sexta-feira, julho 03, 2009

Cada vez mais devagar...

Se o discurso «anti-função-pública» tem um eco tão positivo numa considerável fatia da nossa população, é porque muita gente vê a PF como um rebanho de execráveis burocratas que, nas suas secretárias, vão carimbando cópias de cópias de cópias, de documentos já de si inúteis. Ou umas senhoras enfadadas e antipáticas que atrás de guichets atendem mal o cidadão enviando-o de um lado para o outro como bola de ping-pong.
É claro que essa fauna existe. Não sei se hoje serão muitos, mas existem. (e quem deveria ser 'reciclado' eram os seus chefes a cujas ordens eles obedecem). Contudo a maior parte de quem recebe o seu ordenado do Estado está nos Hospitais, está nas Escolas, está nas Forças de Segurança. O que quer dizer que quando se «emagrece» à força a FP, se está a «emagrecer» essa resposta social.
O Ministro da Justiça desculpou-se com a falta de ‘luz verde’ das Finanças. Estamos habituados a isso. Mas na prática, o que pode vai suceder é que se os processos já demoram aquilo que se sabe (muitas vezes a Justiça chega quando já não faz falta) vão passar a demorar ainda mais.
E nós resignados.
Nesse mesmo dia li uma declaração do fogoso Bastonário dos Advogados a chamar a atenção para que no difícil caso Madoff os factos tinham sido recolhidos, analisados, e o arguido julgado e condenado tudo em pouco mais de seis meses (!!!!!)
É outra coisa, não é? E, que eu saiba, a Justiça por lá ainda não é privada...

8 comentários:

Joaninha disse...

Plenamente de acordo!
Na ânsia de cortar a direito (ou à direita?) corta-se tudo, o que poderá estar a mais (ou fora do sítio) e aquilo que faz falta.
Ainda vão torcer a orelha sem deitar sangue.

King disse...

Um caracol?
Cá para mim um caranguejo que anda para o lado (há algum bicho que ande para trás?)

King disse...

De facto «privatizar a Justiça» ainda não, mas privatizar a «segurança» há para aí muitas propostas.

sem-nick disse...

Tu já aqui o tens dito muitas vezes, mas quem está convencido do contrário não muda de opinião. É comum a ideia de que há gente a mais na FP e quantos menos melhor.
Depois chateiam-se se não têm os benefícios e respostas a que estavam habituados. A dita cuja «reforma da fp» nunca se fez nem está à vista. O que se fez foi simplesmente reduzir os quadros, mas não tirar onde estão a mais e mandá-los para onde fazem falta.
O resultado está á vista!

josé palmeiro disse...

Joaninha, que é isso de "cortar à direita"?
Cortar tem sido à "ESQUERDA", ou não?
Mas entendi-te.
Se formos para a privatização, eu cá, compro o "Lino", era um excelente guarda para a minha casa, quando fosse para o continente e já agora fazia um esforço e ficava também com a Lurdinhas, para que ele não ficasse sózinho, na casa do cão. Evidentemente pagar-lhes-ia, abaixo do salário mínimo, isso, nem se discute e com recibos verdes...

Joaninha disse...

Queria dizer «cortar» no sentido de quando vamos numa estrada 'cortamos' ou à direita ou à esquerda.
Era essa a ideia.
:)

Maria disse...

Hoje concentrei os meus coméntários aos três "Post" num só e fi-lo no "Abafado" que de certa sintetiza os restantes. Bom, mas vim aqui, responder ao King o bicho que eu conheça que tem a propriedade de voar(andar não conheço)para trás, entre outras,é o colibri/beija flor, aliás, é uma crueldade dá-lo como exemplo,é um passaro minúsculo, muito bonito e simpático e em termos de voo é um malabarista.

Emiele disse...

Olha Maria, desconhecia essa particularidade do beija-flor. Pensei que nenhum animal andasse para trás com excepção do homem...
:)