sexta-feira, dezembro 19, 2008

Que motivação!


Claro que sabemos que muitas vezes os inquéritos valem o que valem.
Mas...

Não será para ficar a pensar que um inquérito do Observatório da Avaliação de Desempenho diga que
«quase 75 por cento dos professores mudavam de profissão se tivessem alternativa e 81 por cento admitem que, se pudessem, pediam a aposentação, mesmo com penalizações» . ???
Claro que pode haver aqui muito exagero, mas...
Quem ainda pensa que ser professor é uma profissão invejável, deve reflectir um pouco.
Afinal parece que deve ser necessário uma forte vocação, talvez mais que a necessária para ingressar num convento.
O tal espírito de sacrifício, ou de missão.

6 comentários:

king disse...

Não são só eles....
Façam o inquérito por aí e vejam os resultados que apanham!!!!...

Muitíssima gente estaria prontinha a mudar de trabalho, se ... aparecesse outro. Quando uma vez (que nunca me vai esquecer ) ouvi a Dra Maria João Rodrigues dizer que os portugueses têm resistência a mudar de trabalho, o que eles têm é «resistência» a ficar sem trabalho. E sujeitam-se a tudo!

kika disse...

Pois acho que ser professor só por vocação, e a partir de determinada altura (escassez de emprego) todos os licenciados ou não , alguns com habilitações bem precárias ate, a unica saída que tinham era o ensino e sempre na busca de um emprego diferente, mas foram ficando ficando até já ser demasiado tarde para mudanças.É obvio que essas pessoas sem perfil, são as primeiras a esgueirar-se estão fartas das pressoes de todos os lados. Os apaixonados pelo ensino, são os ultimos a sair, vão até ao fim, quase todos.

josé palmeiro disse...

Nem de propósito, estive no aeroporto à espera dos meus filhos e encontreei uma amiga, enfermeira, profissão que exerce à mais de trinta anos.
Para além de outras malfeitorias, acharam que trabalhava demais e reduziram-lhe o horário e mais os honorários em 700,00€/mês.
Calculem a vontade com que ele estava!!!

Emiele disse...

É isso mesmo, Palmeiro.
Os professores são apenas a ponta do iceberg. Acho que a desilusão e desmotivação é muito geral.

Emiele disse...

Ontem vi num dos jornais gratuitos que esta história fazia primeira página.
É sério, é claro. E a Kika não tem inteiramente razão - há pessoas que escolheram o ensino como carreira porque consideravam bom e importante o transmitir conhecimentos, mas nesta altura estão infelizes e desmotivados. Alguma coisa anda muito mal. e o que o Zé disse é certo, muitas outras carreiras que eram desejadas e escolhidas com gosto, estão a cair em desgraça por não serem convenientemente reconhecidas. Se não se trava isto, o mundo vai mal!...

sem-nick disse...

Meu Deus, de vamos falar em «desmotivação» nem vejo as margens desse enorme rio!