sexta-feira, setembro 04, 2009

Ainda a gripá

Só duas notícias que respiguei aqui e ali.
Por um lado, é interessante ouvir o presidente da Associação Portuguesa de Seguradoras informar-nos que a maioria dos seguros de saúde não cobrem as despesas ligadas à doença "gripe A" ou directamente ligadas à situação de pandemia
Explica bem explicado que, apesar de haver cerca de dois milhões de pessoas com seguro de saúde e a pagarem prémios, "quando se faz um seguro tem de se saber o risco, já que é sobre o risco que se calcula o prémio" portanto nós não nos podemos arriscar a apanhar uma doença que não faça parte da lista oficial, não é?
Aí nada a fazer. Devia chamar-se "de doença" para quem recorre a eles saber com o que conta e não "de saúde" que parece à primeira vista muito abrangente. Muito bem, ficamos informados.
Por o outro lado, em Espanha, o presidente da Ordem dos Médicos, declara alto e bom som que existem interesses económicos por detrás da criação de "uma epidemia de medo" [....] e que se está a criar "um alarme e uma angústia exagerada à volta da gripe A"
E a própria Ministra da Saúde de lá reconheceu que "talvez estejamos a exagerar um pouco à volta de uma doença que, segundo as informações que dispomos, não tem efeitos muito maiores do que a gripe sazonal".
Portanto voltamos ao mesmo
Haja cautela. Devemos manter hábitos de higiene. É sensato tossir ou espirrar com um lenço de papel à frente e inutilizá-lo depois. Devemos lavar bem e frequentemente as mãos. Apoiado.
Mas afinal são coisas que devemos fazer até com qualquer outra gripe ou mesmo uma forte constipação.
O pânico que tenho ouvido para aí parece-me quase uma outra doença, mas mental. Ainda ontem, uma conhecida minha dizia que nunca mais tinha passado por um Centro Comercial (aí, até concordo com ela, não lhe faz grande falta) e nem pensar em ir ao cinema, onde passa tanta gente.
Cal-ma!

16 comentários:

Emiele disse...

Por acaso só agora notei um comentário que entrou ontem, mas me tinha passado porque não tinha voltado ontem à net, como costumo fazer já no fim do dia. Foi assinado pelo «Zé da Burra» num post já antigo e chama a atenção para a mesma notícia que refiro aqui. Mas amigo Zé da Burra, a gente sabe que os Seguros são um Negócio e bem sério, a Banca e os Seguros controlam o nosso dinheiro, é um facto. Como sabemos que não são nenhum sistema de protecção social, não estava à espera que fizessem mais do que se tinham proposto. Mas isto é um desvio, e ainda por cima custa-me acreditar que lhes saísse assim tão caro! Porque a filosofia de uma seguradora deve ser assim como a de um jogador - joga nas probabilidades. Na maioria dos casos o produto segurado fica bem e durante muitos anos vão recebendo dinheiro limpo. Mas às vezes a sorte vira, há um azar e aí perdem como no jogo. E muitas vezes perdem bem menos do que aquilo que ganharam...
O «interessante» é alegar que isto ou aquilo que poderia trazer prejuízo afinal não está coberto. Acontece muita vez, as tais letras pequeninas...

kika disse...

Não posso estar mais de acordo com o teu comentário ao comentador ´Zé da Burra´.
Há falta de ética nestes negócios,
caso contrário não se salvaguardariam tanto, em letras tão pequeninas que ninguem se atreve a ler a não ser com lupa e paciência.
É lamentável.
Gripá, continuo a ter algum respeito por ela já que o pior está para vir agora no Outono.
Este ano só vamos ter desgraças no Outono, mas eu como vocês já sabem sou pessimista, depois daquele celebre teste que nos deixaste aqui há uns tempos, assumi essa atitude!!!
Os optimistas falam realmente nessa espécie de paranóia que se pretende instalar.
A gripe sazonal, nos grupos de risco e vacinados, parece que não tem feito grande mossa, e as tais mil e tal que morrem todos os anos,não me parece que sejam gente jovem gravidas ou crianças, mas sim pessoas com alto risco em que uma gripesita se transforma numa pneumonia, dada a idade e o seu sistema imunitário ser já muito débil.
Morte por morte tambem se morre nas estradas todos os dias e em que quantidade... mas uma pandemia é uma pandemia e transtorna a vida social e economica dum país.
Oxalá ela passe ao de leve e de preferencia não pare aqui.

A Senhora disse...

Eu lembro quando meu filho, na época com 4 anos, teve algo parecido agravando-se com uma pneumonia e derrame pleural. Ficou internado no melhor hospital do pais, pago pelo seguro saúde. Ele estava com pneumonia e não gripe. A gripe foi o "start".
Jeitinho brasileiro? Talvez, mas a malandragem do seguro saúde, ao que parece, é universal.

Bom dia! ;)

sem-nick disse...

Mesmo a nossa ministra «estranhou» (o que é um termo suave numa senhora que tem um perfil suave) que os seguros de saúde não cubram a gripe A (H1N1), frisando que "é uma doença infecciosa produzida por um vírus, tal como a gripe sazonal ou as amigdalites e pneumonias".
Evidente, não?...
E que despesas enormes serão essas que os seguros estão a prever com os tais doentes fantasmas da gripe A?!

Maria disse...

Bom dia Emiéle,
De certa maneira essa poderá, para mim, (não estava a par das duas notícias que falas) ser uma boa notícia. Por outro lado, ontem reparei que tinhas um comentário não se encaixava no teu “post “ e, este levou-me até ao respectivo “post” de 6 de Julho se não estou em erro, reli tudo - já na altura todos demos uma achega - agora, essa das seguradoras, tem que se lhe diga…afinal, de que é que, têm medo? Eu não tenho seguro de saúde, mas, o meu filho mais velho tem, vou espreitar a apólice, até, fui eu que lhe fiz o seguro e não me lembro de nenhuma cláusula, que excluísse alguma doença...
Ainda esta semana fui a uma "missa de 7º dia", pela morte da irmã de um grande amigo, a igreja estava cheia de pessoas, fazia imenso calor (tudo fechado), no fim ficou a filha e o irmão da falecida a receber os cumprimentos (cena, para mim, massacrante por repetida) -cada um devia ter levado 2X200=400 beijos e abraços, no mínimo, o meu amigo que apesar do seu grande desgosto não perdeu o seu excepcional sentido de humor, no fim e com os amigos mais íntimos disse: - “ aqui o vírus deve estar abençoado…”
Vamos tendo calma e cautela, como aconselha a Emiéle e lá para meio do mês a vacina da gripe sazonal, provavelmente, já estará no mercado, não se esqueçam de comprar e aplicar a vacina,aqueles que devem ou queiram, é bem capaz de esgotar...

josé palmeiro disse...

Nada mais me resta acrescentar ao que já foi dito, é tal qual.
Só uma chamada de atenção: De quem são as Seguradoras? Não são da Banca?
Fica tudo mais claro, ou não?

Maria disse...

Quando disse ser "uma boa notícia", referia-me ao que dizia a Ministra Ana Jorge e, de certa maneira, também, o presidente da ordem dos médicos - espanhola, na medida em que fico mais aliviada.

Joaninha disse...

Gosto deste coro.
Afinal uma série de gente de bom senso e que não perde a cabeça. E podemos perder a cabeça com facilidade desde que se engula o isco, o anzol e a linha, por vezes até a cana, com que a imprensa ou os media melhor dizendo nos «fazem a cabeça» como dizem lá no Brasil.
A verdade é que existe uma doença contagiosa. Não negar isso, nem fazer de conta que não existe. Existe e pode apanhar-nos. Mas, como quem mantiver a calma pode ver, ela é grave para quem é mais frágil, e são esses os grupos que devem ter cuidados redobrados.
Por outro lado, gostei bastante da expressão "uma epidemia de medo" que usou o Bastonário espanhol. Essa epidemia, que talvez tenha como detonador interesses económicos, é que deve ser combatida com energia!

mary disse...

Pois é. Tal como a Maria se eu não tenho a minha filha tem um seguro, pago por mim. Como é jovem, nem o tem usado, mas é uma maior tranquilidade. Embora caro (pago por mês para doer menos) até abrange parte dos tratamentos dentários e tudo. estive a ver se excluía alguma coisa e não vi lá nada! Aliás a Deco vem aconselhar a não aceitarmos que excluam nada que não foi especificamente excluído!!!

Anónimo disse...

Falam dum tal "Zé da Burra" mas o seu comentário não está aqui. Como pede assim ser avaliado???

Zé Pato

Anónimo disse...

QUERO VER O COMENTÁRIO DO "ZÉ DA BURRA" PARA PODER DIZER DE MINHA JUSTIÇA

Zé Pato

Emiele disse...

Caro Zé Pato, fui eu que citei esse comentário assinado 'Zé da Burra', porque quando escrevi isto de manhã ainda o dito comentário estava visível na coluna do lado que vai sempre mostrando os cinco últimos. Seja como for, eu tive o cuidado de deixar o link nesse meu comentário para aquilo que o meu leitor tinha dito. É apenas seguir o link, ou seja clicar em cima das letras azuis, neste caso onde diz «post já antigo».

zorro disse...

Isto parece uma espiral sem fim. Tudo nos empurra a orientar para os famosos seguros de saúde. Já se sabe que os prémios são maiores quanto maior é o risco - normal. A malta jovem e que foi sempre saudável tem um prémio baixinho (porque raio se chama 'prémio'??? afinal recebemos o quê? pronto, ok, tá bem...) quando começamos a ter uma idade mais respeitável, aquilo sobe em flecha e a partir de certa idade, mesmo que sejamos muitíssimo saudáveis, com exames impecáveis, .... nem nos fazem o seguro!
E agora vem esta, que nem é para acreditar: suas excias imaginam que vão ter de pagar um balúrdios com a percentagem de portugueses que têm seguro - parece que dois milhões - e que tiverem o azar de contrair a gripe, e ainda por cima, tenham 'complicações' graves... Como até à data só sabemos de dois casos, já estamos a ver as perdas astronómicas que esses senhores vão ter.
Tadinhos!

Joaninha disse...

OK, vocês bateram mais no ceguinho dos Seguros, que com lembra o Zé Palmeiro afinal são da «mesma família» dos Bancos, ou seja, dinheiro não perdem... até nos carros que é onde dizem que mais perdem, eu tenho um seguro há dezenas de anos, só tive um acidente sem ser por minha culpa. O que lhes dei chegava para comprar dois carros novos!
E é obrigatório...

Saltapocinhas disse...

Não sei se estou a ser desmazelada, ou ingénua, ou irresponsável, mas não mudei nem um nadinha os meus hábitos, nem pretendo mudar.

Estou constipada, tenho bastante tosse e hoje tinha uma reunião. Pedi para me deixarem ir para uma sala de isolamento (faz parte das instruções que temos no plano de contingência), mas infelizmente não me autorizaram...

Emiele disse...

Querida Saltapocinhas, se já anteriormente lavavas as mãos como deve ser e com frequência, não tossias nem espirravas para o ar, nem andavas a beber ou comer com os utensílios dos outros, parece-me que sempre cumpriste as regras do bom-senso.
É tal como eu me sinto.
Dos tais casos onde me parece haver alarido a mais e os serviços de saúde até explicam.
(e, cá para nós, já tens falado na tua escola que é pequenina, "sala de isolamento"? tem espaço para isso?)