quarta-feira, abril 29, 2009

Falsas aparências II

Bem, cá venho concluir a história que comecei ontem.
Quando me vi de posse dessas tais duas cadeiras, a primeira ideia foi ‘restaurá-las’ e, para já, retirar o estofo que vinha a despropósito para além de ser feio não ser ao meu gosto, portanto passei por uma casa que colocava palhinha nas cadeiras e deixei ficar uma delas para fazer um orçamento.
Passou-se tempo. Muito tempo. Meses e meses! O homem não me dizia nada, e de uma vez que passei por lá ainda me disse muito trombudo, que ia ter que tirar o estofo e nem sabia se podia colocar ali palhinha, talvez ela não fosse feita para isso… Educadamente insisti que sim, que em tempos tinha tido palhinha, portanto «tinha sido feita para isso».
Como se tivesse passado ainda mais tempo, um dia peguei na outra, e passando por uma carpintaria ao pé da minha casa repeti o pedido. Este senhor foi muitíssimo mais simpático, disse que ia tratar dela mas quem punha a palhinha era outra pessoa. Oito dias depois ao passar pela porta, chamou-me a dizer que estava quase, mas informou-me num tom de voz especial , assim tipo 'em confidência': «Oh minha senhora, sabe o que tem ali?! Aquilo é coisa boa. Nem eu me lembro de ver pau-santo daquele!!! Tive de a lixar toda mas é uma peça formidável!». Sorri, respondi-lhe que sabia, que tinha outras que estavam arranjadas e bonitas. Telefonou-me poucos dias depois a avisar que estava pronta, e quando lá fui ainda me disse: «Estava desejoso que a viesse buscar, que há um antiquário que me está a chatear porque a queria comprar; eu a dizer que era duma cliente, e o tipo a insistir… Sabe quanto é que ele oferece?» ( disse-me o valor oferecido). Pronto, paguei a cadeira que trouxe para casa, e no dia seguinte fui recuperar a outra, a que estava há meses à espera do ‘orçamento’.
E agora vem a graça, que motivou o título desta história:
Este carpinteiro mal-encarado, nem sabia já onde tinha enfiado a cadeira. Lá a desencantou num canto, sujíssima - de pó, de salpicos de tinta, de porcaria vária. Entregou-ma dizendo «Mas para que é que quer isto? Eu se a visse no lixo nem a apanhava! Há agora umas tão jeitosas.»
Não estive para lhe explicar que por uma igual àquela, um antiquário tinha oferecido o suficiente para mobilar uma sala inteira com moveis do Ikea…
São as aparências!


8 comentários:

King disse...

E vitória, vitoria, acabou-se a história!

Mas devias ter dito isso mesmo ao palerma do 1º carpinteiro para ver a cara de parvo com que ficava!!!!

Joaninha disse...

E não arranjas mais uma cadeirinha, já agora? É que 5 é uma conta arrevesada...
Prontos! E parabéns uma vez que és a feliz proprietária de quase meia dúzia de cadeiras de antiquário, heim?!

Mas ele há cada parvo, emiéle! Com que então deitava-a para o lixo? E comprava uma de «fórmica» ou coisa assim?.... (ainda existe 'formica'?)

kika disse...

Quando me dizes que o valor de uma cadeira, dá para mobilar uma casa completa no ikea, fez-me reflectir e vou ficar mais alerta, só que no meu caso dá para zangas fortes e eu não sei se quero que tal aconteça.Mas com a crise que provavelmente se prolongará, quem sabe se não devo estar mais atenta? Sou tão desprendida dos bens materiais, que na maior parte das vezes quero é paz. O que mais valorizo é a saúde.

josé palmeiro disse...

Infelismente essas situações são mais comuns do que se possa pensar.
Depois, há gente que não tem paciência para a profissão que acolheu e reage como o carpinteiro que tão bem caracterizas. Por fim há aqueles que sabem e que gostam do que fazem, os verdadeiros artistas e que reagem como dizes.
Ainda bem que recuperaste as duas!
Focaram cinco, uma tem sempre voto de qualidade. Ou não fossem de pau-santo!!!

fj disse...

Teria mais interese ainda se soubermos quanto oferecia o antiquário.

sem-nick disse...

Uma correcção Kika :)
Ela não disse uma «casa» disse uma «sala». O que conheço do Ikea dá para se mobilar uma sala com poucas centenas de euros, 220 e tal, ou 300. Eu interpretei como querendo dizer que se comprava uma coisa moderna por uma parcela do preço da tal cadeirinha...

Mary disse...

Boa!

Um final feliz, mas realmente isso acontece muito nesta época de usa e deita fóra.
olha que pela descrição que fazes era cadeirinha realmente (depois de arranjada) para umas centenas de euros.

Emiele disse...

Exactamente, King «vitória, vitoria, acabou-se a história!» isto foi uma brincadeira.

Kika, e FJ, como avançou o sem-nick, falei em salao que é diferente de uma casa toda, e usei o modelo do IKEA por ser baratinho e terem modelos de salinhas muito em conta... mas já que estão curiosos, ele oferecia cerca de 400 €. Estou rica, com mais 5... (mas o facto de não ser a dúzia nem sequer meia dúzia, desvaloriza, sabem?)