quinta-feira, julho 30, 2009

Nós também!

Nós também, também «Queremos uma justiça mais célere, capaz de responder em tempo aos cidadãos e às empresas. Queremos que Portugal continue a ser um país seguro e, [por isso, nos comprometemos também com ]o reforço das forças de segurança», e também se quer «transparência, responsabilidade e seriedade política» para além de uma «reforma fiscal a favor da classe média»
Nós, muitos e muitos de nós gostaríamos de ver isto na prática.
Mas agora o interessante é que quem diz que quer isto tudo é alguém que teve a faca e o queijo na mão poderia tê-lo feito mas, apesar disso, formula agora estes desejos, como se estivesse virgem de governação.
Alguém que queria e obteve uma maioria absoluta para governar sem precisar de fazer cedências a ninguém.
Alguém que teve possibilidades de cumprir o seu mandato até ao fim.
Alguém que, quando se chamava a atenção para as grandes e diversas manifestações de descontentamento, afirmava sobranceiramente que não tinham a menor importância porque o que contavam eram os votos que tinha recebido. O que fez com eles?

Se quer mais justiça, mais segurança, e já agora mais emprego, melhor educação, melhor saúde, melhores transportes, mais justiça social, é curioso que... nós também queremos!
E entretanto passaram quatro anos.
Mais tempo?
E mais do mesmo?...


11 comentários:

sem-nick disse...

As opiniões e os extremos andam a exagerar-se de um modo impressionante.
A mensagem que se ouve é ou é de determinado modo ou... é a catástrofe.

Comigo não!!!
Já dei a minha quota parte de votos «úteis» na vida. Não vou mais votar a favor de X porque não gosto de Y. Nem que vote em branco.
Mas sapos só transformados em príncipes (ou princesas, preferia...)

Joaninha disse...

Também eu, também eu, sem nick!
Não engulo mais nadinha para defender outra coisa. a política do mal o menos já não cola!

(giro o boneco, do tempo extra!)
Ando para aqui com mau feitio e a precisar férias! (se o fj lê vem já gozar com o meu espírito violento e bélico, mas foi só daquela vez, oh camarada! sou até muito suave e doce...:) )

josé palmeiro disse...

Que mais acrescentar ao que escreveste?
Nada!
Antigamente, nas "feiras", aparecia um senhor, com uma, ou melhor, duas malas. Numa trazia os produtos milagrosos, feitos com a participação do que trazia na outra, a verdadeira, a da "cobra" e, era um gosto, um deleite ouvi-los nas suas explicações sobre os benefícios do(s) produtos. Falavam,falavam e ningém arredava pé!
Por fim lá havia, um ou outro incauto que comprava a "pomadinha" que já lhe tinha feito, muito bem!!!
Pois é, este Sócrates, nem para vender "Banha da Cobra" serve. Nas feiras, não conseguia vender, fosse o que fosse, nem CD(s) piratas, apesar da complaçência da ASAE.
Tenho dito!
Vou votar vou, nas autarquicas, apesar das leis que nos regem nos impedirem de ter proximidade efectiva, pois as Juntas ou são da cor ou contra e nada fazem, mas aí voto. Nas outras, como estarei aí pelo continente, nem que quisesse o poderia fazer, mas, de qualquer forma deixo já aqui exarado que o voto em branco, apesar de tudo é também uma arma.

King disse...

Mão é mau feitio Joaninha, é que o que é demais é demais!
E já não suporto o «do mal o menos» como dizes.
Sem a menor dúvida que me preocupa a Ferreira Leite, mas o certo é que não posso imaginar que tenha uma maioria absoluta, isso seria magia.
Nessa não acredito.
Ora já gramamos o Cavaco e com DUAS MAIORIAS ABSOLUTAS , pela primeira vez na nossa história. Sobrevivemos! Também iremos sobreviver se tudo correr mal. Afinal como o PSD já sabemos com que contar.

King disse...

(claro que troquei o n pelo m! queria dizer Não e saiu-me «mão» :)

O Palmeiro evoca a 'banha da cobra' e em certa medida está bem comparado, porque esses vendedores andavam pelas feiras porque havia quem acreditasse neles e comprasse a mercadoria, não é? Hoje também vejo muita gente a ouvir só uma banda e aceitar o que dizem os jornais ou noticiários muitos deles claramente manipulados!

fj disse...

Pois é pá mas depois da conversa com nossa amiga e filho vejo melhor os perigos que por aí existem...
joaninha estamos cortados virtualmente das nossas relações virtuais, ainda não percebeu? só podemos reatá-las quando voltar as florzinhas, bichinhos e aromas do campo.E por favor, a senhora nem ouse tratar.me por camarada, leu?

Ciranda disse...

Também estou sem paciência. Há dois pesos e duas medidas. Eu gostava de ver o Sócrates a ser avaliado pela forma como coloca os produtos num super-mercado. Nem uma semana lá ficava, quanto mais quatro anos. nem ele nem nenhuma daquelas abévias que estão ou querem estar no poder. Inúteis.

Também estou irritada.

kika disse...

Como o King fala de manipulação, eu acho que o dito cujo, tem seguido politicas de educação, principalmente , que tornam as pessoas mais facilmente manipuláveis, com fins obscuros, parece-me a mim. Cada vez menos as pessoas, têm ideias próprias. A comunicação social aproveita-se disso e dum dia para o outro muda tudo.Vou manter o que fiz nas europeias e fico de consciencia tranquila.

Mary disse...

Por isso há o descrédito que se vê em relação à nossa classe política. Críticas para fora, sem dúvida, autocrítica nem vê-la!
Todos os partidos que passara, pelo governo (e tirando a esquerda, que o Ps não se pode chamar assim) todos por lá passaram, ou sozinhos ou acompanhados, têm um discurso antes, outro durante e outro depois!
neste caso o Sócrates estava a falar para os seus, creio eu, e ouviram o que queriam, é claro.

Joaninha disse...

Ai fj, fj, olha que pachorra!!!

Caturrice, como diria se morasse ali pr'ós lados de Cascais, fosse loira bronzeada, e usasse colares doirados
:)

Emiele disse...

Deixa lá Joaninha, aquilo passa-lhe! :)

De resto como todos entenderam isto foi mais uma espécie de desabafo! Li as declarações do senhor e não me contive. Afinal bem prega Frei Tomás, não é?...