quarta-feira, setembro 16, 2009

Rapidez de caracol




Estou a ver que este tema dá pano para mangas tema para muitos posts, e reparo que já rabujei, aqui e também aqui sobre o facto de algumas satisfações desta vida terem de vir temperadas com arrelias.
Então, vamos a factos:
(O que vou contar deve ter uma explicação, e se calhar muito simples, mas eu não a atinjo.)
Como já entenderam se deram uma olhadela aos links, trata-se ainda e de novo das obras do meu prédio. Começaram em início de Julho, e fiquei logo receosa que aquilo durasse muito tempo. Contudo, como não eram obras de grande engenharia, tratava-se apenas de lhe lavar a cara, ainda tive a esperança de que fosse coisa rápida e no final do mês estivesse tudo pronto. Afinal outros prédios da minha rua também foram pintados e a coisa não durou mais de um mês.
Mas não senhor, isto aqui como se costuma dizer não é para «se fazer» é para «se ir fazendo». Primeiro foi o aparato de montar os andaimes nas traseiras. Uma trabalheira, nem se imagina.
Depois, com os andaimes em pé, lá foram dar uma voltinha ao telhado, a ver as vistas. Andaram lá dois homens, para trás e para a frente mais de 15 dias. Quando se fartaram de passear pelo telhado foram então às traseiras - revestir de um isolamento e pintá-la. OK.
Entretanto eu fui para férias. Casa toda fechada, fechadíssima, para não entrarem nem ladrões nem pó.

Volto em início de Setembro, e está tudo na mesma. Não exactamente na mesma porque as traseiras já não têm andaimes. Desmancharam-nos. BOA!
Falta agora montá-los à frente.
Cá vêm os dois operários, a pôr esta coisa em pé.
Andam há mais de 15 dias num grande afã mas os andaimes ainda nem chegam ao primeiro andar. Bem, o afã não é grande, grande, para quem não é entendido vejo-os mais vezes parados a conversar do que de chave inglesa na mão, mas talvez estejam a analisar a maneira mais correcta de fixar os ferros. Já alguém me explicou, convictamente, que no Natal devemos ter o prédio pintado. Que o Menino Jesus o oiça.
Mas aquilo que me tem feito espécie são umas contas que me parecem fáceis, mas eu entendo pouco de finanças: para estas enormes obras estão destacados dois operários (pelo menos são sempre os mesmos dois que eu vejo) e alguém explicou que o senhorio não quer gastar muito. Mas quando eu andava na 3ª classe, se me dissessem para resolver o problema: «pagar a dois operários cinco meses de salário é mais ou menos do que pagar a dez operários um mês de salário?» eu diria à professora que o resultado era o mesmo.
Mas não. Pagar a 10 operários durante um mês deve ser muito mais caro. Só pode ser.
E isto vai andando a passo de caracol cansado.

E eu entaipada em casa!!!

17 comentários:

fj disse...

E que mal faz? Temos duas pessoas em subemprego, se fossem 10 já estava tudo no desemprego.Humanismo precisa-se, isso é lógica de jcoelho.

Joaninha disse...

:)
Olha que tu, FJ!!!
Mas deve ser enervante.
Por aquilo que contas é pouco mais do que pintar um prédio, e tens dito que é pequeno. Já vai em 3 meses????!
Mas se de facto para tudo têm apenas dois trabalhadores, e se calhar um é capataz, acredito que vá em passo de caracol. Ou de lesma!

Mary disse...

Bem, fj, «subemprego» é o que a Emiéle dá a entender que estes estão a fazer. Devagarinho, para 'render o peixe'. Se calhar são mesmo pagos à hora e quantas mais fizerem mais recebem.

Mary disse...

.... ma voltando a pensar nisso, afinal não há com a velha 'empreitada'. pagava-se o trabalho todo e mais nada! A ver se não se despachavam!!!

King disse...

:)))
Joaninha tu ainda és pior que o fj! Achas que estão lá dois e um deles é o capataz?!?!
Resumindo só existe um????
E aí está porque falam muito: o capataz está a dar instruções!

kika disse...

É para ir fazendo e desfazendo a paciência de quem aí mora.
Ainda no post de anteontem sobre a central de residuos da Dinamarca que precisa de monitores 8 horas seguidas,em Portugal e com a crise de emprego,não haveria candidatos ao lugar, apesar das massagens.Não devo estar muito enganada.
Custa-me a creditar que o senhorio não saiba fazer essas contas que te confundem.
A verdade é que não quem queira trabalhar.Não aconteceu comigo, mas com uma vizinha que para remodelar a casa de banho andou tres semanas e isto porque o responsavel da obra, contratava os trabalhadores e pagava-lhes ao fim do dia , o que levava a que só apareciam quando já não tinham dinheiro, e ele tinha de ficar sozinho.. Claro que isto é uma situação de subemprego , lamentável, mas tb é lamentável que não haja responsabilidade nos compromissos . Aconteceu comigo, é terem varias obras ao mesmo tempo e vão jogando connosco interrompendo por isto e aquilo e dividindo as 8 horas por varios clientes, e a minha obra acabou por demorar o triplo do previsto! desculpem o desabafo , mas tambem estou farta de quem pode trabalhar e não quer, que no meu caso trabalhavam em excesso e eram competentes , contudo ficavam aqui pouco tempo e eu é que aguentei com a casa do avesso.
Resumindo , não podes fazer nada a não ser esperar pacientemente!
Estamos em Portugal!!!

fj disse...

Completa inversão de valores!
Escrevi subemprego de propósito, e prefiro dois em subemprego do que dez desempregados.

Mary disse...

Mas fj, pelas contas da Emiéle, haveria 10 empregados apesar de menos tempo, e não apenas dois durante mais meses.
O que se pode pensar é que o empreiteiro já tem estes a seu cargo, e só estes, e não está para contratar mais ninguém!

Mary disse...

Kika, estás cheia de razão!!!
Por vezes ponho-me a pensar como é que eles fazem aquele programa do «Querido mudei a casa!» que arranjam uma divisão de cima abaixo com canalizações, chão, arranjos eléctricos, pinturas, tudo em 48 horas...
Ou seja ... é possível afinal!

Maria disse...

Já no teu outro "desabafo" sobre as obras eu comentei dizendo mais ou menos o que a Kika constatou e, eu também tenho experiência disso por cá, quando se trate de pequenas empreitadas (são as que já vivenciei) eles vão aguentando algumas obras ao mesmo tempo para não perderem os clientes que, também, querem fazer as suas obras, exteriores, no tempo bom. O que diz o fj também faz sentido, se é que entendi a perspectiva dele - enquanto esses dois trabalhadores se forem mantendo assim não ficarão no desemprego, enquanto os outros "dez" rapidamente o alcançariam, o desemprego claro, assim num jeito de… análise muito superficial;))
A sério, no caso dessa tua obra estar a ser feita por empreitada-orçamentada - "acerto" - como diz o povo aqui da terra, só entendo a demora pelo motivo que adiantei, mas, já da outra vez, se bem me lembro, não era este o motivo. Emiéle, não sei o que te dizer - também não acredito que o Senhorio e o empreiteiro sejam "totós" ao ponto de estarem a perder dinheiro. O transtorno é o que estás a passar…

Emiele disse...

Pois é Maria, é das tais coisas que não dá para entender bem. O prédio em frente do meu, muito semelhante, foi arranjado em menos de um mês ainda hoje estive a falar com a porteira...
E na minha casita de aldeia, como já contei, em 15 dias mudaram o telhado, montaram uma cozinha nova e pintaram-na por dentro e por fóra, tudo em 15 dias! Ou seja, é possível.

Claro que imagino que o fj meio a sério meio a brincar quisesse dizer isso, Maria, ainda não lhe perguntei, mas cá para mim -estou resmungona - continuo a achar mal: afinal acredito que seja um trabalho mais prolongado para dois mas trabalho nenhum para oito (isto com as minhas contas de brincar)

A Senhora disse...

A minha casa já passou por uma reforma, sob empreitada, com tempo previsto, com gente de confiança e, mesmo assim... demorou mais que o previsto.
Eu tenho a impressão que deve existir uma certa resistência do imóvel a este tipo de intervenção. Alguma coisa parecida como o castelo de Hogwarts. :)
Fora isso, estou mais com os argumentos da Maria. ;)

Maria disse...

Valeria a pena. digo eu,indagares, junto do senhorio, o que se passa, se calhar ele trabalha com estas empresas que prestam serviços aos condomínios e pelo que sei,pelo prédio da minha mãe entregue a esses senhores, as coisas correm muito mal e os condóminos são todos donos das suas casas, passe a redundância,mas, pessoas idosas.

Emiele disse...

Olá Senhora!
Essa imagem de Hogwarts é muito bem achada! Defesa contra agressões externas :)
Eu também acredito que as coisas durem «mais do que o previsto» e a minha dúvida é quanto é o «previsto» (?!)
:)
O ponto de comparação, que foi o prédio da frente, não serve porque o outro nem chegou a um mês!!!!
Mas como isto desde que foi construído nunca foi limpo e pintado, devem estar a fazer render o peixe, aí um mês por cada década!!!

josé palmeiro disse...

Ontem, por motivos de acesso
à net, não consegui passar por cá.
Falas de obras, senhorios e inquilinos, tempo de execussão das mesmas e do "caracol", esse molusco encascado que tem dois corninhso e que os põe ao Sol.
Segundo a mfl o que falta é supervisão, tal como no BP. Será Constâncio o empreiteiro?

Emiele disse...

Meu caro amigo, obrigada pela solidariedade e não sei de quem é a culpa neste caso, mas a minha claustrofobia não se dá bem assim entaipada e de janelas fechadas.
Ainda bem que posso fugir para outra casa.
Sinto-me rica!!!

eMe-a-eMe disse...

este país é assim...
tudo com calma...muiiiiiiiiiita calma...
quem nos visse de longe, bem de longe até pensaria que por cá não há stress, nem coisa do género, nem anda tudo no psiquiatra nem se gasta horrores em antidepressivos e ansioliticos....é tudo tão calminho....