quinta-feira, março 26, 2009

Teatro e cinema

Há coisas que nos dão que pensar. A gente não pode (ou não deve) desconfiar por sistema de informações que nos vêm de serviços que não teriam nada a ganhar com falsificações. Por isso, quando me dizem que em Setembro do ano passado 29% dos portugueses entre os 15 e os 64 anos, residentes em Portugal Continental, afirmam ter ido ao teatro nos últimos 12 meses devo acreditar.
Mas admiro-me.
É que 29% não chega a um terço mas para lá caminha. E está-se a avaliar Portugal continental, não se fala apenas de Lisboa ou Porto.
Estranho...
Em relação ao cinema, não teria dúvidas. Apesar de os DVD e os canais de cinema da TV lhe tiraram algum público, cinema é cinema, e ainda há muito quem vá até mais de uma vez por mês. Sobretudo filmes «oscarizados», ou de grande promoção.
Para o cinema português já há mais desconfiança, e nalguns casos merecida, desculpem-me.
Por outro lado nem sempre a distribuição é o que devia ser. O amigo José Palmeiro divulgou no blog dele
o filme «Anthero - O Palácio da Ventura» que deve ser muito interessante, mas anda ainda a passar por várias ante-estreias e não faço ideia quando chegará ao circuito comercial.
Daí a minha estranheza quando vejo estes números relativos ao teatro.
E, sobretudo, a minha experiência pessoal (em Lisboa, é certo) não mostra este gráfico em escadinha. Vejo nas salas muita gente nova, é certo, a primeira faixa do 15 aos 24 deve estar correcta, mas a seguir o que vejo são muitas cabeças brancas, pelo menos às peças a que tenho assistido. A ideia com que eu fico é que o teatro interessa sobretudo aos mais jovens e aos mais velhos.
Mas devo estar enganada, pelos vistos...

8 comentários:

zorro disse...

Já venho daqui a pouco comentar sem ser à pressa, mas agora é só para chamar a atenção para uma coisa:
Também, tal como tu, reparei em muitas «cabeças brancas» em contraste com os muito jovens. Mas repara que aqui a estatística pára aos 65 anos! Ora, depois dos 65 não só os bilhetes são mais baratos, como as pessoas têm mais vagar. Cá por mim, se fizessem a avaliação com uma coluna dizendo + de 65 ias ver que essa era quase tão alta com a dos 18 aos 25.

sem-nick disse...

Está bem visto, Zorro. Se calhar é esse o mistério.
Mas por mim, creio que entre a gente mais jovem, o teatro está a voltar a ser moda. Ainda bem.

Esse filme já tinha lido no «Estou na Sesta» (nunca deixei comentários, mas passo por lá muitas vezes!) mas creio que também passará na TV. Fico à espera.

AB disse...

Eu acredito nessa estistica.Não vais muitas vezes (ou nenhuma)ao Politeama por exemplo.Exactamente como para os comicios o Politeama tem um marketing que envolve desde Camaras a Agencias de viagens e todos os dias chegam camionetas cheias de "turismo cultural interno" que depositam as pessoas nas Portas de Santo Antão.è natural que só isso ao longo do ano represente muito da percentagem.AB

Mary disse...

E fazem tournées.

Eu penso que não é tão errado como isso, se levarem em conta que mais no interior existem essas tournés e numa terra relativamente pequena a chegada de um grupo de teatro é motivo para fazer sair de casa muita gente.
E, talvez também não estejas a pensar no Teatro Amador. Olha que em terras mais pequenas (sem ser Lisboa e Porto) há grupos de Teatro Amador, que muitas vezes levam à cena duas peças por ano - ensaiando à noite e ao fim de semana - e só aí nem que seja com os familiares dos actores aumentas muito a percentagem.

josé palmeiro disse...

As relexões aqui trazidas, todas têm o seu quê de verdade. Por isso é natural que a estatistica esteja, aproximadamente, correcta.
Relativamente ao tele-filme, "ANTHERO, O PALÁCIO DA VENTURA", terminou ontem em Faro o seu périplo pelo continente, depois de ter estado em Lisboa e no Porto, no âmbito das Casas dos Açores e em Coimbra e Tondela, lugares onde foram filmados alguns "takes".
Agora segue-se a diáspora com uma ida à América.
Por cá, há a esperança de passar no canal 1, a 18 de Abril, dia de aniversário de Antero, veremos se assim acontece.

zorro disse...

OK.
De manhã ainda fiz aqui uma pequenina paragem para chamar a atenção para essa faixa que aqui estava esquecida.(se calhar sou também dos que não tem ido ao Politeama, lá isso é de considerar)
Vejo que vocês se lembraram de outras «modalidades». E também está certo.
Essa do Teatro Amador, não me tinha ocorrido e existe, de facto. Afinal até nos liceus existem grupos de teatro...

kika disse...

Aqui pelo Porto acho que o Teatro ainda tem algum sucesso pelo menos quando vou vejo sempre a casa bem composta.O TNSJ é um exemplo.Acho que os jovens se perdem mais pelo cinema, mas refiro-me a jovens mesmo 15 anitos. Os mais velhos são a maioria , o que se explica pela disponibilidade a todos os niveis e mais apetencia por coisas serias

Emiele disse...

Dou a mão à palmatória!!
De facto quando escrevi isto, estava a basear-me na minha experiência pessoal, e não a ver o conjunto. Não posso medir o interesse «dos portugueses» pelos meus.
Por outro lado, o Zorro tinha razão numa coisa importante: falta a tal coluna dos + de 65. Os que até têm desconto e não são tão poucos como isso...