quarta-feira, abril 29, 2009

A «véspera»



A Hipatia, do
Voz em Fuga, lá arranjou maneira de me meter numa espécie de corrente’. Apesar da embirração que tenho por este «estilo literário» desta vez tenho mesmo de participar, por um lado porque o convite vem dela e é uma blogger que considero uma amiga e por outro porque a ideia é engraçada: propõe-se que digamos o que fizemos no dia… 24 de Abril de 1974.
Difícil, heim?
Se do dia em si, tal como do 1º de Maio, quem não fosse muito pequenino não o pode esquecer, acredito que poucas pessoas consigam 'reconstituir' como foi o seu 24.
Bem, eu podia perfeitamente inventar. Ninguém me vem pedir provas juradas, ando aqui anónima, se contasse um conto de perfeita ficção estava no meu direito, não? Não. Não estava! A Hipatia não merece, e ainda por cima, no meu caso especial até me lembro de muita coisa desse famoso dia de véspera:
Começou por ser um dia de trabalho normal. O que fiz no trabalho isso nem eu sei nem vos interessa. Mas havia um pormenor importante, é que era véspera dos meus anos e por isso mesmo tinha diversas coisas a tratar. Sei que aproveitei a hora do almoço para ir a casa dos meus pais buscar uma escrivaninha pequenina, que desde a minha adolescência se dizia que seria minha. Os meus pais tinham decidido que essa seria a minha prenda de anos e portanto fui lá buscá-la de carro e ainda nessa hora de almoço pedi a uma colega se me ajudava a subir com ela os 3 andares da minha casa!!!
No fim do dia de trabalho fui ao cabeleireiro, para estar bonita no outro dia, e estive a temperar e preparar o jantar da festa do dia seguinte, e deixar os doces já prontos.
Mas a noite do dia 24 foi toda passada com um casal de amigos íntimos, com quem jantámos num restaurante na zona do Saldanha e onde nos deixámos estar à conversa até pouco depois da meia-noite para serem horas de me oferecer a prenda que levavam – um disco LP chamado «Donde El Água» cantado por Patxi Andión. Eu adorava a voz rouca desse cantor e o disco era recente
O tema da conversa? Uns 75% foi dela foi o momento político, adivinham! Tinha havido o Golpe das Caldas, estava tudo ainda muito nervoso, mas pairava no ar a sensação de que alguma coisa ia acontecer!
Mas curiosamente, passámos numa zona perto do Quartel-general onde muito poucos minutos depois iam aparecer tanques, e… não vimos nada! Ao deitar-me a minha única dúvida é se o strogonoff do dia seguinte não estaria temperado demais, e enlevar-me com a beleza de minha 'nova' escrivaninha.
E dormi bem sossegada!
(claro, até ser acordada bem cedo de madrugada, pelo telefone que tocava à cabeceira, e ouvir «liguem o rádio!»)
Pronto.
A quem passar 'esta bola'? Não percebi se há um número certo, e assim passo-a a quem sei que já tinha idade para recordar: José Palmeiro, Isabel, Saltapocinhas, Castanha Pilada... e fico por aqui que já é bom se estes responderem.

10 comentários:

King disse...

ooooooh!
Tenho de voltar cá com mais calma.
para ser franco, sou como todos, lembro-me do Dia, mas o anterior....huuuumm

Joaninha disse...

Sabes que eu, por acaso, também me lembro?...
Ainda cá volto a contar, mas agora estou com pressa.

kika disse...

Correntes não!!! Nem por uma boa causa, sou alérgica.

josé palmeiro disse...

Vamos lá ver se me recordo.

Mary disse...

Bem, eu já era crescida mas confesso que da véspera não tenho a menor ideia.

Hipatia disse...

Pois sou amiga :) E, como te disse lá no meu, lembrei-me de te passar este porque te li a "chorares-te" por aqui de que este ano as tuas comemorações de Abril (por falar nisso: parabéns!) estavam a ser mais pobrezinhas do que o costume.

Já te leio há uns tempitos (incluindo vários Abris) e acho que nunca tinha lido nada sobre a escrivaninha. Gostei tanto da ideia, sabes: um coisa que, para ti, era muito importante num dia bem banal, como da acalmia antes da tempestade. Nem todos os dias podem ser extraordinários para todos; nem pode haver sempre uma revolução. Mas pelo menos que não nos faltem escrivaninhas para nos alegrarem os dias :)

Saltapocinhas disse...

mas quem te disse que eu tinha "idade"?
ainda nem tinha nascido!!!

Emiele disse...

Saltapocinhas - olha, olha... Eras novinha sim, mas quem se gaba de ser avó tem mais de 35!...

Hipatia: realmente pelos motivos que disse recordo bem esse dia. E sei da escrivaninha que ainda reina em lugar de honra na sala, porque veio realmente na véspera e a colega que me ajudou no transporte, me ligou no dia seguinte à noite é claro, a dizer «mas que chic! como é que se pode encomendar uma revolução como prenda de anos?!"» (entre parêntesis depois ela tornou-se numa reaccionária do caraças!)
Joaninha, fiquei aqui á espera!É para hoje...?
Kika, também sou alérgica a correntes, apesar de aqui na blogosfera terem outro sentido - fazem-nos mais conhecidos. Contudo gosto muito do Voz em Fuga e neste caso tive de a aceitar..

Castanha Pilada disse...

Caramba, só dei por ela agora! Este blog tem muita actividade, a gente perde-se!

josé palmeiro disse...

Venho só dizer que respondi, na "Sesta", como não sei, fazer o link aqui, deixo a informação.