domingo, dezembro 14, 2008

Cartazes de filmes antigos IX

De 1953.
Vamos a um filme de cowboys?...

9 comentários:

Nós, Os Cachorros!!! disse...

Seus posts são ótimos mesmo!!!
Adoro este espacinho na internet!!!
Desculpe se não estou sempre aqui, mas o tempo me é curto e nem sempre posso postar algum recado no dia...
Hoje estou "meio" livre por ser domingo... rs
Parabéns pelos posts e pelos amigos!!!
Abraxos

king disse...

Não era uma «cowboyada» era mesmo um filme do Oeste!!! Um filme de cowboys a sério.
O velho Shane...

kika disse...

Só para dizer Bom Dia a todos , não gosto de cowboyadas nunca vi um filme vá-se lá saber porquê..Gostos..

AB disse...

Shane.O Jack palance era mesmo muito feio.Grande filme!AB

josé palmeiro disse...

Filme de culto, começado a rodar em 1953, em Itália, é um Western de culto, exatamente porque não era uma "cowboyada", qualquer.
Relativamente ao Jack Palance, só dizer à AB que, foi logo o que me veio à memória.

Mary disse...

Shane!!!!
Foi mesmo um filme de culto!
E, é claro que não era um «filme de cowboys» no sentido em que se usava o termo.

Olhó Jack Palance!! Onde isso vai....

Emiele disse...

Olá Cachorro. Fico contente que passe por cá, e ainda por cima vindo de tão longe. Realmente tenho por aqui uns leitores fieis que se dão ao trabalho de passar por aqui todos os dias e isto fica quase um fórum!... :)

Escolhi o Shane exactamente por ter sido um filme «de culto» e já lá irem uns 50 anos...
(Oh Kika, mas se nunca viste nenhum, como sabes que não gostas...?)

André disse...

Um filme a recordar e que nos remete para um imaginário fisicamente perdido. Sustentado por uma direcção competente, do competentíssimo George Stevens, este filme carreia em si mesmo a memória de um gesto: - Quando Brandon deWilde (o miúdo) grita por Shane (o mítico Alan Ladd),fazendo a sua voz ecoar por toda a planície em redor, somos nós, que recostados na cadeira ou sofá, exprimimos o aperto no coração que aquela deliciosa profundidade de campo encerra.

Obviamente a não esquecer!...

Emiele disse...

Olá André! Vê-se que gostas mesmo de cinema. E tal como disseste, essa imagem é de ficar no nosso imaginário.