terça-feira, julho 28, 2009

Leilão

Sem pés nem cabeça!

Já me tinha chocado e pelos vistos não foi só a mim.
Tinha lido ouvido em qualquer sítio, que a PSP nas suas buscas de vez em quando apreende uma grande quantidade de armas. Vamos sabendo isso por várias notícias e, até muitas vezes, somos convidados a apreciar o estendal dessas armas apreendidas, que são tantas que implica várias fotos diferentes ou bastantes segundos da câmara de filmar a passear pelo expositor fora. Ficamos sempre devidamente impressionados – eu pelo menos fico – e respirando de alívio por saber que são umas tantas armas que ficam longe de mãos anónimas, na posse da ‘autoridade’. Que sossego.
Mas, li há pouco tempo que a dita PSP vai fazer um leilão dessas armas
?????????
As armas vão ser leiloadas?! Atenção, não estamos a falar de bens de consumo normais são «metralhadoras, pistolas, carabinas, caçadeiras, facas, sabres, punhais e espadas»
É certo, só as devem vender a quem possuir licença, não se vai ao ponto de as ceder a qualquer um, mas…
Não dizem que a polícia até tem poucas armas? Aqui estaria uma solução, estas armas ‘em segunda mão’.
Por este andar um dia destes também não se destrói a droga apreendida, pensado bem se fizerem um leilão talvez ganhem uns dinheiritos. Vendiam a compradores idóneos, é claro, por exemplo empresas farmacêuticas.
Não?
Francamente, por mais aflitos que estejam com os orçamentos, metralhadoras em leilão dá-me volta ao estômago.
Talvez eu seja de estômago delicado…




17 comentários:

King disse...

Ela há ideias espantosas!
Eu entendo que a crise seja grande, mas...

Joaninha disse...

Sei bem que quando há violência interior pode-se agredir seja com o que for. Mas sempre acreditei que quando mais fácil for o acesso a essas ‘máquinas de guerra’ menos controlo se tem com a violência.

Joaninha disse...

Ainda desenvolvendo a minha ideia: posso dar cabo de alguém batendo-lhe com uma cadeira, ou uma garrafa, mas tenho de estar perto dela e ... é uma de cada vez. Com uma pistola, para não falar na metralhadora, posso estar bem longe e num minuto posso matar vários!

Joaninha disse...

Ainda desenvolvendo a minha ideia: posso dar cabo de alguém batendo-lhe com uma cadeira, ou uma garrafa, mas tenho de estar perto dela e ... é uma de cada vez. Com uma pistola, para não falar na metralhadora, posso estar bem longe e num minuto posso matar vários!

Joaninha disse...

Upss!
Entrou duas vezes - foi da energia!
Mas não tenho tempo agora do processo de ir apagar. Fica assim!

josé palmeiro disse...

Um governo como o nosso e uma polícia como a nossa, só podem estar completamente fora de si, para fazerem este atentado à humanidade.
Ainda entendia se fossem par um museu, pelas suas características únicas, mas assim?
Depois, vê-se uma graduada da polícia, toda feliz porque comprou uma pistola, para defesa pessoal, porque "maneirinha". Anda tudo doido!!!

fj disse...

JP assino ao lado ( para demonstrar \que não sou como o PRangel),
Mas atenção, cuidado com joanonha (nick para disfarçar):que fúria mal contida, que agressividade,que conhecimento de armas! Julgando-te ainda á solta, já fiz fws para a pj, psp, gnr,sis, siedm-provavel que tenhas ligaçõs no estrageiro- secretário para a segurança.Provavel pois, e bem merecido é que sejas alvo de uma "rendição excecional" para a arabia saudita, por uns tempitos...

fj disse...

Falta me so acabar, esclarecendo que me referi a joaninha, não ao que escrvi, por lapso.
Ma so leilão já foi, parece que foi um êxito...
Como não gosto de politizar as coisas, só acrescento o simbolismo profundo do leilão, colocar em perigo a segurança pública para ganhar dinheiro.Simbólico para o valor que o neoliberalismo atribui á vida humana.e´que ainda ha pior do que a joaninha por aí.Esperemos o proximo para o nosso reequipamento.

Joaninha disse...

Pois fj, eu sou assim! Quem se mete comigo...! :)))
Mas só falei em «armas domésticas» faltaram ainda os talheres que não são maus para agredir. Claro que as almofadas só dá para lutas de almofadas que não aleijam assim muito!

sem-nick disse...

É de abrir a boca de espanto, é claro!
A naturalidade com que isso foi feito.
:(

Emiele disse...

De facto a Joaninha parecia a padeira de Aljubarrota (ainda não falou em pás...) mas eu entendo.
É evidente que virão agora dizer que não é nada demais as pessoas que licitaram teria licença e se não comprassem aqui compravam na loja.
Se calhar eram os armeiros que deviam protestar...
Mas o facto de se ter feito o leilão vale pelo simbolismo pelo menos, como referiu a brincar o fj, mas eu sublinho.

zorro disse...

A gente habitua-se a tudo.
Nem estranhei...

Mais metralhadora, menos metralhadora, pfff....

fj disse...

Não joaninha ( que nick!posso dar sugestões? joana a sanguinária, joana pum pum, já houve, nas isso é outra história, joana jong hil, muito querida lider, ben joana,joana nogueira pinto, joanabush,joana a matadoura devagarinho-consoante uses armas domésticas ou de destruição maciça ), ( e se fosses chinesa ou sioux arranjava melhor)quem se mete contigo não leva, pela simples razão que ninguem agora, depois do 28 de JUlho,se mete contigo.O pior, para mim, foi a deceção, imaginava-te delicada saltitando e esvoaçando entre flores.Alma minha, o 7.28 afinal vamos sempre aprendendo.Ah só uma explicação, não fiz fw para a cia porque já lá estás com certeza.Gajas assim é o que eles querem.

Emiele disse...

Pobre Joaninha, fj! Também a imagino pequenininha, encarnada com pintinhas pretas, a voar para ao pé da mãe em Lisboa.
Não essa mata-frades que estás aqui a pintar. :)

fj disse...

Não emiele,ela é mesmo má, só usei o que ela disse,e redisse, aliás.
Mas sendo má não é estupida ( já não digo nada depois do choque do 7.28 ), vir para lisboa? Então não está melhor entre as florzinhas, os bichinhos, o cheiro do campo?E até servia como campo de reeducaçao, estilo kmers vermelhos, certamente seus idolos.Até perceber que a reeducação acabou e resultou, corto, virtualmente as relações virtuais que com ela tive, em má hora. Só voltarei quando a souber novamente entre flores.

A Senhora disse...

Leiloar?! Ui! Ainda bem que essas notícias não corre aqui no Brasil (é tudo na surdina, evidentemente), porque a fila seria enorme para poder-se entrar no recinto do leilão. :(

Emiele disse...

Ai Senhora, por aquilo que se diz (eu não sei, é só de ouvir dizer) aí pelo Brasil a coisa é brava, como vocês dizem... Se calhar nem era preciso ir a leilão, quando dessem conta o local do leilão tinha sido «limpo» e eles safavam-se com as ditas!!!!