quarta-feira, junho 24, 2009

Só não via quem não queria ver

«Descobre-se» agora que os Hospitais privados discriminavam doentes beneficiários da ADSE
Mas há alguma dúvida?
Bastava telefonar para lá a marcar uma consulta. A menina que atendia perguntava, à cabeça, que sistema de saúde se tinha, Privado ou ADSE. E a marcação era completamente diferente no tempo de espera.
Eu própria experimentei - uma marcação em meu nome e outra, de seguida, para o meu filho que tem um seguro. Para a mesma especialidade para não haver dúvidas!

(já que se privatiza tanta coisa, porque não se privatiza a adse?)


7 comentários:

King disse...

E quem não tem nem adse nem seguro fica completamente lixado, não é?....

King disse...

Porque essa coisa do «Seguro» (que por acaso entre os meus amigos todos têm, melhor ou pior) funciona nos grandes centros, mas não acredito que lá no «Portugal Profundo» saibam o que é...

mary disse...

É como contas. Também fiz a experiência no Hospital da Luz e foi essa a sensação que tive. Nós ficamos com as sobras.

fj disse...

É king. A adse não creio que vá durar. Agora é necessária, mas logo sque se revelar lucrativa passa a seguro É uma das pequenas diferemças entre o ps e o ppd, a velocidade das privatizações. Obama passará a ser a voz dissonante?

josé palmeiro disse...

Sou um utente do SNS e, dada a minha condição de doente oncológico, tenho sido acompanhado e de uma forma que não me canso de elogiar, pelo IPO-Lisboa. Para mim, aquele atendimento e aqueles profissionais, são o MÁXIMO.
Já a minha "companheira" é da ADSE e agora tivemos a amarga experiência de ela necessitar de fazer uma série de exames de rotina e controle e descobrimos que aqui, pelos Açores, não há, nenhum centro de diagnóstico que tenha acordo com a ADSE, logo, foi tudo às nossas custas. Quanto aos seguros, diz-me a experiência que só funcionam bem, enquanto somos nós a pagar.(King, é uma voz do Portugal Profundo!)

Maria disse...

Eu uso o SNS, com todos os seus defeitos e também tenho um seguro de saúde e qualquer dia cancelo porque, agora, vivendo numa zona do tal "Portugal profundo", não faz muito sentido (são poucos os médicos que têm contracto) e, para além disso, este meu seguro custa-me todos os meses 35 euros e não cobre a especialidade de estomatologia, claro, senão seria o dobro.
Tenho-o mantido para abater nos impostos, mas mesmo assim, só entra uma pequena parte, tem que se ponderar cada vez mais os custos face aos benefícios. Neste aspecto a crise, em mim, tem surtido este efeito - do mal, o menos!

zorro disse...

Caríssimos, eu cá não sei como é noutros sítios, mas para quem vive em Lisboa ou arredores vale a pena ter seguro de saúde. E temos de o fazer enquanto podemos que dos 50 para cima já é complicado e com 60 já ninguém o faz!
Claro que depende das seguradoras, mas mesmo umas banais Médis ou Multicare pagam muita coisa (a minha irmã fez agora uma operação aos olhos, de uma semana para a outra, coisa delicada e que seria cara e não pagou nada)

Claro que a ADSE é «melhor do que nada» mas...
Também me parece que mais dia, menos dia, privatizam aquilo; e talvez seja melhor gerido, se os seguros dão lucro como é que aquilo que afinal é uma espécie de seguro tem prejuízo??? É a gestão dos nossos serviços públicos!