terça-feira, julho 07, 2009

Virtual trocado por real?

Li algures por aí que um sujeito roubou dinheiro virtual de um videojogo online e depois trocou-o por dinheiro verdadeiro. A notícia diz que ele o fez para ‘pagar dívidas’ e na continuação pareciam dívidas sérias - a prestação da casa e despesas médicas com o filho. E afinal quem lhe ‘pagou’ também eram uns vigaristas virtuais, que não queriam ter o trabalho de jogar para ganhar ganhar esse dinheiro virtual com as vitórias necessárias queriam antes comprá-lo...
Sinto-me mais do lado do esperto que trocou o dinheiro de virtual para real.
E só me lembrava do tempo do «jogo do monopólio» - nada virtual, uma cartolina colorida e várias cartas e casinhas pequeninas - que se jogava antigamente. Quem não imaginava que ao comprar um prédio no Rossio, um Hotel na Avenida, ou a Companhia das Águas, aquilo podia tornar-se uma realidade?! Quando se tinha 8 ou 9 anos tudo parecia possível.
E, se calhar, em tempos onde o real e o virtual se misturam assim, talvez volte a ser possível.

‘Bóra aí, comprar um Banco?!

(se calhar foi afinal o que se passou com o BPN, foi vendido no Jogo do Monopólio, foi tudo a reinar...)


10 comentários:

sem-nick disse...

O «nosso monopólio» era como dizes, com referências a coisas de cá (este do boneco deve ser do jogo de origem) e tinha muita graça porque parecíamos deuses!

Realmente esta história destes Bancos parece um tanto uma espécie de jogo, mas não é de crianças.
Aliás o antigo «Monopólio» era um jogo de salão que dava para crescidos.

josé palmeiro disse...

Concordo com o sem-nik, cá para mim e se a memória me não falha, era mais o jogo da "Glória", desses que metiam dados e casas para avançar. Mas os verdadeiros jogos eram os tradicionais: A "pateira", o "botão", o "pião", e tantos outros. O negócio do monopólio vem mais tarde, já eu era espigadote e esses negócios não me atraíam, pois era tudo em Lisboa, como hoje ainda é e, no resto do país, andamos todos para aqui esquecidos...

King disse...

Deve ser isso.
Os meninos andaram a brincar!
E o senhor governador do Banco de Portugal, era o «banqueiro» do jogo? Se bem me lembro, havia um banqueiro...

Joaninha disse...

Eheheheh!!!
O Jogo ainda existe e agora até se joga também online!

Realmente não é só Lisboa, mas não passa do Porto, de Coimbra e de Braga! E há uma casa que diz «vá para a cadeia!», que previsão heim?!
:))
Quem não se lembra bem pode espreitar AQUI, e até tem uma visão mais actual em euros e tudo!!!!

kika disse...

"Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão"
Achei graça ao Zé quando diz que os negocios eram todos em Lisboa, bem oportuno.
Actualmente descentralizaram-se como diz a Jaoninha.Émiele associaste o jogo virtual aos negocios de BPN, e na verdade aqueles senhores deviam entreter-se bastante, se calhar com as reminiscencias do Monopólio, que trouxeram da infancia, só que aqui o dinheiro era dos clientes e real, acho eu não sei!!!

Emiele disse...

Obrigada pelo link, Joaninha.
Zé Palmeiro, mas os jogos de que falas não são bem de casa, isso é de quintal! :) É claro que em criança também tinha jogos de ar livre, de quintal, mas havia os outros, a Glória é claro, mas vários de caixas de cartão e tabuleiro.
Kika, realmente nesta caso o dinheiro era realmente dos clientes, azar (dos clientes!)

Maria disse...

Emiéle, sempre que ouço falar do BPN lembro-me do jovem que falaste aqui que perdeu as suas poupanças, ah, desculpa, esse caso foi no BPP e neste, quanto ao dinheiro, ainda está tudo muito nebuloso...
Pelos vistos não é nada que não possa voltar a acontecer (embora a acção "persecutória" do BdP como os banqueiros se queixaram)e isso não me deixa nada tranquila, não pelo meu dinheiro, este é pouco, mas por tudo o que isto revela e
os danos que causa - transversais a todos nós.

fj disse...

sabes fiquei inquieto. Não que não tenhas posses, mas nesta altura comprares um banco é muito arriscado, e as pessoas que sabem disso, para te ajudadar ou estão presas ou muito debilitadas mentalmente. Só lá fora, mas aí não conheço ninguem para te sugerir. Se fosse a ti esperava mais um pouco, o teu dinheiro sempre ganhava uns juros, não de todo maus dado ser tanto,e no próximo ano, se ainda houver bancos cá, então atirava-me.Felicidades.

Mary disse...

:)
Também acho que, neste momento do campeonato, comprar um Banco também é operação arriscada. Ou um assim maneirinho, com muita massa em off-shores ou lá como é. Mas se calhar é melhor o dinheiro ficar lá nas off-shores.
Evidentemente que muda de figura se conseguires que uns tansos metam lá as suas poupanças. Se forem muitos, muitos tansos até vale a pena!!

Emiele disse...

Oh gentes, Mary e FJ, atinem!
Alguém falou em dinheiro real?! Eu convidava a comprar um Banco a meias comigo mas com dinheiro virtual, como o tal australiano, tá visto!