segunda-feira, novembro 02, 2009

Higiene e bom senso

O que é demais, é demais.
Tenho recebido de vez em quando uns emails, que me tentam motivar para uma espécie de campanha que anda por aí, (pelo que vi com o apoio até de estrelas de Hollywood) para que se passe a fazer xixi quando se toma duche. Poupa-se muitíssima água dizem. Claro que todas as outras variadas vezes que se precisa de fazer durante o dia não deve ser aconselhável tomar mais duches, creio, aí temos mesmo de usar a sanita. Ou seja, a tal economia de água é apenas uma pequena parcela.
Por outro lado também soubemos que o presidente Chavéz pediu aos Venezuelanos que não gastem mais de 3 minutos no banho [e já agora não cantem no chuveiro (sic!)] também para poupar água. Deu o seu próprio exemplo, parece que "toma banho em três minutos, e não cheira mal". Quanto à história da cantoria deve ser porque se gosta de ficar debaixo de água até acabar a cantiga, imagino eu...
Tenho todo o respeito pelos ambientalistas. Na medida do possível cumpro algumas regras sensatas de poupança, quer de energia quer do gasto de água. Negar o aquecimento global é enfiar a cabeça na areia como a avestruz. Mas... calma. Este tipo de campanhas não me convencem.
De facto já tenho pensado que a água do autoclismo escusava de ser aquela, bebível, que nos sai das torneiras. Porque não inventar-se um sistema de canalizações que conduza para essa finalidade as águas já usadas?
Agora esta economia do duche-dos-3-minutos ou do xixi-no-banho quando há gastos bem mais graves do ponto de vista ambientalista,
...ná, não me conseguem convencer!

28 comentários:

Miguel disse...

Gostei mesmo foi de saber que o Hugo Chavez não fica a cheirar mal com um banho de 3 minutos...

Concordo contigo. Para determinadas utilizações, acredito que seja esse o caminho, bastará a utilização de água "reciclada". Aliás, por aqui, como deves imaginar, faz-se osmose inversa.

Emiele disse...

:)
Como nunca me vou aproximar do Chavez a ponto de o poder cheirar, a informação que dá posso acreditar. Mas talvez se conseguisse arranjar cantigas para cantar em 3 minutos... :)

Falando a sério, não é a primeira vez que penso que de facto para as sanitas se poderia aproveitar águas já usadas. Seria muito difícil? Creio que não.

AB disse...

Sobre coisas ambientais chamo a atenção para um filme de Jorge Pelicano-"Pare,escute,olhe" que passou no DOC e é bom que passe para o cinema comercial.Ontem uma televisão falou (muito pouco) do assunto.Trata-se de tentar evitar que se crie uma barragem naquilo que é a espantosa beleza da linha do Tua,È para quem goste de ouvir o 1º ministro uma enorme lição.A paginas tantas no meio daquela deslumbrante beleza, ouve-se a voz do dito em viagem com comitiva,qualquer coisa como isto "Aqui faz falta betão".Não é uma piada dos Fedorentos....È mesmo uma captação com microfone ultra sensivel.Parece que uma barragem ali não acrescenta nada à região,mas ficamos a saber que o poder e o betão tem grandes cumplicidades.AB

Joaninha disse...

É interessante como a respeito do ambientalismo se cai quase sempre do exagero do 8 ou 80.
Desde os tipos (insuportáveis) que se riem alarvemente e gozam, com frases do género «quero-cá-saber-daqui-a-200 anos-já-morremos-todos» aos fundamentalistas que já não limpam o rabo com papel por causa das florestas amazónicas oscila-se de um extremo ao outro.
AB, não vi esse filme mas fica a curiosidade. Vou estar atenta.

Joaninha disse...

Ah, é verdade, já me tinha chegado cá essa campanha do xixi no duche. Não é que me aflija, se estou com vontade - e a água a correr muitas vezes desperta essas vontades - até posso fazer também, com a ideia que vai tudo para o ralo, mas valha-me Deus não vou esperar pelo meu duche se tenho vontade!!!!
Ele há cada maduro!

A Senhora disse...

Aqui veio essa campanha, mas presumo que entrou por um ouvido e saiu pelo outro. Alguns shoppings já usam, nos banheiros, águas recicladas nos sanitários. E concordo com você - acho que tem que haver campanha para reciclagem de água, da mesma forma que tem para os outros materiais recicláveis. Agora... o custo é que não deve ser dos mais baratos...

Chavez? Esse cara é uma piada. Chegou a comparar Lula a Jesus Cristo.

beijinhos

gv disse...

fazer xixi sempre que se toma banho numa piscina privada parece-me uma ideia ideal...

sem-nick disse...

Eheheheh!!!
Essa de fazer o xixi no banho, tenho ouvido por aí e parece-me de rir.
Primeiro tem de se explicar bem que é no chuveiro.
(ou, como diz a GV, ai das nossas piscinas...)
E depois é uma economia de qui-ri-qui-qui. Quando vejo por aí condutas de água rotas que estão às vezes dias inteiros a deitar fora litros e litros e litros de água boa, este tipo de economia parece caricato.
O banho de 3 minutos, why not? Mas com toda a franqueza andarem a medir o tempo do meu banho, parece-me um tanto persecutório.

fj disse...

Uma série de observações interessantes.Destaco a de gv, sobretudo se a piscina for pequenina e estiver lá muito mais gente.A ideia expressa pelo Miguel mas partilhada ,julgo, por muitos,é a reciclagem.
Claro que na moda antichavista todos ridicularizam o duche do homem, chegando
a insinuar que o homem cheira mal, boato espalhado ao que parece pela cia, agência de impecavel odor como todos sabem Realmente, e felizmente para ele,politicamente cheirará mal a muitos; mas do ponto de vista higiénico, tudo me parece impecavel. exprimentem cronometrar o vosso duche, e vejam bem como 3 m dá para todas as cavidades e protuberâncias, e zonas planas,com e sem sabonete.O combate ideológico tem de ter limites, nos quais não se devem incluir a . .
cronometragem dos banhos.
A do papel higiénico é tambem recomendação do mestre de Rose na sua escola de Yôga .É de seguir, com certas reservas.Obrigado pela confissão Joaninha, levante-se quem nunca o fez.

snowgaze disse...

aqui há a possibilidade de recolher a água da chuva e utilizá-la quer nas casas de banho quer para regar os jardins. O inconveniente, no caso da utilização dentro de casa, é que o sistema de recolha tem que ser mais complexo, para evitar que certos detritos se acumulem na cisterna e haja proliferação de bactérias.

a cidade de Munique (as outras não sei) chega ao cúmulo de cobrar um imposto a quem não recolhe a água da chuva.

kika disse...

Se todos pouparmos um bocadinho, os resultados serão positivos com certeza, pois a seca no Norte é uma realidade, onde no verão chegou a haver distribuição de água porta a porta.
Essa de reciclar água, parece-me boa ideia , mas como e para quando?
Ainda há falta de saneamento básico...:)
Enquanto usufruimos desse bem vital
com tanta facilidade e abuso estamos a esquecer efectivamente o que se está a passar no planeta..
Higiene e bom senso como diz a Emiele, no mínimo!

King disse...

Este é mesmo um pst que «puxa comentários»! :)
O trocadilho que ocorre logo quanto a «cheirar o Chavez» (há quem nem o possa cheirar!) é engraçado, mas a verdade é que foi ele quem abriu a porta... lol!
Realmente se temos de ter cautela com o modo com se governam os recursos naturais, há um tipo de poupanças que nos dá que pensar. Claro que se calhar quem poupa nos tais 3 minutos também poupará no resto, mas...

Emiele disse...

Também estou a ver que é um post que «puxa comentários» King, mas olha que quando o escrevi não pensei nisso. :)

Claro que 3 minutos pode parecer muito pouco mas eu concordo que não é muuuito pouco. Um minuto são 60 segundos e se olharem para um relógio 60 segundos até é muito. Dá bem para a gente se molhar (imagine-se que se estava á chuva!...) Depois mais 2 minutos para tirar o sabão - admitindo que o tempo de ensaboar não conta, porque aí a água até convém estar fechada. O cómico é como disse o sem-nick, estarem a mandar numa coisa tão pessoal...
De resto também existe o oposto. Conheço dois irmãos, filhos de uma amiga minha (o FJ também os conhece) que levam mais de meia hora com a água do banho a correr. Reconheço que me mete nervos! Quando estamos na cozinha ouve-se o esquentador e, se bem que não tenha nada com isso, penso de mim para mim que se fossem meus filhos acabava com aquilo!
Esse é um caso oposto. A conta de água e gás daquela família deve ser assombrosa e sem qualquer vantagem quanto a higiene.

Bem, mais logo, venho responder a todos. Até logo!

gv disse...

oh senhor ou senhora sem nick: eu não me referia às "nossas" piscinas! primeiro porque não tenho tal luxo (emiele não me faças perder a face, eu já que já tive mas isso foram outros tempos, outros espaços, outras vidas - é como se não contasse...). depois, porque como algarvia de gema (e de clara e de casca também), abomino a proliferação de piscinas dos "ricos". (assim como as extensões imensas de campo de golf que é preciso regar dias e noites a fio). e o indígena sem água para regar a horta ou até para se lavar.
por isso é que faria xixi nas piscinas "deles"! renovada tentativa de fazer os ricos pagarem a crise (ambiental)

Joaninha disse...

Adoro estas conversas!
Quanto ao tal xixi nas piscinas, hipótese interessante e afinal há quem diga que aquilo é quase só água, etc e tal, tinha ouvido que nas públicas se punha qualquer coisa na água que fazia-a mudar de cor se fosse «conspurcada» com tal matéria... :)
Isso para fazer passar uma vergonha a quem o fizesse e, creio que, para dar confiança às pessoas de que aquilo era limpinho :)
GV, no Algarve o próprio mar é um tanto 'apiscinado' nunca entendi para que é que se constroem piscinas numa terra dessas. E quanto ao golf e as suas regas, foi muito bem lembrado. Há muito desperdício de águas para além dessa descarga de autoclismo por dia...

Joaninha disse...

Ah, snowgaze, isso de aproveitar a água das chuvas já me parece uma bela ideia. Pensando bem parece que bastava passá-la por um filtro ou coisa assim. Afinal as cisternas de antigamente tinham essa origem, creio eu. Lá haver uma multa para quem o não faça é que me parece outra vez exagero, bolas!

fj disse...

Gv recua assustadoramente, a ponto de tentar politizar as suas deficiências higiénicas!
Snow gaze não dê hipóteses sobre novos impostos! hA quem leia isto; tanta coisa interessante por aí para contar, deixe lá os impostos.

Mary disse...

O chegar aqui «já tarde» tem destas coisas, agora os comentários levam mais tempo a ler do que o post!!! E está cá tudo hoje, da AB, ao Miguel, a GV, o fj, a Senhora, até a snowgaze, que raramente encontro aqui (mas também não é a primeira vez!)
Claro mais a Kika, e Joaninha, o sem-nick, é o fórum habitual :)
O nosso fj afirma, e muito bem, que a lei dos 3 minutos é justa. Ora por quem é! Aliás a Emiéle desmonta a coisa minuto por minuto e é capaz de ter razão (o pior são os tais irmãos que levam meia hora debaixo do chuveiro, bolas!!!)
FJ, os odores do Chavez e mais a CIA cá por mim prefiro nem me aproximar. É evidente que está na moda bater no homem, mas olha que ele põe-se a jeito! :) Não sabia que o mestre Rose também abolia o papel higiénico. Mas afinal a gente lava-se ou limpa-se? Ou nem uma coisa nem outra?
AB, os microfones são tramados. E o pior é que depois não se pode negar porque está gravado! Por mim creio que os gatos devem ter é dificuldade na escolha, que aquilo é demais!

Mary disse...

Ninguém falou no boneco!
Já viram o polícia a multar o dona do minúsculo cãozito, que deve estar a fazer um correspondente minúsculo xixi, rodeados por aquela terrível fumarada mil vezes mais poluidora do que o que quer que seja que o cãozito esteja a produzir...?

Anónimo disse...

:)
É que está muito bem visto!!!
Também recebi vários desses fw (penso que vêm do Brasil e por aquilo que fui confirmar pelos links é mesmo) e fico a pensar que o gasto de energia em enviar essa coisa toda pela net, é bem maior do que os 2 litros de água de gasto na sanita. Muito mais sensato seria reciclar essas águas desbaratadas. E o aproveitar as das chuvas também é sensato, sem recorrer a multas, é claro. Aliás nas cidades portuguesas nem sei como seria possível - como é que fazem em Munique?... os telhados tem uns receptores de água?...

kika disse...

Oh Mary, boa observadora. Aquele nico de cão a ser alvo de multa.:)

Miguel disse...

Quanto a banhos, desculpem lá mas sou dos que gosta, adora, desde puto diga-se, ficar horas no banho. Farto-me de cantar no duche, é um momento de relaxamento para mim, sentir a água quente a cair-me em cima e poder estar ali, nas calmas.

Quanto à água em si, parece-me ser uma falsa questão, excepção feita para as populações que vivem longe dos recursos. Da mesma forma que os romanos tinham os seus aquedutos para fazer chegar água às concentrações humanas, o futuro passará não só pela racionalização dos recursos mas também no investimento da sua distribuição a nível global. Se vamos ter o aumento do nível da água do mar porque não intensificar a dessalinização? Onde tal não é possível porque não a reciclagem? Porque não voltarmos a ter poços nas cidades, como Lisboa (até aos anos 80, o apartamento onde vivi, num prédio com 2 andares, tinha quintal onde havia um poço, videiras, etc e isto na área da Gulbenkian)? Porque não o aproveitamento da água da chuva, a sério? Se nós, enquanto colonizadores, deixámos inúmeras soluções arquitectónicas para o efeito por esse planeta fora (encontrei cacimbas em muitos locais)?

Sou um grande céptico disto tudo porque, acredito piamente, há sempre interesses económicos que se sobrepõem aos interesses colectivos e que condicionam o poder político tout-court. Porque é que Kyoto não passou de um processo de intenções? Etc, etc, etc, etc, etc...

fj disse...

Mas vir ainda mais tarde é melhor.Justa a referência a AB, por ser ela e pelo que diz.Já tinha pensado em reparar a minha falta.
Lá que o Chavez se põe a jeito é verdade ( embora aqui nada se diga da grande parte positiva da obra dele ). Não obstante nunca vi referência a que ele recomendasse que se fizesse xixi nas piscinas dos gringos.Isso é a linha de gv, claramente antibolivariana. Quando me informaram da posição do Mestre De Rose fiquei com a impressão de terem referido água e sabão.De ha muito que me paira essa dúvida, mas,Mary, estimulado pelo aprofundamento que aqui introduziste ,ia investigar hoje,tirar tudo a limpo, digamos,mas recebi email da minha instrutora de yôga a dizer que hoje não há sessão .Prometo esclarecer na próxima vez que lá for,e, embora já tenha a minha posição tomada, trarei a doutrina ortodoxa da escola "suastiha" que, sendo uma filosofia estritamente prática, nada descura.

Zorro disse...

... e já vai em vinte e tal comentários!!!!
... e a pouco e pouco parece que caímos em um tonzinho «escatológico» o que dá sempre graça às coisas (por mim acho que em determinada altura somos todos um tanto crianças, o que só nos fica bem!)
O Miguel tem razão, para além de que mesmo um duche prolongado não gasta tanta água como um banho de banheira como tomavam os nossos pais, a verdade é que há muitos modos de resolver o problema da água (que ainda por cima se evapora e volta a cair etc) sem tanto radicalismo.
Post bem divertido!

estrela-do-mar disse...

:)
Divirto-me sempre neste blog!!
(bem, nem sempre, é claro, mas muitas vezes)
Esta foi uma delas.

Emiele disse...

E agora?...
:)
Como vou responder a todos?!
Não vou.
(e eu a pensar que amanhã é que ia ter comentários... se calhar nem se compara a hoje)

O Zorro teve graça e razão. Isto «escatologizou» e por 'culpa' do FJ que falou no papel higiénico! Ficaram todos com ideias, ou seria que já as tinham por causa do tal xixi?
Senhora, se a campanha veio daí e 'entrou por um ouvido e saiu por outro' então nem tudo está mal, ou seja o dito bom-senso aunda funciona.
De resto parece que estamos todos de acordo quanto à 'reciclagem' (não sei se se diz assim) da água. A verdade é que ainda há bastante e de facto excepto nos sítios onde as populações vivem longe ou em locais muito maus, o certo é que ainda há acesso a ela sem dificuldades que justifiquem estes excessos.
Miguel, entendo que o duche te relaxe, aliás é um efeito conhecido, creio, mas quando falas em 'horas' é um modo de falar, e o tal caso que citei é realmente mais de meia hora e por vezes de manhã e à noite. Nunca vi uma coisa assim... :)
GV, o FJ desta vez decidiu por-te na berlinda e prontos!!! O que vale é que lá no ioga dele a coisa também não é má, pelos vistos. :)
AB, desta vez a malta decidiu abandalhar e não pegou na tua dica. Há dias assim.
Snowgase, olá!!! realente vejo-te por aqui pouco, mas acho sempre graça saber que sou lida aí na Alemanha. Ganda Pópulo! LOL!!!

Emiele disse...

Uma nota ao meu último comentário/resposta :disse que «amanhã» é que pensava que ia ter comentários. Bem, a minha cabeça anda maluca, e pensava que o «amanhã» de ontem seria dia 4. Hoje confirmei que não é... Portanto espero visitas mas é dia 4 - quarta-feira, não hoje afinal.
Mistério, hein? :)

cleopatra disse...

OLA, EMIELE.
essa dos 3mn de banho, é boa, realmente, para quem gosta de "pivete" ou então não tem olfacto. ( o que é uma pena).nada como sentir um aroma a lavado, a sol e claro corpos perfumados.
a avaliar pelo chavez...mas quem liga a um "cretino" ditador???
no meu duche ninguém manda.não preciso de 1/2 hora, mas 5mn?
bah!!!
quanto ao que o fj, postou acerca do papel higienico e do mestre de Rose...eu não vou por aí.
gosto de papel macio, confortavel.
depois lavar, mas já pensaram bem, lavar antes de limpar???
blhac!!!
reciclar, separar e aproveitar é um lema meu.
cumpro na medida dos possíveis, mas é uma pena que tudo que seja reciclado seja mais caro, pois assim não compensa, na medida em que não há poder de compra...
mas vale o esforço.
se todos fizerem algo, um dia o futuro do planeta será mais viável.
desejo que já esteja melhor da gripe.
bj
cleopatra