quarta-feira, abril 15, 2009

Qual o segredo?



Teve a melhor nota do 12.º ano, em 2008.
«Apenas » 19,7 – faltaram 3 décimas para chegar a 20.
Mas esta menina, chamada Alena, apesar de estar a estudar em Portugal, é russa.
Não poderá ensinar aos seus colegas como se faz?
E ainda além de estudar Bioquímica em Lisboa, estuda também piano onde parece ser um espanto.

....
E o PNP quer mandar os imigrantes embora, não é?


14 comentários:

sem-nick disse...

É mesmo um espanto.

Pala notícia, imagino que essa fosse a média geral, porque houve vários 19 e tal por aí, mas se dizem isso deve ter sido a nota global!

E ainda toca piano, e se calhar fala francês.

(ou o nosso ensino não é tão mau, ou é mais tolerante)

King disse...

E ficamos agora à espera da pianista.

Bravô!!!!

kika disse...

Os emigrantes de qualidade até ficam cá e são muitissimo bem remunerados,e pode bem vir a ser o caso desta menina no futuro, o que é bom para o nosso País, já outros...

Emiele disse...

Kika, são bem remunerados, quando são... Eu conheço uma senhora que tem formação como enfermeira e anda a fazer limpezas e um engenheiro que trabalha nas obras. Nós quando emigramos também vamos trabalhar nas obras ou como porteiras, ou mulher-a-dias mas a escolaridade é baixinha...

Evidentemente que também existem as tais «máfias» e coisas dessas, que são casos de polícia, mas não se pode nunca generalizar, não é?
:)

Joaninha disse...

A pianista então deve ser «do outro mundo»!!!!
Por aquilo que dizem!

A menina é mesmo um génio.

André M. Palmeiro disse...

É engraçado referires o PNP. É que para além deles ainda existe, no submundo da extrema-direita portuguesa, os protofascistas do PNR, comandados pelo José Pinto-Coelho, rapaz bem-falante e muito atinadinho que tem como Hobbye espancar pretos ali a Santos. Já agora, para que a culpa não morra solteira, o líder do PNP-BD (Bloco de Direita) chama-se Rui Barandas e tem como pérola de um passado glorioso, a pertença a um dos mais facínoras movimentos no rescaldo do PREC; MDLP-ELP.
Vive no Porto e defende que um Portugal multicolor não faz sentido e que senão os pusermos a bem para fora (entenda-se os emigrantes), então que se recorra à autoridade do estado (esquadrões da morte à la portuguesa). O maior problema é que não estamos tão longe disso quanto pensamos e enquanto engrossa a falange de apoio desses lunáticos, o poder político vai cantando e rindo e o povo desfiando baboseiras que soam como amén's aos ouvidos desses assassinos!

josé palmeiro disse...

Este, é mesmo um exemplo, pela positiva. Parabéns a ela!!!
Tal como dizes, Emiéle, também tive, no Algarve, uma senhora que me apareceu, a fazer limpezas, e que era médica, só que não era reconhecida pela "ORDEM".
Mas, venha lá, então, a pianista!!!

Emiele disse...

Primeiro aqui ao clã Palmeiros:

André, sabes que era neles que estava a pensar. Mas na pressa escrevi a outra sigla e nem parei para pensar. Mas enganei-me apesar do PNP também não ser flor que se cheire.

Zé, os profissionais de saúde (eu conheci uma enfermeira e tu uma médica) como fazem muita falta a pouco e pouco vão sendo reconhecidos, mas... outras formações que não fazem tanta falta até o reconhecimento e equivalência passam as passas do Algarve.
E já agora, olhem que não é só estes imigrantes de leste. quando vivi em Macau, uma vez a minha mulher-a-dias ( filipina) deixou cair da carteira um cartão onde se via a sua foto com um daqueles chapelinhos quadrados com uma fita a cair, que é uso nas Escolas Superiores dos países anglo-saxónicos. Perguntei-lhe se era licenciada, e tinha três diplomas de licenciatura - Direito, Gestão e Economia!!! E andava com o meu aspirador porque ganhava mais em Macau!

Emiele disse...

Joaninha, depois de responder à família Palmeiro, sabes que também fico interessada em ver que pianista vai sair dali. Para entusiasmar tanto a professora....

kika disse...

Emiéle , falaste dum tipo de emigração, estudante e muito inteligente, e por isso concordo que não devemos generalizar.
Quando falo dos bem remunerados , enquadram-se nesse tipo de emigração e não nos utilizados pelas máfias.Temos no Pais quadros altamente bem remunerados, que já adquiriram nacionalidade portuguesa não é verdade? Provávelmente se essa menina quiser permanecer no nosso País , fará parte desse conjunto
Quanto a referencia ao PNP é obvio que nem comento porque não comungo dessas raivas extremas, felizmente como milhões de portugueses. Foi só isto que eu quiz dizer de manhã e já agora até amanhã

kika disse...

Emiéle , falaste dum tipo de emigração, estudante e muito inteligente, e por isso concordo que não devemos generalizar.
Quando falo dos bem remunerados , enquadram-se nesse tipo de emigração e não nos utilizados pelas máfias.Temos no Pais quadros altamente bem remunerados, que já adquiriram nacionalidade portuguesa não é verdade? Provávelmente se essa menina quiser permanecer no nosso País , fará parte desse conjunto
Quanto a referencia ao PNP é obvio que nem comento porque não comungo dessas raivas extremas, felizmente como milhões de portugueses. Foi só isto que eu quiz dizer de manhã e já agora até amanhã

Saltapocinhas disse...

nunca tive alunos emigrantes destes países, mas tenho colegas (no meu agrupamento) que têm.
O segredo?
Uns pais que valorizam imenso a escola, crianças atentas, aplicadas e estudiosas.
Já os professores, esses são os mesmos!!

Rosarinho disse...

É. Para a gente não se sentir diminuída.

Emiele disse...

Esse deve ser um dos segredos, saltapocinhas, imagino eu.
Rosarinho, a gente não tem de se sentir diminuída, não acredito que a massa humana seja diferente, os estímulos é que talvez o sejam. Não seria mau tentar 'desencravar' a engrenagem.