sexta-feira, outubro 09, 2009

Diminutivos

Não vou dizer que os não uso. É claro que sim. E é uma das belezas da língua portuguesa, os «inhos» ou «inhas» tão doces no final de algumas palavras. Não tenho nada contra os diminutivos.
Mas… só nalguns casos e moderadamente. A imagem que evoca um passarinho é diferente de um pássaro, um pintainho soa melhor do que um pinto. São diminutivos de substantivos, referem-se a uma coisa mais pequena (‘pequenina’ :) ) e tem um toque de ternura. Gosto.
Por vezes também se usam em adjectivos, e aí muitas vezes pode soar irónico, um tanto trocista: dizer de algo que é bonitinho, não é tão bom como que bonito. Mas também uso bastante - porque não? - o ‘fresquinho’, o ‘baixinho’, o ‘baratinho’.
Já embirro, de um modo geral, com as cores em diminutivo. Dizer o amarelinho, o azulinho, raramente me apanham nessa. Parece-me ridículo. Não acho que acrescente nada.
Mas há ainda outro tipo que até me faz pele de galinha – quando a palavra se usa num tom mais ou menos humilde. Quando alguém me explica que a sua casa está muito ‘simplezinha’, ou o neto teve boas ‘notazinhas’, ou se gostei do ‘almocinho’!!!
Não sei se é um pouco de snobismo do meu lado, mas a verdade é que quando oiço apreciações dessas sinto vir um sorriso amarelo(linho) e procuro mudar rapidamente de conversa.

Procurar outro assuntozinho de conversa…



31 comentários:

Miguel disse...

Bom dia Emiéle! Hoje acordaste bem disposta eheheheheheheh! Mas devo dizer-te que concordo em absoluto. Não aprecio sobremaneira tantos "inhos" e "inhas" que pecam pelo excesso de uso. Por tudo e por nada. Faz-me confusão. E, por norma, não uso. É um desperdício de energia... Se posso referir-me a algo com 3 letras porque é que hei-de acrescentar 4 ou 5?!

sem-nick disse...

Não quero ofender ninguém, mas é linguagem de senhora e de certa idade!!!
Mas faz sorrir ou irrita um pouco.
E quando são vários na mesma frase? «Ela ia com um vestidinho, amarelinho, de manguinhas curtas, e uns sapatinhos simplezinhos...»
lol!!!

Mary disse...

Olha que o «simplezinho» é mesmo o que me encanita também!
Tem um ar de humildade falsa.
E o oposto não pode ser «complicadinho»

Mary disse...

Volto só para concordar com o que disse o Miguel, sendo um post de crítica é bem disposto.
Sabe-nos bem, assim uns sorrisos. :)

sem-nick disse...

Miguel, cadê o teu blog?...
Quando passas aqui vou sempre espreitar ao 'com-destino' mas aquilo gripou ou quê?

Joaninha disse...

É um tic feminino, sim senhora, sem-nick. Reconheço que a linguagem masculina não tem esses excessos, quando um homem fala assim tem qualquer coisa de amaricado.
Eu posso abusar um pouco.
Acho que dá ênfase. Realça.
Mas sinto que a caricatura está óptima, e levado ao exagero dá vontade de rir...

Anónimo disse...

Postezinho engraçadinho da Emielezinha que acorda de manhãzinha cedinho.

Anónimo disse...

E um pouco mais a sério mas ainda a brincar, quando dizer «o ‘fresquinho’, o ‘baixinho’, o ‘baratinho’» afinal é uma forma de sublinhar a característica. Baixinho é mais do que baixo, baratinho mais do que barato, a língua portuguesa é complexa.
Mas muito bonita.

josé palmeiro disse...

Não há dúvida que é, sexta-feira.
Não há dúvida que a Emiele, acordou bem disposta, e eu vou tentar seguir na mesma linha, porque a ponderação, neste momento de reflexão, faz todo o sentido.
Eu, nestas não deixo o meu "votosinho", porque longe do sitio onde o fazer, mas torço para que as coisas se agitem e que algo mude porque o "Mundo é feito de Mudança", e de "inhos" estamos todos fartos.
Um abraço ao Miguel e a todos os que já postaram, bem como a todos os que aí virão. Eu agora vou até à minha SESTA, ver se gostaram do petisco e deixar uns poemas na "cesta", pois os que lá estão já foram todos lidos.

gv disse...

nos nomes de etnias femininas é divertido comparar: posso dizer uma chinesinha e uma francesinha mas não posso dizer uma suecazinha ou uma espanholinha (a não ser que me esteja a referir a crianças do sexo feminino claro...). nestes casos a representação social (masculina?) da sexófeminilidade seria mais depressa denotada, na cultura da língua portuguesa, por sufixos do estilo do "zona", "aça", conotando 'boazona' e 'mulheraça'.
como sempre as coisas mudam no masculino - quem sente a qualidade do ser mignon "um portuguesinho", expressão em que o menosprezo aparece nu e cru sem o disfarce da ternura?

King disse...

Olá, Zé Palmeiro! Pelos vistos regressaste à 'normalidade' e até vens de manhã (não zinha, esta é manhã alta!)

ora cá está: manhãzinha é diferente de manhã, assim como à tardinha é diferente de à tarde! os inhos têm a sua função!

O post está engraçado. Para ser sincero também engalinho com as senhoras que só falam por diminutivos, mas...
É mesmo uma característica do português. Repara que os estrangeiros têm alguma dificuldade em acertar com o som que nos faz colar a língua ao céu da boca.
E por outro lado como vocês aqui já demonstraram é muito mais, mas muito mais, do que referir o tamanho de alguma coisa. Pode ser carinho quando é um nome próprio, pode ser troça no caso do 'bonitinho' como escreveste, pode ser rigor, o caso de 'à tardinha', até pode ser uma espécie de aumentativo - 'só' é uma coisa mas 'sozinho' é mais intenso.

Claro que as «boas notazinhas» - talvez graças a Deus - causam alguma comichão... :)

King disse...

Estive a ler o belo comentário da GV (que bom para nós que ela apareça aqui a comentar!) que abre outros sentidos, e venho corrigir o que eu disse no fim. O exemplo foi mau, só é que é mais intenso do que sozinho. Mas há palavras onde a expressão em diminutivo é de facto mais intensa. (claro que neste momento não me lembro; é sempre assim!)

josé palmeiro disse...

Só uma nota, relativamente à "GV", isto porque as "francesinhas", comem-se e não tem nada a ver com sexualidade, ou não será assim?
Mas tanto os diminuitivos como os aumentativos, são de um desconforto imenso. Não os tolero, como as "francesinhas" que citei, que são demasiado agressivas, para o aparelho digestivo.

raphael disse...

Eheheheh!
Oh, amigo Zé Palmeiro, as francesinhas 'comem-se' sim; mas também não rejeitava uma italianinha, uma brasileirinha, :)
Esta lingua portuguesa dá para muito!!!

Maria disse...

Esta é uma vinda - "rapidinha" - ando a resolver a "vidinha" - a coisa não está fácil...:))
Emiéle, "simplezinho" é muito "simplório" - coisa que o teu "post" não é.
King se for assim - "eu tenho um feitiosinho..." - será um exemplo do que querias dizer?
Bom fim-de-semana e boa reflexão!

Maria disse...

Desculpem "feitiozinho" com é que é.

fj disse...

Sufixos de que , em geral não gosto nem utilizo. As razões já estão todas nos comentários anteriores.Miguel tem graça, pelo conflito economicismo vs. afetividade
que nos proporciona.Está no mainstream, julgo.

King disse...

:)
Tal e qual, Maria! É um bom exemplo do que queria dizer: ter um feitiozinho, é mais 'forte' do que ter um feitio!!!

(Raphael, não perdes uma ehehehe!)

AB disse...

Deve estar no mainstreamzinho FJ.Por o comentário da GV tem que se lhe diga.Há carinho quando se diz que fulana tem um ar de "francesinha"(Zé Palmeiro as francesinhas nem todas
são do Porto)mas qt. às espanholas não se diz "inha" mas "ita".Espanholita.No caso das suecas uma suecazita tb. dá para entretem de reformado em Jardim público(cai sempre bem com autarquicas à porta).Quanto às chinesinhas...é mais com o povo do Bloco.Ou para adopção snob.Adoptar uma chinesinha,uma vietnamitazinha...AB

AB disse...

Não se percebe a primeira linha do que escrevi.O que lá devia estar era "por acaso o comentário"...e por aí fora.As minhas desculpazinhas.AB

rui disse...

uau!... já há uns tempos que por aqui não passava e fico contente por ver a emiele sempre em produção torrencial. Isto qualquer dia acaba em livro...
um abraço

Emiele disse...

Olá, Rui!
«Produção torrencial» um post por dia?????
:)
No bons velhos tempos (aí há uns meses) quando escrevia 3, 4 ou 5 ainda vá!
Acho que essa moda dos blogs passarem a livros já passou!

estrela-do-mar disse...

Sabes Rui (giro o teu blog) o engraçado aqui, é que não só a Emiéle escreve muito (também acho) mas como é muito regular a gente habitua-se a passar por cá! Todos os que estão aqui hoje são «velhos conhecidos»!
(tem faltado a Kika...)
:)

estrela-do-mar disse...

Ah, posi os diminutivos...
Eu cá acho que não abuso, mas saem-me bastante. Afinal faz parte da nossa cultura :)

Ups! Nada das cores em diminutivo, nem essas dos benzinho, ou simplezinho, ou ou quejandos, não me expliquei bem. Aí não alinho.

Maria disse...

Volto para dizer que, quando se trate de uma forma peculiar de falar - "lava as manitas para comer o panito"- como se ouve no Algarve e também nalgumas zonas do Alentejo, se estiver errada corrijam-me, por favor, eu acho imensa graça:))

rui disse...

a regularidade é um dos segredos, mas não só. há o calor humano e uma certa... ingenuidade, simultaneamente atenta e comprometida que fazem deste um blog especial que acompanho mais ou menos discretamente desde o início início.
para mim, que falo de um blog ultra preguiçoso, um post por dia é mesmo torrencial...
Quanto à estrela do mar... obrigado por ter achado giro o meu buraco

Castanha Pilada disse...

Eu tem dias. Mas realmente almocinho não uso. Mesmo que na maior parte das vezes ele seja frugal.

Alex disse...

Beij inhos!

A Senhora disse...

Só estou vindo no final do meu dia! :)
E estou me lembrando de uma amiga que tudo, absolutamente tudo o que ela fala é no diminutivo!
No começo estranhamos, mas daí não teve jeito - já fazia parte da personalidade dela (sim, ela fazia de conta que não mandava em nada, que era uma mulherzinha, que sempre precisaria de uma ajudazinha pra fazer a comidinha, arrumar a caminha,limpar a casinha... e o maridinho sempre dava essa baita ajudazinha, aliás, ele fazia tudinho).

Beijinhos e excelente fim de semana para todos!

Emiele disse...

Caríssimos, estou aparvalhada como um post(zinho) tão despretensioso e de brincadeira afinal, apanhou com tantos comentários!!! São os mistérios da blogosfera! :)
Começando pelo fim - Alex, obrigadinha minha querida!
Castanha - vês? o almocinho, é dos tais... Mas como eu penso, e aqui outras pessoas concordaram, muitas vezes o diminutivo não é só de carinho, até pode sublinhar um aspecto.
Rui - que bem que sabe ler estas coisas ao fim de um dia em que me sinto bem cansada! nunca pensei que passasses por cá com alguma regularidade... Que agradável e estimulante.
Maria - tens razão, o ita ou ito usa-se bastante no sul e eu acho-lhe graça.
Estrela-do-mar: está bem visto tenho de facto comentadores muito persistentes, mas alguns são mais flutuantes. Depois de uma época desaparecem. A Kika se calhar ainda volta, mas tive a Gui que há muito tempo não comenta, a Tess, o Raphael, a até o Zorro já foi muito mais assíduo!
mas estou muito agradecida a todos por passarem tantas vezes por cá. Faz-me sentir acompanhada.

Emiele disse...

A Senhora entrou quando eu estava a escrever, por isso nem a vi.
Obrigada, Senhora. É isso mesmo.