segunda-feira, outubro 05, 2009

Amigos

Não queria voltar de novo ao tema das “redes sociais” de que já falei aqui, apesar de haver sempre bastante que dizer, mas…
Neste caso, eu tento ‘resistir à resistência’ que sinto, não querendo acreditar que o facto de não me sentir atraída por este meio de relacionamento (o virtual) seja apenas por não ser do meu tempo, porque isso é uma má desculpa. [O telefone não era do tempo dos meus avós ou bisavós e, se eles mostravam dificuldade em o utilizar preferindo escrever uma carta ou ir pessoalmente, afinal não tinham razão.]
A verdade é que, apesar de ter inicialmente recusado alguns convites que recebi para entrar no Facebook, uma amiga que o usa muito acabou por me convencer e lá aderi à coisa.
E, o que me dá vontade de rir, é verificar a súbita explosão em cascata, (uma progressão geométrica!) que se vê nestas redes. Ao entrar respondi a uns 5 'pedidos de amizade' que há uns tempos tinha recusado e enviei uns outros 5 a pessoas conhecidas que já estavam no tal ‘facebook’, ou da minha lista de endereços. Através destes 10 amigos, entrei nos seus respectivos grupos e aí, num ai, perdi o pé! Porque um tem 60 amigos (vá lá…), outra tem 80 (enfim…), mas a coisa vai subindo, uma delas tem 146, outra tem 537 ‘amigos’, outro tem 697! Que vertigem! Quando dou por mim, verifico que, em poucas horas, eu própria já tenho uns 20!!!
Amigos?! :)
Em conversa com crianças, quem nunca ouviu: «Um amigo meu disse-me…» e, em resposta a «Como é que ele se chama?», um encolher de ombros «Não sei.»?! Tudo trocado por miúdos, afinal o tal "amigo" de quem a criança nem sequer sabe o nome, é um colega de escola, ou um menino com quem jogou à bola. Um conhecido e até mal-conhecido.
São esses os tais «amigos» das redes sociais.
Conhecidos ou, nos casos das centenas, nem sequer conhecidos 'ao vivo’ decerto…
Acho que sou uma pessoa afectiva e tenho meia dúzia de AMIGOS. (agora é que devia escrever 'amig@s...) Amigos verdadeiros. Com raízes no meu coração direi, se me deixar vencer por alguma pieguice. Que me entendem e a quem entendo mesmo sem palavras. E acho-me muito rica por ter essa meia dúzia, se calhar nem toda a gente os tem.
Claro que tenho mais uns 10 ou 15 muito bons amigos, excelentes, com quem partilho muita coisa. E dezenas de ‘conhecidos’ uns mais perto de mim outros mais afastados.
………………..
Mas estas “redes sociais” deviam inventar outra palavra.
É que «ser amigo» é um conceito imenso. Não acredito que a nossa capacidade de amar chegue aos 50.



23 comentários:

Miguel disse...

Nem mais Emiele. Na "mouche"...

Sinto-me tal e qual como tu. Não aderi a nada disse, excepção feita para uma das redes, a título de experiência "laboratorial"... É um dos temas que a mim me dão algum gozo, explorar algumas redes para ver bem o sumo.

Aderi a uma rede, há uns tempos e cheguei rapidamente às quase 200 amigas eheheheheheh! O meu ego disparou em flecha!!! LOL! Fora de brincadeiras, algumas dessas amigas tinham mais de 100.000 amigos e amigas! Um espanto, não achas? Também eu...

Não aprecio muito esses mambos. Se por um lado nos permite manter algum tipo de contacto à distância com os "nossos", por outro são um claro contributo para a alienação do eu na grande maioria dos casos.

Como sabes, este é tema que dá para falarmos para "sempre". Em 1990, no âmbito de um trabalho em Sociologia, debrucei-me a sério sobre a solidão (e alienação) urbana. Acredito piamente que este cenário agudizou-se, seriamente. Não conheço as estatísticas mas as doenças mentais no seio da população urbana devem ter disparado. As causas permanecem intactas uma vez que a mudança de mentalidades na direcção de uma sociedade mais "humana" não ocorreu. Neste sentido, tal como "ontem" existiam aquelas pessoas altamente populares, que toda a gente conhecia e tinham tantos amigos que, no limite, acabavam por se suicidar, hoje em dia a popularidade mede-se também pelo número de amigos que temos nas redes sociais. Etc e tal...

Bom tema este.

A Senhora disse...

Menina! Eu também fiz quase igual! Resisti o quanto pude. Então, quando até a "tentação" já não aguentava mais, aderi ao Facebook. Vou lá vez ou outra, aceito outro com quem converso, vez ou outra. Escrevo algo, talvez interessante, vez ou outra...

Boa semana. Vez e sempre... :))

Joaninha disse...

:)
Agora, entre os meus amigos deu-se uma explosão do facebook, e... (vergonha...) eu também acabei agora mesmo (aqui há uma semana) de aderir. Ainda te vou encontrar lá. :)
Mas tens toda a razão quanto ao termo "amigo". Então nalguns casos só pode ser brincadeira. Mas olha que é muito giro para encontrar pessoas de quem não sabemos há anos.

(vou ver se te encontro e adivinho quem és, eheheheh!)

sem-nick disse...

Aderi há uns tempos, mas vou muuuuuuito devagarinho. Só confirmo os pedidos que me fazem depois de bem visto quem é a criatura. Tenho quase tudo escondido.
Mas tenho reparado que, como dizes, há quem tenha centenas - e no caso dos tipos 'políticos' milhares!!! - de AMIGOS.
lol!

King disse...

Claro que onde vivem o Miguel e a Senhora, hoje não é feriado!!!
:)
O 'livro das caras' agora é a última moda! Ainda nem há uma semana que aderi! E já cá cantam 30 amigos!!
lol!!
O Miguel tem toda a razão, tem muito a ver com certo tipo de solidão. Eu, ando a divertir-me encontrar malta do meu liceu - dá para isso...

King disse...

É claro, que és oportuna como sempre.
E tens tempo para tudo????
Fico pasmo muitas vezes.

Emiele disse...

Olá a todos!!!
Reafirmando essa coisa de que amigos mesmo amigos contam-se pelos dedos, e centrando-me mais na área dos conhecidos, confesso que pelo menos de início esta coisa é viciante. :)
Hoje, até me apeteceu passar por aqui a meio da manhã (pois é, Miguel e Senhora, hoje é feriado!!!) e ver quem é que me tinha respondido. É que já achei o rasto a três ou quatro pessoas que tinham desaparecido há anos! Alguns desde o liceu. Divertido, sim.
Miguel, estive quase, quase, a mandar-te uma ligação e depois acanhei-me. Mas se andas por aqui, se calhar ainda faço «um pedido de amizade» lol!! Serei a 201 :)

mary disse...

É sobretudo giro para as pessoas que vivem em terras diferentes e não tem tempo para estar a conversar sempre com os amigos (?)
Respondendo a mesma coisa que disse a uma minha amiga que dizia que valia mais mandar um email, isto é diferente, parece mais um mini-blog, porque aquilo que escrevemos nas conversas do facebook pode se lido por várias pessoas. é mesmo uma comunicação diferente. Não sei se melhor, mas pior não é.
Por outro lado, é importante é que este tipo de comunicação não "mate" a outra, a normal digamos assim.

mary disse...

Nem tinha visto que a Emiéle tinha deixado uma mensagem enquanto eu estava a escrever a minha.
É viciante, sim. De início. Depois a gente começa a descontrair...
E, como disse mas queria sublinhar, o importante é que este meio de contacto não venha 'substituir' os outros que já existem e são bons. Inclusivé os emails, é claro. E, SOBRETUDO, os encontros cara a cara, que não há nada como isso.

fj disse...

Faltam palavrasintermédios, entre Amigos, amigos e conhecidos. Não me atraem, exceto em caso de pessoas afastadas, não alcançaveis doutra forma.

mary disse...

FJ também penso que não será igualmente atractivo para toda a gente. De qualquer modo temos de andar com computador (ou ter um telemóvel de acesso à net, tipo iphone). Mas tem a vantagem como disse de "apanhar" várias pessoas sem ter de estar a falar com todas uma por uma. e não os obriga a atender o telemóvel para receber a mensagem, vamos lá quando nos apetece.
Tem a sua graça.

Joaninha disse...

É isso mesmo, fj.
Tem de se inventar umas palavras do meio. É que o conceito existe, mas não tem a palavra correspondente. Chamar 'amigos de segunda' é ofensivo!

raphael disse...

Se hoje não fosse feriado e a malta post com imensos comentários.
Claro que existe o Hi5 e variadíssimas redes, mas aqui o facebook é para mim o melhor.

raphael disse...

Chamaram-me para almoçar e não acabei o que ia dizer.
Esta coisa das redes, por algum motivo lhe chamam "redes". Podiam chamar-se "encadeado" mas não seria tão amplo - numa cadeia um elo só se liga a outro e numa rede liga-se a um número enorme de outros elos.
Eu sou 'praticante' e gosto. Evidentemente como aqui se disse isso não invalida outros contactos. Mas afinal o telefone e o telemóvel não significa que a gente deixe de se encontrar em pessoa, não é? uma coisa não vai excluir a outra.

Maria disse...

Bem, bem, eu também resisti...parece um confessionário ehehe até Abril de este ano, altura que mais ou menos também comecei a "frequentar" a blogosfera. Uma amiga fez-me um convite ela estava a iniciar a sua rede com 5 amigos comuns eu convidei minha filha e uma sobrinha, tenho neste momento 45 "elementos" e digo assim porque alguns são grupos de teatro ONGS talvez a maior parte são mesmo amigos os outros parceiros de trabalho e afins. Por ter um amigo (este mesmo amigo do teatro Picollo de Milão) italiano aceitei 2 amigos dele e a mãe de uma amiga francesa, isto para dizer que volta e meia exercito as duas línguas escrevendo. O facebook para mim e para o maior parte das pessoas do meu grupo tem servido para divulgarmos eventos culturais
Partilharmos música dar opinião sobre filmes e por aí, portanto só vantagens...:))
No meu caso, por enquanto, sim, também utilizo-o com peso e medida - a minha filha é, ainda mais cautelosa -tem consciência dos perigos, de que tanto falam, sobre a eventual utilização, dos seus dados em suma - do seu perfil. Grande lençol para me justificar -eu, neste blog, exponho-me mais do que no "facebook"- farto-me de falar de mim e já não estou incógnita:))
Qualquer dia encontramo-nos, quase todos por lá...dou uma dica eu sou amiga do "Teatro o Bando", "Companhia do Chapitô" "Espaço Alcântara" livrarias umas 2 só aqui estão 5 bons amigos...qualquer dia encontramo-nos, quase, todos por lá:))


Nota: O que eu acabo de relatar, claro, é um caso muito particular e não retira nada ao que o Miguel diz com "substância" e que estou de acordo.

AB disse...

Pois "celebre" como eu sou....para que preciso eu do Facebook?Até agora resisti a todos mas mesmo todos os convites...Que aliás são assim uma espécie de imposição-"se quiseres ver ....primeiro mete aqui uma data de dados".Nem pó ...AB

Maria disse...

Olá Ab, obrigada pela dica "Mado la Niçoise", para mim, foi uma revelação,já tinha ouvido falar dela mas, não conhecia o seu trabalho, é excelente - falham-me algumas "referências" - ainda assim gostei muito:))

shark disse...

Já eu continuo, em matéria de facebook, orgulhosamente só...
E não vou mesmo aderir.

Emiele disse...

Eu adivinhava isso AB, conhecendo-te.
:)
Mas os dados que me pediram não é nada do outro mundo e que qualquer um não possa saber - nome, email e data do nascimento. Tudo o resto é facultativo. E estou a achar graça encontrar pessoas de quem seria difícil apanhar o rasto.

Shark, não sei porquê mas 'adivinhava'. Tanto assim que estavas nos meus endereços mas não te convidei! Tl como não convidei a AB (aliás foram só 4 ou 5, mas por esses cheguei a alguns engraçados...)

Saltapocinhas disse...

eu tenho menos amigos que tu... :(
Em relação ao facebook, já uma vez aderi, também respondendo a um desses convites, mas rapidamente "desaderi" porque não me entendia com aquilo e porque, principalmente, exigia muito tempo que eu não tenho...

Emiele disse...

Pois, Saltapocinhas, por isso até disse que me sentia rica. :)
Mas estes "amigos" que se contam às dezenas têm mesmo de ter outro nome!!! Só pode!
(Olha, quer-me parecer que te mandei também um desses convites, mas se 'desaderiste' já vejo que deve vir de volta. Não sei porquê pensei que fosse o teu género, eu sou novata mas parece-me que não precisa de estar sempre a actualizar...?)

Miguel disse...

Então e o meu convite?! LOL!

Emiele disse...

Oooooh, Miguel, achava que o tinha mandado. Será que o recolho?... Ainda vou a tempo
:)