segunda-feira, outubro 19, 2009

Descaramento

A história espalhou-se por todos os meios de comunicação e está a abalar a França. É sabido que o desemprego, lá como cá, apanha muita gente e é também doloroso para os jovens. Mas afinal para que é que serve ser-se Presidente se nem sequer se pode arranjar um bom emprego para o filho?... "Moi, mon papa, il est Président", foi a primeira página do Liberation.
E, em França, ele passou a ser conhecido por «Príncipe Jean». Trata-se do segundo filho de Sarkozy, de 23 aninhos, estudante não muito bem sucedido de Direito (repetente do segundo ano) mas que é desde há dois anos deputado eleito pelo partido do pai em Neuilly, o local mais rico de França, e actualmente vai dirigir o Conselho de Gestão do empreendimento de «La Defense» e dos pontos de negócios mais importantes da França e da Europa.
Falar de nepotismo, neste caso parece pouco.
Já se estranha quando, em condições de relativa igualdade, se promove um familiar ou amigo para uma função particularmente bem remunerada. Temos alguns exemplos cá em Portugal, muitas vezes denunciados, pelo menos aqui na net. Jovens ‘filhos de’ que assim que terminam a sua formação arranjam um bom emprego.
Mas este caso, brada aos céus! Pela extrema juventude o «príncipe» não tem currículo político e sobretudo não tem currículo académico. Por outro lado vai exercer um cargo importantíssimo. Como é possível?! Será que imaginaram que não se ia dar por isso? Que todo o mundo ia estar distraído?
A verdade é que fosse em que momento fosse, isto seria um escândalo. Mas, conhecida a crise actual, que faz com que por toda a Europa a taxa de recém licenciados sem conseguir trabalho de acordo com a sua formação seja enorme, (e a nós dói-nos de que modo, quando sabemos que imigram 100 licenciados por mês!) este descaramento justifica as manifestações de estudantes à porta do Eliseu declarando que como tinham mais formação do que o príncipe também se vinham candidatar ao cargo.
Entre Sarkozy e Berlusconi não sei quem terá mais lata!



28 comentários:

Miguel disse...

É natural, então? Como dizes, e bem, para que é que serve ser-se presidente se não se pode sequer arranjar um emprego para os descendentes? Parece-me bem... Há um percurso que faltou aí, o da experiência profissional. Mas claro que terá acessores que nunca mais acabam e que farão o trabalho por ele. Mais, acredita que mais do que uma função executiva esta será uma função meramente de "fiscalização", uma espécie de colocar numa posição cimeira alguém de confiança que possa transmitir ao presidente exactamente o que se passa. Quem melhor do que um filho? Por muito falhado que possa ser?

Quanto aos 100 licenciados que emigram por mês, parece-me pouco, muito pouco. Só para aqui devem ser bem mais do que isso!

gv disse...

deixa que digam, que pensem que falem,,,

A Senhora disse...

Vá... Veja pelo lado estético! Ele é tão bonitinho! :)))

(Mas dá uma raiva danada você ter experiência e perder uma vaga por um recém-saído das fraldas)

beijinhos e boa semana

Joaninha disse...

Os franceses criaram uma petição na net pedindo-lhe que renuncie, que termine os seus estudos em Direito e que faça estágios em empresas. E para além disso, que tal um concurso público?

Emiele disse...

Tchiiiii Nem acredito! Quatro madrugadores?!
Senhora, aqui não se fala em «vagas» :) Um cargo daqueles (já ocupado pelo papá) nunca fica 'vago', apesar de pelo que sei, o actual ocupante vai sair por limite de idade.
Miguel, falai em 100 jovens licenciados por mês porque é o que li no Expresso. mas eles também dizem que devem ser mais, porque só contam os que estão inscritos no Centro de Emprego.
GV - fui lá ao Glória, bela canção!
Joaninha, isso de petições na net é o que 'está a dar' :)

ilha_man disse...

Infelizmente não é necessário ir até à França para ter destes casos.
Nos Açores, o filho do sr presidente, 29 anos, estudante, é deputado no parlamento regional.
O ex presidente da Câmara de Vila Franca do Campo nomeou o seu filho para gestor de uma empresa municipal. Felizmente a malta de Vila Franca mandou o sr embora.

sem-nick disse...

O delfim, fazendo as contas não pode ter perdido só o segundo ano de Direito. Afinal se levar os estudos direitinhos acaba o bac com 17 anos, vá lá, 18... Se agora tem 23 há 3 anos por aí que não se sabe o que fez...
Parece que canta.
E casou.
Com uma rica herdeira.

sem-nick disse...

Ilha_man, a gente sabe que casos de nepotismo é por todos os lados. Em Portugal temos muitos, os filhos dos ministros que eu saiba nunca ficam anos no Centro de Emprego mais próximo...
Este caso é de facto espantoso, porque o miúdo já era deputado como aí o filho do presidente, e isso ainda passou, mas o cargo para que agora vai ser nomeado é muito importante até a nível europeu.

King disse...

Já o lindo matrimónio com a menina Darty chegou decerto para não ter de fazer um empréstimo difícil para conseguir casa.
Mas, coitadito, agora chefe de família, tem de ter uns trocos, mais do que o que recebe como deputado...

King disse...

Senhora, é que não são umas fraldas quaisquer...

ilha_man disse...

sem nick, é a diferença entre ser o filho do presidente da republica francesa e o filho do presidente do governo regional dos açores .)

Maria disse...

Nós por cá, também tivemos, temos alguns,como já disseste, mas esse supera em muito...o pobre rapaz, depois de esssa indignação toda, ainda vai sofrer de stress pós-traumático:))
(estou a ser mázinha e agora fiquei arrepiada porque me lembrei dos funcionários da France Telecom)

fj disse...

Bem lembrado Maria a ft, tem escapado tanto e tentos vimos..."medo"?Quanto ao "menino" qual o trauma!? Vejo nele mais perigo do stress pré traumático. igualmente produtor de sofrimento.
Quero voltar mais tarde, mas primeiro vou estudar a parte francesa da minha ampla árvore genealógica.Brasil daria qualquer coisa, mas tão longe e só quero um part time.Até logo.

Mary disse...

Vir depois do FJ tem destas coisas... Ele já me arrumou com o stress pré-traumático!
A gente tem de início a tendência a pensar «ora, isso é lá para as franças, quero lá saber!» mas a verdade é que o capitalismo (ou neo-liberalismo, ou lá o que é) é mesmo 'internacional' e estas coisas são de ficar um tanto de queixo caído, pela lata!
É, como alguém aqui disse, cá também se fazem - e por todo o lado, afinal - mas isto é outra dimensão!
Diria «napoleónica»... (parece que foi dos maiores praticantes do nepotismo)

gv disse...

senhora
confesso que também pensei em dizer algo do género... de facto o miúdo é bonitinho. ainda que trop surfista para o meu gosto...
o filme é fantástico! e o titulo "senhor filho" é um achado.

kika disse...

A familia não deve estar em primeiro lugar??
Até parece que por cá nunca ouvimos estas noticias, só que em França as pessoas reagem e por cá morre tudo á nascença ...
Mas o cargo apesar de ter importância , pelo que li não é "remunerado" e
gostava de saber se os criticos do sistema , não fariam o mesmo:)

A Senhora disse...

Kika, não é remunerado?
Então a coisa se explica. Com a fama que Sarkozy tem de ser "miserável"(a ponto de ter dado o mesmo anel de noivado para a segunda mulher), nada como dar experiência ao filho sem arrancar dinheiro dos cofres públicos ou usar de sua influência para colocá-lo em uma empresa que depois lhe peça o fígado. Nem um tostão gasto e livre de um filho que com certeza comeria às suas custas.

Claro, se isso tudo não for remunerado... :)))(Nada como ficção logo de manhã...)

Maria disse...

Senhora e que "trama" tão bem tecida:))

Renata Seixas disse...

O DIA D PARA A MÚSICA BRASILEIRA.

A PEC da Música irá à votação no dia 21, quarta feira, às 14h na Câmara dos Deputados e sua participação é decisiva!

A presença dos músicos, artistas, produtores e outros interessados no tema é fundamental para pressionar os deputados a votarem a favor da PEC. Haverá estrutura para recebê-los e todos estão convidados!

Precisamos de 308 votos (de um total de 513). Contate os deputados do seu estado e peça que votem a favor. Divulgue a proposta em suas redes de relacionamento, blogs, e-mails etc. Esta é a hora de pressionarmos.

Dúvidas: Gabinete do Deputado Otavio Leite (autor da proposta)
Em Brasília: (61) 3215-5437
No Rio de Janeiro: (21) 3388-6240
E-mail: tatiana@otavioleite.com.br / gabinete@otavioleite.com.br
Saiba mais: http://www.otavioleite.com.br/pesquisa.asp?q=pec+da+musica

Emiele disse...

Kika, o Presidente da EPAD, «organismo público que administra a "La Défense", um dos maiores distritos de negócios da Europa» achas que trabalha «pro bono»???!
Mesmo que se imaginasse que era um 'cargo de representação' até isso seria estranho, como é que um puto de pouco mais de 20 anos teria capacidade para gerir uma coisa daquelas, e 'representava' o quê...?
Senhora, tiveste muita graça quanto à sovinice do papá. E um «estágio» ali, é coisa formidável!!! :))))
Assim como o do stress pré-traumático que inventou o fj. Aqui a dúvida é «qual trauma»?!
E depois, o marido da «mademoiselle darty» deve ter recebido um dotezinho confortável, não acredito muito que ficasse às sopas do pai.
(Claro que tudo isto é à escala de França...)

Maria disse...

Emiéle, TPC - tensão pré-cargo, ou seja - "pânico", o fj tem razão :))

Emiele disse...

Eheheh!
Para mim os tpc são os trabalhos de casa... será também o caso do príncipe João?...Como ainda é estudante. :)

Saltapocinhas disse...

O rapaz é trabalhador estudante e tu ainda criticas??
E desde quando é preciso um curso superior para se ser deputado?

kika disse...

Émiele tu mesma disseste " de que serve ser-se Presidente se nem sequer se pode arranjar um bom emprego para o filho?.."
Se for tão inteligente como é bonito, podes crer que irá muito longe,e não seria o primeiro a não gostar de estudar e vir a desempenhar um bom papel na sociedade, quiça no mundo. Afinal licenciaturas dominicais tambem deram bons resultados, por cá... O País gostou!

Emiele disse...

Saltapocinhas, [adorei essa do «estudante-trabalhador» ] lá o ser deputado (isto também dá para ti Kika) afinal foi uma eleição, e cada um vota no que quer... Os adversários criticaram mas está nas normas democráticas - elegerem-no, OK. Só que este cargo é por nomeação, tanto quanto tenho lido. Daí este reboliço todo, até os seus partidários estão incomodados. Se as coisas fossem mais devagar, o miúdo amadurecesse um pouco e tivesse mais formação se calhar o caso passava mais desapercebido.

Miguel disse...

Emiele, o Centro de Emprego não serve de referência para [quase] nada ao nível dos licenciados. Eu, burro, quando acabei a licenciatura em 1994, achei que era o passo a seguir: inscrever-me no Centro de Emprego da minha área de residência. Santa ignorância... Sabes quantas vezes fui contactado? Uma, já eu trabalhava há quase 2 anos... Mais, mesmo quando regressei ao país proveniente de Moçambique e gozei uma sabática de ano e meio, não me inscrevi em nenhum Centro de Emprego. Logo estava fora das estatísticas.

Resumindo: estatísticas? Só acredito nas dos americanos!

josé palmeiro disse...

Chegar, quase no dia seguinte, é uma maravilha, fica-se sem nada para dizer.
Mas vou, apesar de tudo, deixar uma pergunta: Já se preguntaram por onde andam os filhos dos nossos presidentes? Não?
Então informem-se. Estarão no desemprego? Duvido!

Emiele disse...

Claro; Zé Palmeiro, nem o filho de ninguém que tenha poder, mas isso podemos considerar natural e, como disse a Kika, nós faríamos o mesmo possivelmente. O impressionante aqui é a desproporção entre o cargo que lhe é oferecido e a extrema juventude para além da pouca formação.
Miguel, és capaz de ter razão, mas penso que apesar de tudo haja muitos que se inscrevem (neste momento) Porque quando se responde a uma possivel oferta de emprego uma das primeiras perguntas é se está inscrito.