
silvya

meri disse...

Pois eu não te tiro do google reader... e hoje cá vim ver estes comentários, que calculei que seriam muitos. E são!
Olha vê lá se passas lá na minha tasca :) é doutro ramo mas dá para nos encontrarmos :)))

josé palmeiro disse...

Pode parecer teimosia, mas não, é por hábito. Entrei entretanto no Face que me tem dispersado, um pouco, dado o imediatismo do mesmo.
Voltei hoje e dou com a Silvya e com a Meri, gente que não desarma, enfim.
Apelo aqui à Silvya, para me mandar um endereço para ver se lhe explico como se entra na SESTA.
Adorei ir ao Blog da Meri, e vou tentar fazer o ponto de "ajur em zig-zag". Aliás para nós, homens, só em zig-zag.
Foi com prazer, muito, que aqui voltei!

meri disse...

Ó Zé Palmeiro só tu me farias dar uma forte gargalhada a estas horas!!!
Obrigada pela visita :)))
Ó Emiele, e tu?? Não queres tentar um ajour em zig-zag

Aureliano Vedora disse...

Fui um dos comentadores passageiros a que aludiste (aliás, só sobrevivo na blogosfera com idas e vindas), mas não tenho dúvidas de que o "Pópulo" me permitiu esgrimir os primeiros sobressaltos blogóticos e a ti, Émiele, te devo o sucesso ou insucesso desta investida.
Por tudo isto, espero que esta despedida seja um breve até já, quiçá trajado de outros cetins.

Até lá!
André Medeiros Palmeiro