sábado, maio 16, 2009

A propósito de Cannes

Está a decorrer o Festival de Cannes. Vai ser o último ano que decorre naquele local, o Palácio vai ser fechado para reforma.
Foi um pouco surpreendente saber que o filme de abertura - sempre importante e uma honra para o filme escolhido - foi um filme de animação, mas a 3 dimensões já se vê... Tinha de ter algo de diferente.
Vamos ver o que vai passar por lá e quem vai receber o prémio.

Nesse rescaldo, e para acabar de vez com a colecção de cartazes de filmes antigos que andava a passar a conta-gotas no Pópulo, despejo de uma vez só os que me restam:


11 comentários:

Maria disse...

Há que assumir a crise, pois que se faça o Festival (adoro cinema), tudo bem, já a pompa, a ostentação, não há necessidade, quem puder e gostar verdadeiramente de cinema, estará lá.
Muito bem ilustrado o "post" com os cartazes,fabuloso!

josé palmeiro disse...

Minha amiga, estou aqui pela segunda vez, mas já chegaste das compras de sábado e brindaste-nos com esses belíssimos cartazes, apropósito de Cannes. Fizeste bem, estas rectrospectivas, são sempre de grande efeito, para quem gosta de "ARTES".
Quanto a Cannes, vamos aguardar, mas eu ligo-me muito ao que de lá sai. Sou muito Europeu!!!

josé palmeiro disse...

Bom, mas também gosto muito da cinematografia americana.

King disse...

Bem, quanto aos cartazes acabou o conta-gotas? Eu não me importava que fizesses 'render o peixe', olha lá!
Claro que assim ao molho é uma revoada de saudades...
A ostentação faz parte dos Festivais. É o folclore. Sempre assim foi, e como aquilo lida com muito dinheiro, é de esperar. Ao menos que seja só lá.

Quanto a cinema, há uma frase que às vezes dizem quando perguntam a algumas pessoas que tipo de música preferem, ou de literatura, e respondem «de toda desde que seja boa» o que sempre achei um pouco estranho porque se a classificassem de «má» não podiam gostar (era má! era já uma opinião)
Mas dei por mim a pensar de que «gosto de todo o cinema desde que seja bom» :)
O que quero dizer que não quero saber da nacionalidade. Europeu, americano (até sul-americano) asiático, interessa-me que me diga qualquer coisa.

King disse...

Bem, voltando atrás para chegar ao que o Zé Palmeiro quis dizer: é que o cinema europeu que há umas dezenas de anos era considerado pela crítica como de qualidade, a determinado passo «passou de moda». A própria crítica só se focava no cinema americano. E o «estilo europeu» tem ainda muito para dizer, sim senhor!

kika disse...

Um filme da Disney tem muitas probabilidades de ganhar e a três dimensões torna-o mais apelativo.
Adoro cinema, mas selecciono,porque se não o fizer é quase certo saír a meio o que me deixa de rastos!!

Joaninha disse...

Por acaso, sair a meio, só o devo ter feito uma vez ou duas. Deve ter a ver com a minha educação de menina poupadinha a quem ensinaram que se deve comer tudo o que está no prato mesmo que não de goste! :)
Na minha cabeça devo pensar (mesmo sem querer) que se paguei o bilhete, tenho de ver o filme! Mas é evidente que já enfiei barretes enormes, fiçmes que a crítica ou os amigos diziam muito bem, e não me agradou nada...
De qualquer modo, o Prémio da Palma de Ouro é sempre uma referência. Fico na expectativa deste ano.

fj disse...

Só queria chamar a atenção para o filme chinês, radical alteração de atitude oficial sobre orientações sexuais.
Pode ser que, mais dia menos dia, permitam a liberdade de orientação política.
No tempo em que lá estive, não existiam
:)

Castanha Pilada disse...

Um dia destes por acaso comprei um livro com cartazes de filmes antigos que é uma moca!

Emiele disse...

FJ, essa mudança de atitude em relação à orientação sexual, para ter atingido a China é mesmo sinal de algo está a mudar em todo o mundo, mesmo onde os valores a esse nível seriam mais conservadores. É impressionante ver o que mudou em 100 anos, quando o Oscar Wilde cumpriu pena de prisão por essa sua orientação!...
Os cartazes que tenho publicado foi uma colecção que me chegou há bastante tempo por fw. Separei-os e comecei a publicar um a um (estão na rubrica 'filmes'), mas agora pensei que deixava aqui os últimos.
No cinema sou um pouco como a Joaninha. Mesmo não gostando vou até ao fim, até para fundamentar porque é que não gosto. Claro que já uma vez ou duas não aguentei e saí, mas foi raríssimo.
Nós dizemos 'cinema europeu' mas ele é bem diferente de país para país. Cinema francês é uma coisa, cinema italiano outra, cinema britânico outra, sueco também... É difícil generalizar, mesmo que haja algo em comum, talvez privilegiar o conteúdo sobre o continente.

Emiele disse...

E a propósito de espectáculos - ontem, cá em casa viu-se futebol e só no final por causa de um telefonema nos lembrámos que tinha havido um Festival da Canção. Pela amostra, desta vez foi uma boa escolha o futebol!