terça-feira, junho 02, 2009

Deve ser 'moda'

A linguagem evolui. Muito. Muitíssimo.

Sobretudo os «bordões» que se usam na linguagem comum, têm épocas.
Como sabemos a expressão «» que polvilhava o discurso, sobretudo dos homens, há umas dezenas de anos, hoje é um resquício (tirando o famoso ‘porreiro, pá!’ dito off record, e que vamos lembrar para sempre…) e quando eu era criança as meninas tratavam-se umas às outras por ‘coisa’ ou ‘coisinha’ e lembro-me do ralhete que apanhei quando distraidamente respondi à minha avó «tá bem, coisinha» quando me estava a dar uma ordem qualquer… Não tinha sido por mal, estava a pensar que estava com uma amiga da minha idade, mas rapidamente fui chamada à atenção, que essas coisas não se perdoavam na época.
Uma das coisas que tem evoluído com o tempo é a forma de cumprimentar. Do «Muito bom-dia, como está, passou bem?» ao muito menos formal «Olá!» a coisa tem-se simplificado. Eu sou das aderiu ao «Olá!» e acho normal. Também já não se usa o beija-mão como cumprimento.
Mas agora há outra forma de cumprimento. Já é a terceira vez que pessoas que não conheço, ou com quem tenho uma relação distante, me cumprimentam com a falsa efusão de um «Então, bem disposta não é verdade?!».
Aqui há uns tempos até contei aqui no Pópulo, porque me caiu particularmente mal, uma vez que me tinham batido à porta, num dia em que estava doente, para me impingirem uma venda qualquer. Já depois disso apanhei com esse jovial cumprimento de uma pessoa a quem precisei de me dirigir e que nunca me tinha visto mais gorda. E este fim-de-semana, catrapuz, recebi de novo essa resposta, ao ligar para o homem que me tinha arranjado a televisão na minha casita de campo.
Chego lá, cheia de calor, ligo o aparelho arranjado há pouco tempo e aquilo parecia estar como antes do arranjo! Fiquei furiosa, é bom de ver. Ligo para o telemóvel do senhor, identifico-me, explico por alto o que se passa e ele pede-me «um momento, ligo-lhe já, para o aparelho fixo». Realmente passaram pouco minutos e o meu telefone tocou. Atendo e ele diz-me todo risonho: «Olá!!! Bem disposta, não é verdade? Então diga lá!» Não sei se fui muito polida quando lhe respondi «Olhe, por acaso não estou bem disposta. Para lhe ser franca estou até bastante arreliada!»
A história tem um final feliz porque o arranjo estava dentro da garantia e dentro em pouco ele passou por lá e as coisas ficaram bem.
Mas…

«Bem disposta?» em vez de «Boa Tarde»…
Huuum… vai-me custar a habituar.



28 comentários:

fj disse...

Ó pá, o pá continua actual.
Detesto os cumprimentos preconceituosamente optimistas.São quase insultuosos para depressivos como eu.
Sempre investiguei muito sobre essa coisas das formas de cumprimentar ( por exemplo, talvez a explicação seja um pouco crua, mas nunca pergunto a uma mulher se está boa, pergunto se está bem.Ou o é manifestamente, ou não há razão para ter mudado de repente ).
Diz muito e a forma brasileira, chega mesmo ao exagero: TUDO BEM? Mas isso seria possivel? Dos dramas familiares à situação do sporting,TUDO pode estar bem?! Wode dian!( muita cultura minha, ó meu deus-ser superior- em chinês, para quem não saiba, escrito, claro em pinyin).Desculpem lá o ordinarismo e o exibicionismo cultural, deve ser a fase maníaca, que infelizmente dura só um ou dois dias, contra os 363 depressivos, pior ainda nos anos de 366.

Emiele disse...

Olá FJ !!
Eu que sou bem mais optimista do que tu, reconheço que me encanita esse tipo de «optimismo forçado». É claro que não se cumprimenta outra pessoa com uma cara de pau e a franzir o sobrolho, o simpático é fazê-lo com um sorriso. E o desejar Bom Dia, Boa Tarde, Boa Noite, é um voto discreto e agradável. Parece-me equilibrado como cumprimento, sobretudo quando não se conhece a pessoa ou se tem uma relação profissional (como era o caso) De resto aceito o Olá, é o Salut francês, ou o Hello em língua inglesa. Estou como tu com o «Tudo bem» que sem querer tomo à letra porque é uma pergunta e não um desejo, e faz-me sorrir, mas aceito. Agora esta moda do «sempre bem disposta, não é verdade?» é que não!!!!

Mary disse...

Começar a ler os comentários com o do FJ é sempre uma delícia. Já aqui tenho referido que gosto imenso do seu humor, e vamos então aproveitar estes dias da fase maníaca!... Força! Talvez os dias se multipliquem para teu e nosso prazer.
:)
Acho-vis a ti e à Emiéle que nos brindou com um comentário «fora de horas» um tanto exagerados, mas vá lá..
É que, como ela diz no post, a linguagem evolui muito. Se lermos um romance do Eça, do Camilo, erc, vemos rapazes e raparigas de 20 anos a tratarem-se uns aos outros por «Vª Excia, minha senhora», os filhos a despedirem-se dos pais a pedirem a sua bênção, e atitudes tão formais que seriam inconcebíveis hoje...
O brasileiro «tudo bem?» já entrou inteiramente nos nossos hábitos. Contudo, eu no caso de uma relação profissional ainda pergunto «Como está?» aceitando que... pode não estar bem.
:)

Joaninha disse...

É moda sim, não tenhas a menor dúvida.
Poderia até dizer : é praga!
A coisa começou a soar mal aos meus ouvidos, quando ouvia aquelas chamadas para programas da rádio, e o locutor/a dizia em voz de riso para o ouvinte: «Temos em linha a senhora dona QZRWKL! Então? Sempre bem disposta, não é verdade?!» e a resposta, no mesmo tom animado era «Sempre!!!»
Imaginava que era alguém conhecido, que ligava para lá muitas vezes, e era pessoa particularmente vivaça. Contudo depois vi que aquilo se repetia com todos.
Foi o rastilho.
Se virem com atenção tornou-se hoje uma abordagem generalizada. Mas que implica a resposta «Sempre!», atenção. Tão palerma como a pergunta é claro.

sem-nick disse...

A imagem parece ter sido criada para este post!!
É isso mesmo. Um balão já sem fio para se ligar à terra, vogando nas nuvens, com um grande sorriso estampado!
A tal boa disposição só «porque sim!».
E se eu gosto de boa disposição! Mas reconheço que essa atitude um tanto no ar, tem o efeito oposto, em vez de me deixar ir atrás, vejo-lhe os defeito
:) Que raio!

sem-nick disse...

(só li os outros comentários depois de deixar o meu)
Olha, FJ, é claro que se usa, pá, mas concordo com a Emiéle, não é aquela chuva de «pás» que se usava há umas dezenas de anos, basta os putos não o usarem... Não é expressão que se oiça abaixo dos 20 (nem pouco acima)

Maria disse...

Bom dia "pessoal tudo jóia?" (espero que os que venham a seguir leiam a sequência dos comentários) e como resposta -"está-se bem" (neste caso aculturação) Mas estou como tu Emiéle o "Olá" e o "Ora viva" (para os mais íntimos) são os que uso mais.
Quanto à reflexão do fj é deveras pertinente e dita assim com a graça que lhe é particular, é como a Mary diz, uma "deliciosa" forma de começar o dia. Agora, fj, eu já o compreendo melhor, veja lá se equilibra melhor a sua (revelada por si) "bipolaridade", até nisso é original, eheheheh...
Emiéle, "Bem-disposta não é verdade?" é um cumprimento de "excelência" (palavra estafada pelo uso e abuso) no conceito de - "mais vale parecer do que ser",não há pachorra...

gv disse...

serei eu a amiga das raízes aéreas?
seja como for adoptei a flor de lótus como se fosse para mim - de resto igualzinha à do meu quintal.
e fiquei bem-disposta.
então muito boa tarde!

Emiele disse...

Olá, gv!!!! (cá está, juro que não ia dizer «sempre bem disposta»...)Claro que sim!O blog desapareceu - eu reconheço que rarissimamente lá comentei - mas a amiga mantém-se. Não fazia a menor ideia de que havia flores de lótus nesse belo quintal/jardim?, mas desde lá dos orientes que imagino essas raízes assim como a das orquídeas, mais ou menos aéreas.
:)
Mas entre a orquídea e o lótus, até porque uma das raízes deve estender-se até ao oriente, preferi a segunda hipótese.

..........
Maria, este blog às vezes parece um encontro entre pessoas que só se conhecem 'virtualmente' (e não só, por exemplo esta gv e o fj até se conhecem entre eles...) mas afinal se vão conhecendo com alguma segurança, que este contacto quase diário traz. Claro que o trocista do fj está longe de ser bipolar, mas tem realmente tendência para se deprimir. E isso é muito chato.
Obrigada sem-nick, eu tenho esta pancada, de gostar de 'enfeitar' o que escrevo com imagens. Nem sempre consigo aquilo que tenho na cabeça. Mas deste vez era tal como pensaste, o estar nas nuvens com um grande sorriso (mesmo que o sporting esteja aflitinho como lembra ali o FJ)
:)

King disse...

Eheheh!!!
Tu não perdes uma Emiéle!
100% de acordo. Também já me têm dito a que respondo com um sorriso amarelo. Deve ser mesmo uma moda que está a começar.
Enfim (*suspiro*), há outras piores!
:)

King disse...

Olha mulher, o sporting pode andar aflitinho, mas tirando o Porto o panorama não é de euforia, ou é?...
Que raio!!!!
:)))))

josé palmeiro disse...

Então, Boa Tarde!!!

Estou, como não podia deixar de ser, FELIZ!

Quanto às modas, prefiro as do Porto!
Quando lá vou, ver os meus, ouço com cada uma que é uma delícia. Tudo para acrescentar, aos meus conhecimentos.
Só peço que falem "Português", não custa muito e ficamos todos no mesmo "comprimento de onda". No entanto, há umas modas, bem inventivas.
Deixem-me aproveitar, este cantinho para dizer que ontem, passou, finalmente, na RTP-Açores, talvez porque era feriado nos Açores, o "ANTHERO - O Palácio da Ventura".
Só espero, agora, que a RTP, tenha a coragem e a dignidade de o mostrar ao todo português.
Recebam, todos um abraço do Zé Palmeiro

Maria disse...

Claro, "bipolaridade" foi a brincar.

Eu aprecio pessoas com sentido de humor e também tenho uma ligeira tendência para deprimir, vês fj,como eu te compreendo?!
(o último parágrafo é a sério)

zorro disse...

E não é que desde que passaste a escrever menos quantidade de posts tens aumentado os comentários?! Eu reparei nisso!
Ehehehehe!...
Pois é.
A moda do pá, é menor do que na minha adolescência mas continuamos a dizê-lo... E o famosíssimo «porreiro, pá!» ficou para a eternidade para mal dos pecados dele :(
Claro que há modas.
E claro que a influência do brasileiro desde que fomos «invadidos» pelas telenovelas é o que se vê. Esta novidade é que me parece mais autóctone, mas como acentuas um tanto pateta.
Tal como o TUDO BEM ?
O «está-se bem» creio que vem de África, é a CDLP a funcionar. Enfim....

Maria disse...

Olá Zé palmeiro, estava preocupada contigo, primeiro pensei: foi a "banhos", com os outros que também não apareceram neste fds, mas, como não vinhas e depois de tantos incidentes nas praias... ufa ainda bem que já chegaste, são e salvo!!!
(hoje deu-me para isso...brincar não ofende, digo eu, e a mim espanta-me alguns males)

fj disse...

Maria eu não sou sequer maníaco depressivo ( repara no "sequer" ,desgraçadinho que nem isso consegue ser ),apenas 3 ou 4 dias por ano, o resto rasteiramente depressivo ( gosto, confess, do "rasteiramente").
Mas sobretudo percebam que um ?tudo bem? desprestigia a depressão, que tem tantas dificuldades de integração.Sejamos inclusivos. Realmente o pá, se calhar, é geracional.

kika disse...

Não saio disto:
Bom dia como está, passou bem? ou Olá, tudo bem? se for menos formal... claro!
Algumas formas de cumprimento que foram aqui ditas, não me soam bem pois dificilmente entrariam no meu léxico.
Acho que se conseguem descobrir algumas caracteriscas duma
pessoa, pela forma como cumprimenta, quer verbal ou gestualmente.

King disse...

Já percebi, o fj tem um polo muuuuuuuuita grande e outro pequenininho.
Não há direito!
:)

estrela-do-mar disse...

O Zorro tem toda a razão. Este blog desde que diminui o número de posts aumentou o número dos comentários!!!! A malta vem para aqui para se pôr à conversa, só pode!!
Vamos lá a ver estas coisas demoram um tempo «a pegar». Estão a ver como o tal «TUDO BEM?» já entrou na nossa linguagem? Agora é esperar que o tal ««Então, bem disposta não é verdade?!» pegue.

Espero bem que não, já agora.
Mas se posso acrescentar o meu testemunho, já ando a ouvir muito, nem sei como é que a Emiéle só agora deu conta
:)

Emiele disse...

Que engraçado, têm toda a razão. Agora vinha dar aqui uma vista de olhos e reparei nisso mesmo - agora os mesmos comentadores que deixavam um comentário por post, voltam ao mesmo mais de uma vez e... ena, ena! cheguei a 20!!!!

Castanha Pilada disse...

Essa aí do bem disposta aina não tinha dado por ela. Parece-me conversa de vendedor de qualquer coisa.

Emiele disse...

Mas olha, que a mim já é a 3ª vez que começam a conversa desta maneira. Desta última vez o tipo estava a ouvir uma reclamação - o que tinha a vender já o tinha feito...

fj disse...

Para tod@s uma noite maravilhosa, que vos traga tudo, tudo o que desejam para uma noite de verão, somhos maravilhosos, que em breve se tornaeão realidade.Um acordar super enégico, cheios de confiança no dia 3 de junho,sorriam ao sol, mandem mensagens aos muit@s amig@s que têm Paz e felicidade, vai correr tudo bem, amanhã como sempre.E estejam bem dispostos, claro.

Hipatia disse...

O meu tio-avô emigrou para o Brasil quando a minha mãe tinha 4 anos (nem de propósito: a minha tia avó esteve em Portugal nem há duas semanas e aquele podia ter sido o voo dela) e tinha uma embirração muito especial de cada vez que ouvia um de nós dizer "então rapariga?". É que lá por terras de Vera Cruz, rapariga parece que se reserva para moçoilas de vida... menos digna ;-)

(eu odeio os "inhos": olázinho, adeusinho, fica benzinho. Tretas dessas. Salva-se o beijinho e, ainda assim, a contragosto)

Emiele disse...

Até amanhã FJ, obrigada e bons sonho... Mantém esse espírito que é o que faz falta!!!!
:)
Hipatia eu uso um pouco diminutivos mas julgo eu qye sem exagero. Há realmente pessoas que usam vários por frase o que é completamente cómico, parece uma outra língua (talvez língua de bebé...)
Eu sabia que realmente «rapariga» em 'brasileiro' não é muito bonito, dizem 'moça'. Mas foi também com eles que se aprendeu a não dizer bicha como se dizia dantes e agora falamos em 'fila' para dizer o mesmo.

Saltapocinhas disse...

Olá pá!

Então, bem disposta não é verdade?
adeuzinho, até amanhã!!

Emiele disse...

Saltapocinhas, esqueceste-te do SEMPRE. O que talvez mais me encanite é o SEMPRE. «Dizer, olá bem disposta?» ...enfim... Mas afirmar «Sempre bem disposta», poupem-me a essa!!!!!

Olá, Bom Dia!!! :)

Os adeuzinhos, thauzinhos, estão como dizer bom-diazinho. Vá lá que não se diz «olázinho»

:)

Alex disse...

Olha pois é... Realmente já ouvi essa mas nunca me apercebi de que "aquilo" era suposto ser um cumprimento, sempre atribuí a uma tentativa de declaração amistosa por parte dos idiotas que assim começam o seu blá-blá-blá. Agora fez-se luz - Pois é! E mais, apercebo-me também que discurso assim começado termina invariavelmente com um "Então vá" na despedida e vários "Então é assim..." pelo meio.
E não se pode extermina-los...