quinta-feira, novembro 12, 2009

S. Martinho


Ontem foi Dia de S. Martinho.
A seguir à trindade dos Santos Populares (António, João e Pedro), julgo que é o mais famoso. Parece que festa de santo que é Santo mete comes e bebes. As sardinhas e o vinho lá em Junho, e as castanhas e água-pé agora em Novembro. Sem isso não tem graça nenhuma.
Claro que os mais profanos podem pensar que esta é uma festa mais arcaica e afinal pretende despedir-se do Verão e celebrar a chegada do tempo mais frio. O tempo ainda está hesitante se faz frio ou calor, por isso se fala no Verão de S. Martinho. Depois, as vindimas estão feitas, há vinho novo e a dita água-pé, o que evidentemente convida à festa.
E, o mais engraçado, é que tirando os meninos das escolas que bem ensinados pelas suas professoras ou educadoras lá vão fazendo desenhos e contando a lenda do S. Martinho (embora nem todos como conta a Saltapocinhas), a malta adulta fixa-se mas é no tema de as castanhas serem melhores cozidas ou assadas, vai-se arreliando porque elas estão cada vez mais caras e estranha-se que os vendedores já não as embrulhem em papel de jornal que a asae não deve gostar, ou se a jeropiga e a água-pé vale a pena beber-se ou se avança logo para o vinho tinto...
Mas o ritual de beber vinho e comer castanhas neste dia é cumprido por toda a gente!
Quanto à lenda, em si, é realmente um tanto estranha, como lembrou ontem a nossa amiga do Histórias de Embrulhar Castanhas. Contou ela que, quando era criança achava a história mal contada, porque Deus que é Deus não devia fazer uma tal trapalhice.
Cito:
«Cabe na cabeça de alguém que quem tem poder para tudo e mais alguma coisa...
a) deixe que faça frio e chova em cima dum mendigo quase nu?
b) espere que um cavaleiro corte ao meio uma capa que deve ter sido super-cara para logo a seguir fazer parar a chuva e abrir o sol?»
Certo.
Quem precisava do tal bom tempo era o mendigo, antes de receber a capa, é claro!

16 comentários:

josé palmeiro disse...

Sempre gostei desta lenda e sempre acompanhei a minha Educadora de Infância privada, na sua longa vida de trabalho, por essta altura. Era sempre o tempo de dar conhecer a dita.
Quanto à possível contradição, vamos lá ver: Ainda bem que ele lhe deu a metada da capa, sem atender ao tempo meteorológico, pois só se baseou no velho ditado popular que diz que: "O que tapa o frio, tapa o calor!"
Um Bom Dia a todos!!!

Emiele disse...

Zé Palmeiro a critica da Castanha Pilada não era ao S. Martinho, tão bonzinho, era a Deus. Quando ela era criança é que achava que Deus devia andar a pensar noutra coisa e só tinha caído em si e feito bom tempo quando reparou no gesto do S. Martinho... :)

fj disse...

O Martinho ficou santo só por dar metade da capa?! Vou pensar nisso, e, ao menos no dia de todos os santos
serei louvado.Nunca teria pensado nisso sem a investigação da nossa especialista em castanhas.e não terei de levar com setas, ser queimado vivo ou qualquer dessas coisas a que os santos estão tão apegados.

josé palmeiro disse...

Tens razão, era Deus, mas como eu não acredito em Deuses, fico-me pelos feitos dos HUMANOS.
Fj, se fosse como dizes, havia muitos santos, por aí: S. Valentim L; S.ta Fátima F.; S. Isaltino M.; e por aí fora.
Quanto a nós, simples mortais, cá vamos andando "c'o a cabeça, entre as orelhas", como diz o Sérgio Godinho e por isso, comemos as castanhas e bebemos a bebida que houver, seja ela Água-Pé, Jeropiga ou um bom Vinho, (tinto ou branco).
À Saúde, de TODOS!!!

Mary disse...

Primeiro, o blog chama-se «Histórias de Embrulhar Castanhas» portanto é de esperar que aproveite o tema S. Martinho que é quando se embrulham as castanhas (e não é em cartuchinhos assépticos por mais que asae embirre...)
Quanto ao fj, está cheio de razão! Então há para aí uns desgraçados comidos por leões, espetadinhos com setas, queimados vivos como a Joana D'Arc, e um tipo montadinho num cavalo com uma armadura e tudo, só porque oferece metade da sua capa (nem é a capa toda!!!) fica santificado?! Tá mal! Não há moralidade. Eu própria já tenho dado umas coisas a uns pobrezinhos e não acredito que tenha lugar lá no céu, nem comem nada em minha honra! (não sou esquisita, podiam ser sardinhas, castanhas, ou um bife do lombo)

Joaninha disse...

Nham, nham, que post apetitoso. Essas castanhinhas até parecem quentes! Falta a pinga.
É claro que a festa é de origem pagã, isso está na cara, mas são as melhores, não é?

Gostei imenso das considerações do fj e Mary!

Amigo Zé Palmeiro, se vamos santificar esses senhores e senhoras que fazem a multiplicação das poupanças (dos outros) para si mesmos, a coisa fica interessante. LOL!

fj disse...

Mary obrigado, alargas o meu pensamento para dimensões que não contava. E nota que com os novos critérios de bolonha para a beatificação nem exigimos muito!Brigado pá.

Anónimo disse...

E afinal a Emiéle deixa aqui as belas castanhas que até parece cheirarem e tudo (boa imagem!) mas quanto a pinga, nada!!!
Tá mal!

sem-nick disse...

Não podia. A pinga entornava-se e sujava o blog todo. Repara que o monitor está ao alto e escorria tudo para o teclado. Já as migalhinhas das castanhas, sacode-se o teclado e pronto! :)

Tens piada lembrar essas histórias que as crianças aprendem e não esquecem. A Castanha Pilada tem lá das mais engraças histórias de infância! E para os educadores o ano escolar vai-se dividindo em festas e mais festas: as grandes Natal, Páscoa, Ano Novo que até implicam férias. E há o Natal. E o Dia da Mãe e mais o do Dia do Pai e agora já há o dos avós (faltam os padrinhos, os tios, os irmãos, os primos...) Temos o Carnaval. E de importação temos o Dia das Bruxas (o tal do pão-por-Deus) e já o Dia do Namorado (S. Valentim. O S. Martinho é claro. O Sto António, São João e São Pedro que até dá direito a feriado. O Dia da Espiga. Depois «Dias de» que se vão criando e dão muito jeito ás uducadoras: Dia da Árvore, dia da Água, dia da Música, dia do Livro....
Cá por mim, uma educadora atenta tem sempre todas as semanas algo a celebrar o que lhe dá jeito para o seu ensino, não é?

King disse...

É claro que a festa é bastante pagã, afinal a festa das colheitas....e quando o vinho fica pronto!
E bem bonita festa!
Quanto ao S. Martinho e a capa é para justificar o dito «Verão de S. Martinho» se a natureza tem dessas maluquices tinha de haver um milagre que tornasse o frio em calor, não é?

cleopatra disse...

olá. Ontem foi dia de S.Martinho, e...ops, não comi. Não faz mal, come-se hoje ou amanhã, quando se quiser.neste blog existem sempre
alguns comentários na minha opinião impecáveis, e não tinha relacionado. No entanto há pessoas que estão distraídas, não?
oh! FJ, e Mary: não é necessário sofrer como o S.Sebastião, cravado de setas,queimadinhos etc, porque todos temos um dia dedicado a nós, "os santos e os pecadores", celebrou-se há pouco tempo, não se lembram?
no dia de Todos Os Santos, todos o somos.
Esse dia é dedicado aqueles que perante as leis da Sta Sé, foram reconhecidos e também dedicados a nós gente comum, que podemos diariamente fazer actos que nos façam sentir bem, mas que façam principalmente bem aos outros.
é esse o dia que por sinal é feriado, e nos sabe tão bem.
quanto as castanhas, são tão boas, quando o são. quentes, tostadas, cheirosas....
hummmm. Que fome.
já agora, e porque já percebi, que há neste blog quem goste de cinema, há um filme com o Robert de Niro e o Sean Pean, que se chama "Ninguém é Santo". é giro, e vale a pena.
é divertido e ajuda a passar tempo agradavelmente.
quanto a mim, não tenho aspiração a santidade.
cleopatra

Joaninha disse...

Cleo, por caso a Emiéle quando fala de cinema até deixa uns posts formidáveis, mas fala relativamente pouco, sim. Mas aqui esta 'comunidade' gosta imenso de cinema sim! O blog tem ali uma categoria de 'filmes' mas foi uma altura em que ela decidiu mostrar-nos uma colecção de cartazes de filmes antigos para a gente matar saudades.... Numa certa medida essa rubrica devia ser uma sub-rubrica do «Era uma vez....» que é só de recordações.

kika disse...

Vivam as castanhas quentinhas e boas!! E essas estão bem apetitosas.
São de rua, em casa não ficam assim, mas gosto de castanhas e de lendas!!!

Emiele disse...

É bom, não é?

Há já vários anos que tenho festejado o S. Martinho em casa de uns amigos na Golegã, e tenho deixado aqui o testemunho. Ainda encontrei POR AQUI um antigo post sobre essas visitas. Vou ver se encontro o primeiro de todos. Mas este ano faço gazeta, embora esses amigos não mereçam a minha falta, ando muito cansada para um dia tão agitado. mas perco um magnífico magusto, lá isso...

josé palmeiro disse...

Estive a espreitar o excelente link que tiveste a amabilidade de nos deixar.
É, na verdade, uma festa magnífica e única. Este ano tive um convite de um amigo que tem lá uma casa e que todos os anos, junta os amigos numa sucessão, "báquica", de selhe tirar o chapéu mas as mudanças e o cansaço, que é imenso, não mo permitiram.
Fiquei, cheio de pena.

Emiele disse...

Engraçado Zé. Serão os mesmos amigos?... Se calhar já nos temos cruzado na feira! E, exactamente este ano também vou faltar pelos motivos de que falas :)