sexta-feira, maio 29, 2009

Dois países

Tem sido notícia nos jornais, - evidentemente que sobretudo dos ingleses mas afinal por toda essa Europa e bastante referido em Portugal - o «escândalo» dos deputados e muitos dirigentes britânicos terem recebido subsídios diversos, como ajudas de custo para a habitação quando afinal já tinham local onde habitar em Londres, para viagens que não efectuaram ou foram particulares, etc, ou seja, encurtando razões, o grande escândalo que veio a lume de que despesas privadas dos deputados e ministros tenham sido pagas com dinheiro público. E nessa onda tem ido tudo, esquerda ou direita, ninguém ficou imune, (trabalhistas, conservadores, liberais) parece que era uma questão de ser «costume», de «todos fazerem». (*onde é que eu já ouvi isto?*)
E é mesmo escandaloso, imoral, ofensivo!
Portanto ‘rolam cabeças’, há ministros demitidos, o líder da Câmara dos Comuns foi ao ar, a coisa está feia. Muitas das pessoas que já tinham recebido dinheiro para obras em casa, são agora intimadas a devolver o que receberam.
É isto que me fez pegar no assunto, mesmo que não tenha nada a ver connosco – é questão interna do Reino Unido, não é? Mas a verdade é que assim que estas coisas começaram a ser conhecidas, o Primeiro-Ministro britânico veio pedir desculpa em nome de todos os Partidos, e até declarar que a «confiança dos britânicos na classe política precisa ser restituída "imediatamente" Ah, pois é!
É afinal por estas coisas que se vê o que é uma Democracia. O que se passou foi gravíssimo. Tão grave como o que se passa por cá onde o modelo é exactamente igual. Mas enquanto numa democracia já com muitos e muitos anos, se tomam medidas, os prevaricadores confessam os erros e indemnizam os contribuintes, e até o Primeiro-ministro pede desculpa em seu nome… o que vemos em Portugal?
Num caso assim, (que, como é público e notório, é o que se passa!) o Parlamento se fosse confrontado iria abrir um Inquérito, iria procurar «provas», iria recolher testemunhos que seriam contraditórios, depois ia para férias, depois teria coisas muito urgentes a tratar, depois voltava a abrir o inquérito, depois via que tinham desaparecido faltavam dossiers, depois haveria testemunhos importantes que estariam convenientemente ausentes, depois haveria outras coisas mais urgentes a tratar, e em seguida mais férias, e talvez eleições, e reabria-se o Inquérito, e havia acusações múltiplas, e… e…e… entretanto tudo prescrevia!!!
Quem não conhece esta novela?...
Sem dúvida que «a porcaria» é muito semelhante, mas uma democracia enraizada faz com que apesar de tudo o final seja menos indigno do que aquele a que estamos habituados. E resignados?...


7 comentários:

Ideia Idiota disse...

e aqui já se pode comentar! :)

Ainda bem!

www.ideiaidiota.com

Emiele disse...

Mas claro que podes comentar, Ideia (Idiota?). Fui num pulinho ver o teu blog, mas agora não tenho lá muito tempo para o ver em pormenor. Numa primeira vista, agradou-me.
E nada «idiota» a não ser que associes o termo ao radical de 'ideia'... :)

King disse...

E há mais diferenças, é claro. Mas esta, como apontas, é forte. Pelo menos, como se diz «têm vergonha na cara»...
A gente sabe que por cá a regra é a mesma, as «despesas de representação» (porque raio existe isso? não lhes pagam o suficiente?...) são uma fatia bem grossa do 'vencimento' destes senhores.
E isso dá para tudo.

Mary disse...

Tal e qual.
essa novela, do passa para ali, passa a outro, passa a terceiro, volta atrás, .... até todos se esquecerem, é conhecida!

kika disse...

Pseudo-democracia por cá, quererias tu dizer!! Tinhamos muito para aprender, mas parece-me que já não vamos a tempo.Oxalá me engane.

zorro disse...

A gente sabe.
Sem dúvida que a porcaria é parecida, mas tantos anos de democracia têm as suas vantagens.

Aparentemente só aprendemos o menos bom, a reivindicar mas sem o saber fazer, a querer direitos sem deveres, e a aceitar o que mandam os 'grandes' sem os chamar á ordem.

fj disse...

Eh pá essas coisas não se atiram assim para o ar, caraças pá! :nomes, provas, casos concretos? Nada, só insinuações. Olha bem que quando andei por esse meio, na metrópole, lá era outra coisa, nunca vi nada de reprovavel.Miopia?