segunda-feira, dezembro 14, 2009

Conteúdo e continente


O mês de Dezembro está quase a meio, o Natal anda pertíssimo, e desta vez eu que começo os festejos desta época do ano cheia de entusiasmo e com tudo planeado a tempo e horas, parece-me ter sido mordida pela mosca do sono, e ando para aqui ao ralenti... Depois algumas das minhas amigas decidem ir passar «as festas» para longe, onde vivem os filhos ou os amigos, e portanto o meu círculo fica mais pequenino e reduzido.
Mas enfim, depois de um arranque difícil, este fim de semana todo começou a andar como deve ser. A minha grande árvore que vai recolhendo enfeites de há dezenas de anos (os que não se têm ido partido, é claro...) já brilha no esplendor das suas muitas dezenas de luzes, as portas têm as suas coroas como deve ser, há fios doirados e sinos pela casa toda, só alguém completamente distraído não repara que nos aproximamos do Natal!
Este fim de semana, tratámos de uma parte divertida, desde que se leve a coisa para a brincadeira: embrulhar presentes!
Já aqui tenho explicado que na minha família se evita a prenda comprada na véspera e despersonalizada. O Natal é uma festa fixa, todos os anos cai a 25 de Dezembro pelo que não compreendo como se pode ser apanhado de surpresa «como?! O Natal é depois de amanhã?! Mas não costuma ser em Fevereiro?...» Se gostamos de oferecer prendas de Natal, temos meses e meses para pensar no assunto. (e se não gostamos também seria melhor assumi-lo, e pronto!) Portanto na minha casa, começamos a pensar nessas prendas sempre que vemos algo que ‘encaixa’ no gosto de alguém. Vai-se guardando, com calma, numa grande gaveta. E nesta altura, vem a animação dos embrulhos!!!
E foi nessa animação que passámos o último Domingo. Pode ser divertidíssimo. Embrulhar um romance seriíssimo num papel próprio para crianças. Uma caixa de sapatos, cheia de algodão, e embrulhada em papel de prata, tendo lá dentro uma faquinha de manteiga. Embrulhar num embrulho único quatro ou cinco prendas de pessoas diferentes. Ou, pelo contrário, desmontar em peças o aparelho que se vai oferecer e embrulhar-las em cinco embrulhos diferentes (para fazer render o peixe, e as gargalhadas!)...
Desde que haja imaginação, a tarde do embrulho das prendas de Natal, pode ser das mais divertidas deste mês!
Digo eu!

14 comentários:

sem-nick disse...

Como todos os anos costumas escrever umas coisas sobre estes vários símbolos do natal, até tinha estranhado.
Recordo uma vez em que exactamente sobre as prendas explicaste que muitas vezes os teus presentes não eram 'comprados' e sim feitos com muita imaginação...
Aqui vem uma prova - o modo como se embrulha já ele mesmo pode ser um brinde!!!

Joaninha disse...

Também me lembro de teres falado, talvez o ano passado, em que evitas no Natal, comprar coisas e são coisas que ou fazes (frascos de compota) ou constróis ( uma bricolage qualquer) ou costuras, ou....
A coisa mais difícil são os putos. QUEREM as coisas com que sonham e que os outros têm (ou a tv lhes enche a cabeça) e é um desespero que não corre como pensam.
Outros tempos...

Mary disse...

Post enternecedor e que me remete para a adolescência...
Agora temos a mania de que não temos «tempo» para essas coisas e depois vamos gastá-lo em parvoíces tais como andar a ver montras nos shoppings!!!
.......
Há coisas que não se deviam perder.

silvya disse...

estava dificil aceder hoje ao blog. erro meu, má fortuna e...etc, etc...
Natal, árvore e afins. quem não gosta do natal? eu adoro o natal, pelo que ele representa no imaginário de cada um de nós.
não só pelos presentes, mas pela azáfama em si. pela reunião familiar, que aumentou substancialmente devido aos casamentos dos sobrinhos,e por conseguinte a entrada de novos membros acolhidos de braços abertos. e claro os presentes que são agradaveis de abrir, e retribuir.
e o natal, é isso mesmo: Retribuir, e Partilhar!
partilhar sorrisos, abraços e lembranças. cada um de nós levar algo que seja feito pelo próprio para alegrar a mesa e tornar um pouco mais leve o trabalho a sério de quem prepara a ceia.
nessa noite tenta-se colocar de lado, a tristeza.
daqueles que já partiram e dos que não estão connosco por opção.
mas Natal, é tempo de Paz e Amor.
embrulha-se essa para que nada estrague o momento presente, e contamos histórias as crianças que vão crescendo, e com elas relenbramos assim os nossos natais passados, quando muitos eramos apenas una família feliz.
Natal...

Zorro disse...

Andamos todos muito mortiços estes dias... Até aqui um post bem disposto como este fica com tão poucos comentários... Tá mal!
......
A verdade é que nestas coisas, como em tudo, o que se torna numa obrigação perde roda a piada.
Oferecermos umas gracinhas à malta da família ou amigos mais aproximados, tem a sua simpatia. Quando é aquela estucha de toma-lá-dá-cá com todo o bicho careta com quyem por algum motivo temos relações, é um pavor!!!
Por aquilo que contas, a tua versão é a primeira. Meia dúzia de coisas, bem pensadas, e escolhidas mesmo para a pessoa que a vai receber. É giro e alegre.
Não tem nada a ver com entrar numa loja e comprar 10 camisolas de cores diferentes para dar a 10 criaturas de quem nem sabemos os gostos... Há um sistema bastante mais simpático e intelectual que é resolver questão numa livraria - compram-se 10 livros com talão para poder trocar, e pronto.
Enfim...

Mary disse...

Zorro, tens razão e eu muitas vezes uso essa da livraria. Com menos sentimento de culpa.
Contudo a pergunta mantém-se: que é do espírito do Natal? Porque a ideia é pensar em cada pessoa, uma a uma. e pelo que diz a Emiéle, ela tenta fazê-lo.... pelo menos nos embrulhos...

kika disse...

Há pouco vi numa loja uma senhora a mandar embrulhar um a um ,dez castiçais que eram uns nicos de 3 cm de altura!
Pensei , ainda bem que não te conheço...Isto vai de encontro ao que o zorro tambem referiu.
Trata-se mesmo de toma lá dá cá!
Quando me sai assim alguma coisa na rifa,vai direitinha para as lojas solidárias
Concordo contigo Emiéle nada como algo personalizado ou então algo que se veja!!!

josé palmeiro disse...

Esta alteração dos hábitos, em que a troca de prendas, excede a minha perspectiva, fico um tanto ou quanto fora de jogo nessa azáfama. Depois, gosto de comprar as prendas, que tenho mesmo que fazer, mesmo em cima do acontecimento, embrulho-as eu mesmo no maior isolamento possível.
Há também uma razão para isto, é que são comemorações a mais, começa antes do Natal com os anos de casado, depois o Menino Jesus e em Janeiro são os nossos anos, meus e da minha mulher, isto fora os anos de um cunhado e dos meus sobrinhos, tudo em Dezembro, um ror deles, de forma que há que ter contenção e parcimónia, pois os Euros, vão-se, num instante e a boa disposição para os embrulhos, também.

josé palmeiro disse...

Volto para dizer que estou de partida para os Açores e por isso, a minha presença será assim, sem hora marcada.

fj disse...

São realmente sensacionais em tudo.Kika ainda não estás livre, ainda pode aparecer um parente qualquer com ideia aproximada. Espera pelo 25.
Estou contigo Zé Palmeiro ( só "vocês " me conseguiram consolar orar a olhos vistosdepois do que vi com o ULeiria---mas ponham-se a pau que os gajos do norte estão a melhorar a olhos vistos, boa sorte ).

josé palmeiro disse...

FJ, não penses que me sinto confortável com a situação do teu/vosso Sporting. A subida dos portistas, só é preocupante porque assenta nos presupostos, por todos conhecidos e que eu não gosto. O campeonato sem o Sporting em condições, não é um Campeonato. Que o Menino Jesus, vos traga a força necessária para mudarem de rumo.

Saltapocinhas disse...

Também prego algumas partidas por esta época, mas este ano ainda não preparei nenhuma...
A única coisa disparatada que fiz foi comprar um pacote de "farinha pensal" que sei que o meu filho adora (aqui há tempos disse que tinha saudades de papas pensal...).
Ainda não embrulhei, mas o embrulho não pode ser óbvio...
Gosto dessa parte dos embrulhos e raramente peço para os fazerem na loja.
Este ano ainda nem a árvore fiz :(

Alex disse...

Ora bem, estamos mais bem dispostas, não é verdade?

Explica-me lá essa das duas coroas "como deve de ser"; é que essa parte eu não sei.

Beijo

Emiele disse...

Alex, expliquei-me mal: é uma coroa por porta.... nada de exageros. Uma à entrada, e em cada quarto tem uma a condizer - não é grande luxo mas dá ar festivo. (estou um tanto menos em baixo, sim; vou telefonar-te para o tal almoço)
Caríssimos, isto depende de cada um, é claro. E só resulta quando damos meia dúzia de lembranças; o exemplo da Kika dos 10 castiçais iguais é a tal coisa que não se deve fazer!!!!
E a Farinha Amparo da saltapocinhas está inteiramente dentro do espírito de que eu gosto! :)