domingo, maio 10, 2009

Cor no Pópulo

Nos posts «de arte» de hoje deu-me para olhar o passado...
Depois do Beethoven, vem um pintor, António Carneiro, muito clássico, mas que tem umas marinhas lindas, e... (confissão!) dá-se o caso de eu ter a sorte de possuir um quadro dele. (recebido por herança, escusado será dizer)
O quadro que eu tenho é exactamente uma marinha, uma praia banhada por uma luz lilás - da madrugada antes do sol nascer.
Talvez por isso, por gostar tanto das madrugadas, momentos de esperança, venho deixar esta homenagem.



13 comentários:

King disse...

De facto hoje apostaste em surpreender-nos com um «regresso ao passado»!
:)

É toda uma época.
A fase dos pintores retratistas e paisagistas. (e dizes que tens um original do tipo?! oooooooh!)

Joaninha disse...

Olha que a imagem parada que se vê antes de começarmos a por o vídeo a andar, é linda! Nessa época (ena, há 100 anos quase) usava-se muito as 'marinhas' e eram sempre pinturas relaxantes...

josé palmeiro disse...

Para já, parabéns por teres um quadro do António Carneiro.
Agora dizer-te que entre este eo que eu coloquei ontem, na "SESTA", o Henrique Pousão, estive a balançar, entre os dois e fui para o segundo, porque, alentejano.
Boa escolha!

sem-nick disse...

Tem a sua graça, esta «cantiga à desgarrada» entre ti o o Zé Palmeiro!!

É uma época excelente, esta,a gente muitas vezes esquece-se de que em Portugal também se pintava muito bem! Lembramo-nos da poesia, mas há outras artes onde não se vfez má figura.

raphael disse...

E viva o Youtube!!!!
Emiéle, repara que ficaram aqui 3 posts (e quero dizer que apreciei!) um sobre música, outro pintura e outro «cenas da vida corrente» -eheheheh! - mas já prontos a consumir directos do you tube!
:))))

Eu não sou um graaaande apreciador de pintura, e desta talvez ainda menos, mas reconheço que o tipo é bom.Não faz é o meu género.

fj disse...

Conheço o quadro original, mas sempre me foi demasiado angustiante , tipo versão soft de o grito.

Emiele disse...

Ui, FJ, não é o que estás a pensar!!!!
Mesmo não concordando, aceito que o quadro a que te referes, possa ter esse efeito para ti (para mim é apenas um par a beijar-se, ao luar, num banco de jardim; mas aceito que a lua entre as árvores pode realmente parecer uma caveira, pelas sombras das folhas...) mas não é esse de que aqui falo e sim da marinha, que está por cima do sofá.
Um amanhecer na praia não pode ser angustiante, credo!

zorro disse...

Emiéle, Emiéle, a minha alma tá parva!!!! Mas quantos quadros tens tu?!
Tenho que te olhar com mais respeitinho.
:)

Emiele disse...

Gulp!

Guilty, Zorro, tenho vários realmente, mas não sou rica! Apenas acontece que a minha família apreciava pintura e herdei umas coisas dos pais e avós...

King disse...

Venho colocar-me ao lado do Zorro. Olha lá, há uns tempos era o Malangatana, agora o António Carneiro - e pelos vistos tens dois quadros - és uma marchand que a gente não conhece ou quê?!

Emiele disse...

King, calminha criatura, a resposta é a que dei ao Zorro, tá bem?...
Realmente herdei uns quadros dos meus avós, e outros também bons dos meus pais - aliás a maioria deles até oferecidos. Por mim não tenho dinheiro nem para mandar cantar um cego...

Maria disse...

Bom deste "Senhor" haveria tanto para dizer, mas se a Emiéle permitir (constato que aprecia e possui quadros dele, um dos mais importantes pintores Portugueses do "Simbolismo"no inicio do sec. XX e também poeta embora com menos relevância, director artístico da revista “A Águia"(órgão do Movimento sociocultural “A Renascença Portuguesa”) que se publicou no Porto entre 1910 e 1932, teria muito gosto enviar-lhe, por correio electrónico, uma cópia de um desenho a carvão assinado por António Carneiro que ilustrou um poema de Miguel Unamuno, publicado na “revista”.
Este é um tema que não queria deixar de comentar.Devagar, devagarinho estou quase em dia..))
Só mais uma nota; espero não "trazer mais lenha para a fogueira"
atendendo aos comentários do Zorro e King (que fizeram com muita graça).

Emiele disse...

Querida Maria, fico mesmo lisonjeada que tenhas a paciência de vir aqui atrás apreciar os posts de Domingo e ainda por cima completares a informação de um modo bem mais completo do que o apontamento que aqui tinha ficado.
Se me enviares o desenho, posso publicá-lo aqui? Deixo a referência de onde vem, mas a verdade é que a net é um espaço de partilha que eu gosto de alargar.
Obrigada, Maria.