quarta-feira, maio 06, 2009

Pois sim

«Grávidas que fizeram 30 minutos de exercício diário tiveram filhos com um QI de 8 pontos superiores à média»
Estudo revela que as mães influenciam muito mais a inteligência do que os pais.
Lógico! Afinal os pais podem fazer o exercício que quiserem, mas não estão grávidos!

E ainda dizem que combinar a amamentação com o exercício pode aumentar o QI de uma criança típica 14 pontos acima da média.
(será que se amamentarem o dobro e fizerem o dobro de exercício aumentam 28%?)

Com franqueza, quem se lembra destes estudos que raio de QI terá?....

16 comentários:

Joaninha disse...

Como já aqui disseste uma vez, esta coisa do excesso de estudos, tem um efeito perverso: é que se deixa de ligar ao que dizem!
E cá está um exemplo que não lembra a ninguém! Quando essa «coisa» do QI já passou do prazo, ninguém já fala nesses termos que inteligências há muitas e diferentes, vêm agora com esta conversa de chacha!!!

Emiele disse...

Olá Joaninha!
Viste muito bem o meu ponto de vista. Para além do enjoo que é o excesso de estudos para tudo e para nada, esta caso é particularmente idiota, porque não diz que raio de coisa é esse QI avaliado. Há 50 anos ou mais, usava-se bastante o QI que se avaliava com umas escalas muito certinhas. Nada de isso se faz hoje. Aceitamos que existam várias inteligências. Que conversa é essa sobre o QI de uma criança de colo?!

josé palmeiro disse...

Pois é voltamos aos "estudos", de que tanto se tem falado e que nos enjoam.
Não há pachorra para aturar estes teóricos, que, certamente, nunca tiveram uma criança nos braços e vê-la crescer...
Quanto ao QI, vocês já disseram tudo!

Castanha Pilada disse...

É que a mãe deles fez exercício e deu-lhes de mamar e eles passaram dum QI de 50 para 64.

fj disse...

Foto muito gira!
Joaninha já disse tudo, julgo.
Castanha Pilada ,haja respeito ,caraças!

kika disse...

Desculpem mas nest post discordo de tudo.
É verdade que proliferam muitos estudos e que para o comum dos mortais muitos deles parecem não fazer sentido e talvez não façam mesmo.Contudo é dos estudos que a ciencia evolui e neste caso do QI, concordo e muito com toda a influência do exercicio fisico, alimentação, afectividade postos ao serviço do crecimento dum ser.Nem tudo é só genético.Há uma multiplicidade factores.
O king deixou o comentário, fora de sitio EHEHEH....

Emiele disse...

Kikazinha, devo ter explicado mal a minha ideia.
Não tenho nada contra os estudos, é claro. Ando agora às voltas com um, a recolher opiniões variadas de ONGs. de sindicatos, do Diabo a 4, e para alguma coisa isto vai servir. Mas uma coisa é serem feitos estudos, outra a forma como a comunicação social agarra neles e os desenvolve. Este é um caso evidente.
Aqui a Joaninha deu 'um toque' no sentido certo (por aquilo que já vi dela deve ter uma formação semelhante à minha)
Como ela referiu «essa coisa» do QI funcionava há 50 anos, hoje não se fala nesses termos, sobretudo quando pensamos numa criança pequena. Uma criança tem, quando muito QD, o chamado Quociente de Desenvolvimento. Depois, é evidente que uma grávida que tenha um bom tratamento, não ande stressada, se alimente bem, e faça exercício, deverá gerar uma criança mais saudável, mas isso é completamente óbvio. O que me pareceu absurdo, foi o salto para as conclusões não apenas quando ao quociente intelectual do bebé (?) mas mais ainda o contabilizarem-no em percentagens! Como?! Dez por cento, oito por cento, catorze por cento?
A Castanha Pilada respondeu forte mas...
Quero acreditar que a jornalista quando escreveu a peça, o fez de um modo ligeiro sem investigar bem o que lá se dizia.

Saltapocinhas disse...

que parvoeira!
A ser verdade, os meus filhos seriam tão burrinhos, tadinhos!

eu sei quem fez o estudo: o dono de um ginásio!

zorro disse...

Oh saltapocinhas, francamente!!!!
:)))
A Emiéle, quanto a mim explicou à Kika as diferenças. Uma coisa é uma gravidez serena, onde a futura mãe se mexa (e às vezes até basta trabalhar para se mexer e bem, imagino que a Saltapocinhas não precise de ginásio) como bem, distraia-se, e se tudo correr bem deve dar á luz um bebé saudável. Lá se é mais inteligente do que o primo, isso não sei. A mãe do Einstein teria tido que tipo de gravidez?

Alex disse...

O problema de passar por cá à noite é que já está tudo dito.
Pronto, despejo os cinzeiros, rego as plantas, apago a luz e vou-me deitar.
Beijinhos

Emiele disse...

Que coisa estranha.
Recordo-me de ter escrito uma resposta à Alex, agradecendo sobretudo o cuidado em regar as plantas que com este tempo andam um tanto murchitas, mas (palavra de honra que foi assim!) ontem deu-me «um ataque de sono» tão forte como se fosse um ataque de tosse ou de riso ou coisa assim. Esta manhã descobri na cozinha uma maça começada a descascar - que devia ter pensado em comer antes de ir para a cama - e tenho a vaguíssima ideia de ter flutuado para o quarto e caído na cama mas nem e recordo com exactidão. E, é mais do que certo que não cliquei no «publicar» e a minha resposta à Alex ficou por aí, no limbo.

fj disse...

Castanha Pilada:
Nós, OS visitantes deste blogue, continuamos à espera do pedido de desculpas relativo ao insulto ,aos nossos QIs, todos, mas todos, superiores a 100 graus.
Posso sugerir-lhe que procure no "caso vital moreira" um modelo para o efeito,é um repositório de formas para tal.
Aguardamos mais algumas horas, mas lembre-se que o nosso QVV ( percebeu, espero...)é tambem muito alto!

Joaninha disse...

Ai, FJ, que já perdi!...
Claro que temos todos um tal QI supernormal, os tais 100 da praxe, e mais a ginástica das mamãs e o aleitamento, temos os ditos 114.
Mas para te entender bem deves definir a base e deve ser de uns 120...não?

Joaninha disse...

Mas voltando a falar a sério, isto tem como ricochete a culpabilização de algumas grávidas mais influenciáveis que, imaginemos, não tiveram leite (acontece! aconteceu-me a mim com grande desgosto) e trabalharam como umas desalmadas sem tempo para exercícios físicos dos tais que vão irrigar o cérebro.
Quem for mais influenciável vai achar-se uma má mãe e pensar que o filho pode ser um atrasado mental por sua culpa.
Haja Deus!

Alex disse...

Respostas no limbo, Emiéle...

Maçãs começadas a ser descascadas e que ficam na cozinha...

Flutuar para a cama...

Como eu não acredido no caso (sim, sou maluca e tótó de todo), tenho a indagar o seguinte:

Se te apercebes de que ficam por aí umas respostas no limbo, lembras-te da pergunta? (a tua, para a qual terás "pedido" resposta)

fj disse...

Joaninha. não comeces também a gozar com OS visitantes,cujo qi ultrapassa sempre os 144 da madona. QV()V significa quociente de violência ( verbal )como certamente ja adivinharam.